Fé Genuína

A fé genuína ( em hebraico אֱמוּנָה, emunah ) tanto “vê o que é invisível” ( 2 Coríntios 4:18, “não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas” ) quanto compreende que a forma atual deste mundo passará” ( 1 Coríntios 7:31 ). Observe pela figura deste artigo que o termo “emunah” pode descrever tanto crença quanto fidelidade/firmeza, por isso que no hebraico a primeira menção do termo ocorre em Êxodo 17:12 quando fala das “mãos firmes ( ‘emuwnah )” de Moisés e por isso que no termo correlato grego, que é pistis “πιστις”, na relação das virtudes de Gálatas 5:22, algumas versões bíblicas colocam “” e outras “fidelidade” como sendo a virtude mencionada, visto que no grego o termo possui significados similares ao hebraico.

O que isso implica é que a fé verdadeira não reflete unicamente uma crença ou convicção de verdade “vazia” em si mesma, ou seja, uma fé genuína reflete firmeza e fidelidade àquilo que se crê. A manifestação de uma fé verdadeira começa por uma crença, uma convicção da verdade de algo, e porque essa convicção é real, naturalmente seguem-se ações que demonstram firmeza e/ou fidelidade ao que se acredita. Em termos bíblicos, esse conceito pode ser observado nos ditos de Tiago … “Assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta.” ( Tiago 2:17 ).

Dessa forma, a fé verdadeira vai além de uma mera “crença” vazia, ela necessariamente é seguida por ações de fidelidade, firmeza e confiança que confirmam a sua crença original e assim ela descansa na mão providencial de Deus sobre o caos e o fluxo da criação. Os olhos da fé contemplam a presença de Deus e o Seu reinado sobre todos os assuntos deste mundo. Na verdade, é apenas através da fixação de nossa esperança sobre o que é eterno que nós somos capazes de apreender, com a devida razão, a natureza do próprio mundo temporal. Na verdade, a palavra emunah ( אֱמוּנָה ) compartilha da mesma raiz que a palavra hebraica para verdade ( אֱמֶת, emeth ), isso reitera que a “fé verdadeira” é confirmada pela fidelidade e firmeza à crença que a originou.

Nesse sentido “ver pelos olhos da fé“, “ver o que é invisível” é um tipo mais fundamental de “visão“, já que a fé percebe além do que se pode enxergar com os olhos naturais, ela se baseia na verdade da Palavra de Deus para poder “ver” o que é eternonossa esperança descansa naquEle que nos é “invisível”, o nosso Pai Celeste, o qual Se revelou através do Seu Filho e que testifica essas verdades em nosso espírito através do Seu Espírito que agora em nós habita.

Louvado seja o SENHOR!!! 🙏❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *