O que Bíblia diz Sobre o Futuro da Faixa de Gaza?

Como o foco do mundo está fixo agora na Faixa de Gaza, os estudantes da Bíblia fariam bem em parar e considerar o que os antigos profetas hebreus tinham a dizer sobre o futuro deste pequeno pedaço de terra. Vamos considerar algumas passagens. Primeiro, de acordo com as Escrituras, o retorno de Jesus e o julgamento subseqüente será em grande parte ao redor do que o profeta Isaías chamou de “a causa jurídica“, ou “a controvérsia de Sião“:

Pois o Senhor tem um dia de vingança, um ano de retribuições pela causa de Sião… (Isaías 34:8)

Sem dúvida, hoje a “controvérsia de Sião” atinge a todas as nações, enquanto o estado de Israel tenta esmagar o domínio do Hamas sobre Gaza, um grupo com o objetivo declarado de exterminar o povo judeu e de criar a sua capital em Jerusalém.

Segundo vários profetas, a polêmica só vai se intensificar à medida em que se aproximar o retorno de Jesus, quando uma vasta coalizão de nações invadirá Israel e cercará a cidade de Jerusalém, buscando cometer o genocídio final contra o povo judeu. O profeta Joel nos diz que o Senhor executará julgamento contra todas as partes envolvidas nesta invasão e, (mais…)

Israel: o maior aliado do povo palestino

Matt Barber

 

Israel não é manso.

Mas é bom.

Se um caçador atira flechas contra um grupo de leões que estão dormindo, os leões é que têm culpa se despertarem e se defenderem?

O que dizer de um atirador quando ele, intencionalmente, se esconde atrás das saias de sua própria mulher e filhas, esperando — aliás, rezando — para que essas preciosas almas morram inadvertidamente como consequência?

Alguém diria que se trata de um covarde, um idiota e um monstro.

Tais são os homens do Hamas, do Hezbollah e da Autoridade Palestina — todos terroristas. Eles, propositadamente, sacrificam seus próprios cidadãos.

Existem dois culpados pelas trágicas perdas de vidas tanto em Gaza como em Tel Aviv: o islamismo em geral e o Hamas em particular. Não há equivalência moral nesse furioso conflito de Gaza.

Só existe o bem e o mal.

Israel, embora não seja perfeito, é bom. O Hamas é mau. Israel ama a vida. Hamas ama a morte.

Mas não acredite nisso pela minha palavra. Em 2008, Fathi Hamad, líder político do Hamas, (mais…)

Cristãos Iraquianos Expulsos de Mosul pelo Califado Islâmico

Desde o ano passado tenho acompanhado o crescimento do ISIS na região da Síria e Iraque e, à época, já se esperava que, se eles tivessem sucesso, isso resultaria em forte perseguição aos cristãos da região. Infelizmente o pior ocorreu e a Sharia (lei Islâmica) agora impera na região do agora IS (Estado Islâmico). Apenas em Mosul, onde antes haviam cerca de 60.000 cristãos, atualmente não há mais nenhum, ou foram mortos, ou expulsos ou negaram a fé para se tornarem Islâmicos. A mídia, em geral, nem aborda o assunto, se o faz, é por poucos segundos ou em poucas linhas. Oro ao nosso Deus para que o Seu Braço Forte alcance a essas famílias, os consolem e os auxiliem. Não é fácil, para um cristão, viver sob a Sharia (lei Islâmica), o preço para quem vive sob esse regime é tão alto que pode vir a lhe custar a vida, principalmente quando você decide não negar a Cristo. Se você puder, contribua, existem programas de ajuda disponíveis que permitem doações e auxílio a pessoas nessa situação, seu braço pode não ser tão pequeno como imagina.

Como assistir a uma entrevista dessas e não sentir a dor, a tristeza, o desalento de ver pessoas, idosos e crianças, expulsas de suas casas e vidas pelo “crime” de ser Cristão e (mais…)

Putin é pior do que Stálin?

Pat Buchanan

 

Em 1933, o Holodomor (a Grande Fome) estava ocorrendo na Ucrânia.

Depois que os “kulaks,” os fazendeiros independentes, haviam sido liquidados na coletivização forçada da agricultura soviética, uma fome genocida foi imposta sobre a Ucrânia através da apreensão de sua produção de alimentos.

O número de mortos foi estimado entre 2 a 9 milhões de pessoas.

Walter Duranty, jornalista do jornal New York Times, que chamou os relatórios sobre a fome de “propaganda maligna,” ganhou um prêmio Pulitzer por sua mentira.

Em novembro de 1933, durante o Holodomor, o maior esquerdista entre todos, o presidente Franklin Delano Roosevelt, convidou o ministro do Exterior Maxim Litvinov para receber, em nome de seu mestre Stálin e do seu regime assassino, um reconhecimento oficial dado pelo governo dos EUA.

Em 1 de agosto de 1991, apenas quatro meses antes da Ucrânia declarar a sua independência da Rússia, (mais…)

Escatologia – As Festas Judaicas e seus Significados Proféticos

Eu estou trabalhando num artigo sobre os diversos sinais escatológicos que podemos observar na época atual, mas antes disso acredito ser fundamental explicar o significado profético das Festas Judaicas. Infelizmente, para uma grande parte dos Cristãos atuais, as passagens de Levíticos 23 onde estão as ordenanças das Festas, são maçantes textos relacionados a cultura judaica apenas, sem maior significado. Grande engano, há muito mais por detrás dessas Festas do que muitos imaginam.

Primeiramente, repare que em Levítico 23.1, Deus define as festas para serem fixas e como santas convocações, ou seja, são convocações para uma assembléia sagrada para seu povo, uma espécie de ensaio geral e, se é algo sagrado e foi instituído pelo próprio Deus, não podemos ignorar sua importância. Os Cristãos não tem nenhum dever ou compromisso  de observar ou celebrar  essas festas, mas o entendimento do seu significado traz um ganho tremendo para a Fé. Jesus, como um judeu justo, celebrou as festas, como pode-se observar nos registros dos evangelhos, inclusive (mais…)

Dica de Livro – O Presságio (The Harbinger)

Este é um livro muito, mas muito interessante (veja aqui) e, importante, não tem nada a ver com o filme Presságio, estrelado por Nicolas Cage, apesar do nome e da capa do livro lembrarem o do filme. Talvez este seja um dos motivos de, no Brasil, muitos olharem o livro e fazerem a confusão, deixando-o então de lado. Na verdade o livro baseia-se nas interpretações e pesquisas do Rabino Messiânico Jonathan Cahn referentes aos acontecimentos ocorridos desde 11 de setembro de 2001 nos EUA até dias mais recentes, comparando estes acontecimentos aos mesmos padrões de tratamento de Deus com Israel, descritos em Isaías 9:10.

O autor decidiu colocar os fatos reais pesquisados, referentes aos atentados e crises ocorridas nos EUA desde 2001, e os apresentar no livro na forma de uma história fictícia, baseada em um personagem que descobre estes fatos de uma forma muito misteriosa, relacionando os eventos atuais a similares ocorridos a mais de 3.000 anos atrás. Dessa forma ele mescla os fatos reais (mais…)

Agenda Gay? Que Agenda Gay?

Scott Lively

Fazer menção do termo “agenda gay” na presença de um ativista LGBT ou em qualquer outro contexto cultural marxista é o mesmo que puxar a corda do boneco do Xerife Wood (personagem de Toy Story). Você ouve precisamente a mesma gravação a cada vez: “Que agenda gay? Não existe agenda gay.”

Mas, como é óbvio, a audaciosa mentira que o movimento político LGBT, que agora é mundial, tem sobre “não ter agenda” é tão transparente quanto as roupas novas do imperador. Aliás, a sua agenda não só é inegável, como também, infelizmente, já se tornou inevitável.

A agenda é apenas um plano ou uma lista de interesses a serem realizados por uma pessoa ou um grupo relacionado a um objetivo estratégico a ser alcançado. Por definição, cada pessoa ou grupo com um objetivo tem sua agenda.

O objetivo original do movimento “gay” foi melhor resumido por Dale Jennings da “Mattachine Society” (uma das primeiras organizações homossexuais dos EUA) e que era “o direito de não ser incomodado.” Esse objetivo pode ser traduzido como “tolerância.” Eu penso que é justo dizer que a vasta maioria dos líderes e ativistas pró-família (mais…)