O Perdão Perfeito e Pleno do SENHOR

Quem, ó Deus, é semelhante a Ti, que perdoas a iniqüidade e Te esqueces ( עבר `abar ) da transgressão do restante da Tua herança? O SENHOR não retém a Sua ira para sempre, porque tem prazer na misericórdia.” (Miquéias 7:18)

O termo para o verbo “esquecer” aqui em hebraico é עבר ( `abar ) que significa: ultrapassar, passar por, atravessar, alienar, tomar, levar embora, passar por cima … é o mesmo termo do qual deriva o termo “hebreu” ( עברי, “Ibriy” ), que significa “pessoa dalém de”, “passar adiante” …

Portanto, “esquecer” aqui não significa que o SENHOR já não lembra do pecado, até porque pelo Seu atributo de Onisciência, isso lhE é impossível, mas isso significa que, quando o SENHOR perdoa a iniquidade e “esquece” a transgressão, ELE “passa por cima” destes pecados e os mesmos já não tem poder para nos acusar e condenar, pois foram “levados embora”, foram “ultrapassados”; o perdão é perfeito e pleno, já que o pecado não tem mais poder acusatório para condenação.

Portanto, devemos espelhar essa característica do SENHOR, o nosso Pai celeste, e também ter prazer na misericórdia, proporcionando um perdão pleno, completo para com o próximo sempre que for necessário (“setenta vezes sete” como disse Jesus) …

Sede misericordiosos, como também é misericordioso vosso Pai.” (Lc 6:36)

A misericórdia triunfa sobre o juízo.” (Tg 2:13b)

Que o SENHOR lhe abençoe e lhe proporcione a Paz que excede a todo entendimento!

Beleza e Curiosidades da Bíblia – Verdade

A idéia hebraica de “verdade” ( emet: אֱמֶת ) é mais rica do que a descrição factual ou a sua “correspondência” entre linguagem e realidade, uma vez que ela contém implicações morais e possibilidades: o que é verdadeiro, também é certo, bom, confiável ( honesto ), bonito e sagrado. A palavra hebraica vem de um verbo raíz ( aman: אמנּ ), que significa “confirmar”, “ser fiel” ou “permanecer firme“, e a sua forma substantiva ( ou seja, emuná: אֱמוּנָה, “fidelidade” ou “confiabilidade” ) expressa a vontade de viver com o que for ratificado, o “amém” da decisão; onde o termo “amém”, no grego “αμην“, tem a sua raíz no hebraico אמנּ ( ‘amen ), que significa “em verdade”, “verdadeiramente” ou “assim seja“.

Observando a constituição da palavra verdade ( emet: אֱמֶת ) em hebraico ( vide imagem anterior ), você tem as letras Alef ( א ), Mem ( מ ) e Tav ( ת ). A letra Alef representa o SENHOR Deus, isso pode ser inferido por uma série de indicativos, mas vou colocar apenas um para não me estender, pois o formato da letra Alef, é compreendido por muitos rabinos como um composto da letra Vav ( ו ) no meio, com dois Yud’s ( י ), um na parte de cima e outro na parte de baixo formando então o ” א ” e, somando-se os valores do Vav e dos dois Yuds ( 6 + 10 +10 ), temos 26 … que é o valor do tetragrama do nome de Deus ( יהוה ). Sendo assim, na palavra emet ( אמת ), se você retirar o Alef, que representa Deus, sobra ( מת ) … esta é uma palavra para “morto” ( מת ) … ou seja, quando você remove Deus da verdade ( אמת ), o resultado é morte ( מת ).

Portanto, o conceito hebraico de verdade é existencial … está intrinsicamente ligado ao SENHOR, o Autor e Criador da vida: a verdade que não é vivida não é realmente verdade. Falar a verdade ( dibbur emet ) e abominar a desonestidade são atos considerados fundamentais para a vida moral, como diz o SENHOR: “Falai a verdade ( דַּבְּרוּ אֱמֶת ) uns aos outros; fazei justiça verdadeira e perfeita em seus portões” (Zacarias 8:16). Jesus diz repetidamente, “Amém, amém ( em verdade, em verdade ) Eu digo a vocês …“, para sublinhar a confiabilidade e a certeza da verdade de Deus (Mateus 5:18, 26, etc.) e, na verdade, Ele mesmo é chamado de “o Amém, a testemunha fiel e verdadeira” (Apocalipse 3:14).

Quando se olha o hebraico na sua forma mais antiga, através de pictogramas ( vide imagem anterior ), vemos que verdade é formado por um Alef, representado por uma cabeça de boi ( simbolizando o mais forte, força, poder, liderança ), por um Mem representado por águas ( simbolizando caos, nações, sangue ) e por um Tav, representado por uma cruz ( simbolizando marca, sinal ). Quando pegamos o significado de cada letra, como já vimos anteriormente, podemos inferir que a verdade no seu sentido mais profundo da simbologia é: “Deus ( o mais forte ) derramando o Seu sangue numa cruz“.

Que o SENHOR lhe abençoe!

Buscar a Face de Deus e Encontrar Seu Propósito

A palavra hebraica para “mundo” ou “eternidade” é `olam ( עוֹלָם ), que é derivado de um verbo raiz ( עָלַם, `alam ), que significa “ocultar” ou “esconder“. O SENHOR “esconde” o Seu rosto de nós, para que nós O busquemos, e o termo buscar é no sentido de procurar de um forma intensa até O encontrar. Muito antes do tempo do filósofo Platão, o rei Davi proclamou que havia uma “linha divisória” entre o reino do mundo temporal e reino do mundo oculto e eterno.

O mundo temporal é finito, sujeito a alterações, mas que aponta para além de si, para um mundo eterno, que é a fonte da verdadeira importância, do significado da própria vida. “… não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.” (2 Cor. 4:18).

Portanto o Rei Davi disse, בַּקְּשׁוּ פָנָיו תָּמִיד / bakeshu fanav tamid: “Buscai o SENHOR e o Seu poder; buscai perpetuamente a Sua face (presença)” (Salmo 105:4). Saiba que o valor numérico para a palavra “fanav” (isto é, “o rosto“) é o mesmo que o descrito para a palavra “`olam“. Quando verdadeiramente buscarmos a face de Deus (isto é, a Sua presença), seremos então capazes de discernir o propósito oculto e fundamental para as nossas vidas.

Obras e “Obras” … no Grego

Quando as Escrituras usam o termo “obras” no Novo Testamento é importante ter a noção de que a palavra traduzida como “obras”, por vezes, tem mais de uma fonte no grego e, devido a isso, podem haver implicações distintas que mostram muito mais pelo original do que conseguimos perceber na tradução. Como exemplo, cito esses dois termos traduzidos como “obras” em várias versões, mas que possuem algumas distinções em seus significados. Como alguns não conhecem o grego e as fontes, acabam achando que, pelo termo “obras” usado no português, ambas se referem exatamente às mesmas coisas, mas a conotação é um tanto distinta. No primeiro exemplo abaixo é apresentado um termo em grego para “obras” que é usado de forma muito menos frequente do que no segundo, mas que mesmo assim é interessante de se conhecer …

Porque o Filho do Homem há de vir na glória de Seu Pai, com os Seus anjos, e, então, retribuirá a cada um conforme as suas obras.” (Mateus 16:27)

Muitos dos que creram vieram confessando e denunciando publicamente as suas próprias obras.” (Atos 19:17)

A palavra traduzida como “obras” nestes versículos anteriores vem do grego “πραξις” (praxis) que significa: 1) ato, modo de agir, negociação, transação 1a) os atos dos apóstolos 1b) num mau sentido, obras más, crime, feitos perversos (nossa prática, i. e., artifício) 2) algo que precisa ser feito, negócio.

Agora, como um outro exemplo, é utilizado outro termo traduzido como “obras”, de uma forma mais comum, nestes versículos a seguir …

Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo. Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará. Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão; se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo.” (1 Coríntios 3:11-15)

Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.” (Efésios 2:8-9)

Continue o injusto fazendo injustiça, continue o imundo ainda sendo imundo; o justo continue na prática da justiça, e o santo continue a santificar-se. E eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras.” (Apocalipse 22:11-12)

O termo traduzido como obras nestes versículos anteriores vem do grego “εργον” (ergon), proveniente de uma palavra primária: ergo (trabalhar); que significa: 1) negócio, serviço, aquilo com o que alguém está ocupado. 1a) aquilo que alguém se compromete de fazer, empreendimento, tarefa 2) qualquer produto, qualquer coisa efetuada pela mão, arte, indústria ou mente 3) ato, ação, algo feito: a idéia de trabalhar é enfatizada em oposição aquilo que é menos que trabalho.

Conseguiu perceber as distinções entre “πραξις” (praxis) e “εργον” (ergon)?! Por isso é importante ir um pouco além ao se estudar as Escrituras para se conhecer até mesmo a terminologia com mais detalhes para perceber porque o tradutor escolheu determinados termos ao produzir a versão no Português e isso, às vezes, ajuda a entender o contexto de uma forma mais abrangente e, até mesmo, a não se confundir os seus significados e assim não se criar doutrinas ou interpretações equivocadas.

Que o SENHOR lhe abençoe e lhe proporcione a Sua paz que excede todo o entendimento! 🙏🖖

A Torah Dentro de um Coração

 

As indicações de que o SENHOR sempre quis que as Suas instruções ( Torah ) estivessem escritas em nosso coração são muitas; uma delas como se pode perceber está no texto da Nova Aliança escrita em Jeremias …

Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o SENHOR: Na mente, lhes imprimirei as Minhas leis ( תורה torah ), também no coração ( לב leb ) lhas inscreverei; Eu Serei o seu Deus, e eles serão o Meu povo.” (Jeremias 31:33)

Mas há um indicativo ainda anterior ao de Jeremias cunhado na própria Torah ( os livros de Gênesis a Deuteronômio ), e isso a partir da forma como a mesma foi escrita … veja abaixo a primeira e a última linha em hebraico da Torah ( no hebraico lê-se da direita para a esquerda ):

בְּרֵאשִׁ֖ית בָּרָ֣א אֱלֹהִ֑ים אֵ֥ת הַשָּׁמַ֖יִם וְאֵ֥ת הָאָֽרֶץ׃
(Gênesis 1:1)

וּלְכֹל֙ הַיָּ֣ד הַחֲזָקָ֔ה וּלְכֹ֖ל הַמּוֹרָ֣א הַגָּד֑וֹל אֲשֶׁר֙ עָשָׂ֣ה מֹשֶׁ֔ה לְעֵינֵ֖י כָּל־יִשְׂרָאֵֽל׃
(Deuteronômio 34:12)

Perceba que a última letra é ל ( Lamed ) e a primeira é ב ( Bet ) … quando as colocamos juntas temos לב ( leb ), a palavra hebraica para “coração“. Ou seja, a própria Torah está escrita dentro de um לב ( dentro de um coração, לב ).

A beleza do design divino nos mínimos detalhes das Escrituras é algo maravilhoso e deslumbrante, sendo também útil para nos ensinar qual é a vontade do SENHOR … sendo assim, busque encher-se de toda a Palavra do SENHOR … na sua mente e no seu coração ( לב )!!!

Que o SENHOR lhe ilumine e lhe dê a Sua paz que excede a todo entendimento! 

A Poda Que Nos Faz Crescer

Eu Sou a videira verdadeira, e Meu Pai é O agricultor. Todo ramo que, estando em Mim, não der fruto, Ele o corta; e todo o que dá fruto limpa ( καθαιρω kathairo ), para que produza mais fruto ainda” (João 15:1,2).

Nessa passagem, o termo em grego usado para “limpa” é καθαιρωkathairo“, o qual significa limpar a sujeira, a impureza, podar árvores e videiras dos rebentos desnecessários.

Se você dá frutos, você certamente experimentará períodos de limpeza, um “processo de purga“, um “processo de poda“; e isso muitas vezes significa sofrer aflições … isso pode parecer um retrocesso, afinal por que um ramo frutífero precisa ser reduzido através da poda?!

Na verdade, esse tipo de sofrimento não está destinado para uma pessoa má, mas para a alma justa que confia em Deus. Purgar, podar … é algo doloroso, mas também é purificador, visto que irá produzir um novo e maior crescimento dentro de nossos corações.

Jesus ensinou: “Bem-aventurados os limpos ( καθαρος katharos ) de coração, porque verão a Deus” (Mateus 5:8). A palavra grega traduzida como “limpos” nesse texto é καθαροςkatharos“, que significa limpo, puro, purificado pelo fogo … algumas vezes esse termo καθαροςkatharos” era utilizado para descrever a limpeza de uma ferida (catarse), ou para descrever a qualidade de uma substância que era revelada através do fogo refinado.

Nós deveríamos nos “regozijar” nas tribulações, nas aflições, nas provações; porque este é o caminho do crescimento real, de uma esperança sustentada e da revelação do profundo amor de Deus, como está escrito …

E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança” (Romanos 5:3,4).

Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação” (2 Coríntios 4:17)

Mesmo em nossas aflições e tribulações, nós recebemos o consolo celestial que nos ajuda a perseverar … e a consolar outros em similar situação … como está escrito …

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É Ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus. Porque, assim como os sofrimentos de Cristo se manifestam em grande medida a nosso favor, assim também a nossa consolação transborda por meio de Cristo. Mas, se somos atribulados, é para o vosso conforto e salvação; se somos confortados, é também para o vosso conforto, o qual se torna eficaz, suportando vós com paciência os mesmos sofrimentos que nós também padecemos” (2 Coríntios 1:3-5).

Estamos sendo “desmamados” desta era presente para estarmos preparados para a glória celestial da era futura, para coisas incrivelmente maravilhosas que logo serão reveladas a você. Mantenha a sua perseverança e a sua esperança na bondade e no profundo amor do SENHOR.

Deus lhe console e abençoe!

Os Estatutos do SENHOR Gravados no Coração

A palavra hebraica “choq” ( חק ) significa “estatuto, ordenança, lei, decreto divino”, e é derivada de um verbo que significa “gravar, estabelecer” ( חָקַקchaqaq” ). Os sábios dizem que esse vínculo entre as palavras está relacionada a um desejo de fazer a vontade de Deus, de cumprir os Seus “estatutos” que estão “gravados” no coração ao invés de serem simplesmente entendidos com o intelecto …

estando já manifestos como carta de Cristo, produzida pelo nosso ministério, escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações.” (2 Coríntios 3:3)

Na instituição da Páscoa, em Êxodo 12, o texto enfatiza: “Guardai, pois, isto por estatuto ( חק choq ) para vós outros e para vossos filhos, para sempre” (Êxodo 12:24). O sacrifício do cordeiro pascal revela a salvação ( YeshuahJesus” ) de Deus, e devemos gravar ( חָקַקchaqaq” ) o significado de nossa libertação dentro de nossos corações para sempre, assim como o próprio Deus nos tem gravado, como está escrito:

Eis que nas palmas das minhas mãos te gravei ( חקק chaqaq )” (Isaías 49:16a).

Por isso, sobre a Nova Aliança, o SENHOR escreve:

Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne. Porei dentro de vós o Meu Espírito e farei que andeis nos Meus estatutos ( חק choq ), guardeis os Meus juízos e os observeis.” (Ezequiel 36:26,27)

Com a Nova Aliança, realizada em Cristo (Mateus 26:26-28), somos uma “Nova Criatura”, temos um espírito novo e o Espírito do SENHOR que “grava” ( חקק chaqaq ) em nossos corações, agora de “carne” ( “boas-novas” ), os Seus “estatutos” ( חק choq ) para os guardarmos e observarmos.

Que o SENHOR lhe abençoe e ilumine!!!