O Deus que Se Oculta, a Fé e a Sua Relação com o Espaço-Tempo

.
A palavra hebraica “עלמּ`olam, significa longa duração, eternidade, mundo físico.
 
Esta única palavra aparece na Bíblia, com variações, não menos que 437 vezes. Na língua hebraica, `olam ( עלמּ ) representa tanto a dimensão física quanto a dimensão do tempo – relacionando-se, especificamente, com sua propriedade “ilimitada”. Assim, `olam ( עלמּ ) significa, simplesmente, “mundo físico” ( tudo o que existe ), mas também fala de “tempo“, “eternidade” ( relacionado ao tempo sem limites ), ou o tempo decorrido desde o início dos tempos até a eternidade.
 
Não deixa de ser curioso e até espantoso ver essa inter-relação entre a dimensão física e o tempo numa única palavra em hebraico há milhares de anos, pois somente recentemente a ciência, por meio da mente brilhante de Einstein, alcançou o entendimento dessa relação conjunta do espaço-tempo através da Teoria da Relatividade, a qual revolucionou a física fornecendo uma descrição unificada da gravidade como uma propriedade geométrica do espaço e do tempo, ou espaço-tempo. Mais uma vez uma descoberta da ciência moderna aponta para algo já descrito de forma cifrada nas Escrituras há muitos milênios.
 
A palavra `olam ( עלמּ ) é derivada da raiz “עלמּ`alam, que significa ocultar, esconder, ser escondido, ser ocultado, ser secreto. Na língua hebraica, essa raiz é origem de muitas palavras, todas com um senso comum: ser escondido, ocultado. Exemplos incluem “העלם” healem ( esquecimento, desaparecimento ), “תעלמה” ta`alummah ( mistério, segredo ), “להעלים” le-halim ( esconder ) e “להתעלם” le-hitalem ( ignorar, agir como se algo é inexistente ).
 
Olhando o sentido da palavra no seu significado mais concreto como era utilizado nos primórdios pelo povo hebreu, `olam ( עלמּ ) significa “além do horizonte“, apontando para algo distante e escondido, tanto fisico quanto temporal, por isso a relação de `olam ( עלמּ ) com sua raiz `alam ( עלמּ ).
 
Você pode então justificadamente perguntar: Qual é a conexão entre “mundo” e “ocultação”? A resposta está escondida no clamor do profeta Isaías a Deus …
 
Verdadeiramente, Tu és Deus que Se oculta ( Se esconde, misterioso ), ó Deus de Israel, ó Salvador.” (Isaías 45:15)
 
O tema do Deus oculto é repetido inúmeras vezes na Bíblia. Por exemplo, quando Moisés pede a Deus “Mostre-me a Tua glória” (Êxodo 33:18), a resposta que ele recebe é …
 
Não Me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a Minha face e viverá. Disse mais o SENHOR: Eis aqui um lugar junto a Mim; e Tu estarás sobre a penha. Quando passar a Minha glória, Eu te porei numa fenda da penha e com a mão te cobrirei, até que Eu tenha passado. Depois, em tirando Eu a mão, Tu Me verás pelas costas; mas a Minha face não se verá.” (Êxodo 33:21-23).
 
A tradição judaica interpreta isso implicando que a presença de Deus pode ser evidenciada pelas coisas que já ocorreram no passado (“Tu Me verás pelas costas“), entretanto, a própria existência de Deus está escondida dos olhos. Isso é muitas vezes comparado com o fato de que se pode ver o corpo humano, em suas várias manifestações, mas não a alma e o espírito que reside dentro de cada um. Da mesma forma como no Tabernáculo de Moisés no deserto, onde o Pátio ( que simboliza o corpo ) poderia ser visto abertamente, mas o Lugar Santo ( que representa a alma) e o Lugar Santíssimo ( que representa o espírito ) ficavam escondidos pelas várias coberturas e os véus do Santuário. Por isso o autor de Hebreus escreve que o caminho ao SENHOR foi por meio da destruição do véu ( a cobertura que simboliza a carne … nesse caso a carne de Jesus que escondia a Sua natureza divina ) que esconde o Santuário …
 
Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que Ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela Sua carne” (Hebreus 10:20)
 
O sentido e o uso da palavra `olam ( עלמּ ) agora se torna claro: o mundo inteiro é uma manifestação do oculto de Deus. Deus está no mundo, mas o mundo inteiro é também um testemunho do Deus que Se esconde ( Isaías 45:15 ) e isso para que o homem sempre tenha que fazer uso da fé, porque …
 
… sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que se torna galardoador dos que O buscam.” (Hebreus 11:16)
 
O design na palavra hebraica para “mundo” e “eternidade” agora torna-se óbvio: em uma única palavra, `olam ( עלמּ ), está descrito toda a criação que envolve o mundo físico e o tempo, percebidos na física moderna pela relação espaço-tempo que rege o universo, mas que também fala do Criador de todas as coisas e que Se esconde, que Se oculta para que o homem possa fazer uso de seu poder de escolha e busque ou não ter um relacionamento com aquEle que o criou.
 
Recomendo que você busque ao SENHOR enquanto ainda pode, como está escrito …
 
Buscai o SENHOR enquanto se pode achar, invocai-O enquanto está perto. Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo, os seus pensamentos; converta-se ao SENHOR, que Se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar.” (Isaías 55:6,7)
 
O SENHOR está muito perto de você, não se deixe enganar pelo véu do espaço-tempo dessa criação, pois escondido atrás desse véu está o Criador, esperando para lhe encontrar e mudar a sua vida de uma forma como você nunca poderia imaginar e lhe mostrar o bom propósito que Ele tem para a sua vida.
 
Que Deus lhe abençoe e lhe ilumine!🙏❤️

Jesus Cristo “Escondido” no Salmo 22

O Salmo 22 é muito conhecido, ainda mais porque Jesus o cita quando está na cruz: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Sl 22:1); muitos ainda interpretam erroneamente as palavras de Jesus naquela hora, porém naquele momento Jesus estava também passando uma mensagem aos ouvintes, tal como faziam os Rabinos da época que citavam um trecho das Escrituras para que os seus ouvintes entendessem o contexto ao que se referia e queria ensinar ou enfatizar. Da mesma forma Jesus estava dizendo, com a citação do Salmo 22, que o que ocorria naquele momento estava descrito neste Salmo … e não é por acaso que o Salmo cita, por exemplo:

Todos os que me vêem zombam de mim; afrouxam os lábios e meneiam a cabeça: Confiou no SENHOR! Livre-o Ele; salve-o, pois nEle tem prazer.” (Salmo 22:7,8)

Cães me cercam; uma súcia de malfeitores me rodeia; traspassaram-me as mãos e os pés.” (Salmo 22:16)

Repartem entre si as minhas vestes e sobre a minha túnica deitam sortes.” (Salmo 22:18)

Hão de vir anunciar a justiça dEle; ao povo que há de nascer, contarão que foi Ele quem o fez.” (Salmo 22:31)

Estes são apenas exemplos que mostram que o Salmo 22 descreve o que ocorria naquele momento da cruz com uma riqueza de detalhes que poucos percebem, visto que parte da brutalidade da crucificação e do movimento alucinante que estava ocorrendo no mundo espiritual estão ali descritos, pois cada verso esconde eventos e acontecimentos que estavam se passando naquele momento da cruz e o resultado de tudo isso que seria visto na posteridade, como enfatiza o último verso do Salmo. Além disso, cabe lembrar que 22 aponta para a última letra do alfabeto hebraico, a letra Tav ( ת ), só que essa letra originalmente, no proto-hebraico, era um pictograma … o símbolo de uma cruz (“✝️”), então literalmente o Salmo 22 é o Salmo da ✝️.

Outro dia, permitindo o SENHOR, talvez eu aborde mais detalhes dessas questões em outros artigos. Aqui eu quero mostrar que o SENHOR intencionalmente colocou no texto em si do Salmo 22, literalmente, codificado o nome do Messias, de Jesus no hebraico … escondido no texto várias e várias vezes. Para isso eu vou usar como chave para decifrar o código a famosa técnica de “Sequência de Letras Equidistantes” sobre o texto em hebraico original, como você pode perceber na imagem que está no início deste artigo.

No hebraico da imagem acima, o título do Salmo é considerado o primeiro verso e faz parte do mesmo, como está nos originais, um pouco diferente do que temos em nossa Bíblia em Português que não começa dessa forma, por isso a diferença entre os versículos da imagem e os da Bíblia em Português. Sendo assim, observando a imagem, perceba que:

– No versículo 7 da imagem acima  ( “Mas eu sou verme e não homem …“, versículo 6 da versão em Português ) … em hebraico ואנכי תולעת ולא־איש, começando pela letra Yud ( י ), a última letra da palavra ואנכי, pegando uma letra a cada 11 letras (da direita para a esquerda) nós vemos a palavra ישוע = ( Yeshua = Jesus ). Você pode ver isso destacado pelos quadrados vermelhos na imagem do artigo.

– No versículo 12 da imagem acima ( “… e não há quem me acuda“, versículo 11 da versão em Português ) … em hebraico כי־אין עוזר, começando pela letra do meio na palavra אין, pegando uma letra a cada 45 letras (da esquerda para a direita), nós vemos as palavras ישוע משיח = ( Yeshua Mashiah = Jesus Messias = Jesus Cristo ). Você pode ver isso destacado pelos quadrados azuis na imagem do artigo.

– No versículo 15 da imagem acima ( “… e todos os meus ossos se desconjuntaram“, versículo 14 da versão em Português ) … em hebraico והתפרדו כל־עצמותי היה, começando pela letra do meio na palavra היה, pegando uma letra a cada 26 letras (da direita para a esquerda) nós vemos a palavra ישוע = ( Yeshua = Jesus ). É interessante ressaltar aqui que o número 26 é especial e significativo, pois é o valor do nome sagrado de Deus em hebraico יהוה, como está no versículo “Confiou no SENHOR [ יהוה ]” (Salmo 22:8). Você pode ver isso destacado pelos quadrados verdes na imagem do artigo.

– No versículo 15 da imagem acima. Começando pela primeira letra Mem ( מ ) na última palavra ( מעי ) do versículo, pegando uma letra a cada 9 letras (da direita para a esquerda) nós vemos a palavra משיח = Mashiah = Messias = Cristo ). Você pode ver isso destacado pelos quadrados laranjas na imagem do artigo.

Vou parar por aqui, acredito que você já percebeu como o SENHOR codificou diversas mensagens nos textos, à exemplo do que vimos agora. Mas nesse texto do Salmo 22 há ainda muito mais do que isso que apresentei aqui, nele você pode ainda encontrar vários termos: sua cruz, Torah, suas mãos, seus pés, seus inimigos, entre muitos outros; porém não quero tornar esse artigo ainda maior, a idéia é que você perceba que as Escrituras escondem em si muito mais do que aparenta e tudo isso aponta cada vez mais para o SENHOR que é Majestoso e Glorioso como nenhum outro.

Como está escrito …

A glória de Deus é encobrir as coisas, mas a glória dos reis é esquadrinhá-las.” (Provérbios 25:2)

Teu, SENHOR, é o poder, a grandeza, a honra, a vitória e a majestade; porque Teu é tudo quanto há nos céus e na terra; Teu, SENHOR, é o reino, e Tu Te exaltaste por chefe sobre todos. Riquezas e glória vêm de Ti, Tu dominas sobre tudo, na Tua mão há força e poder; Contigo está o engrandecer e a tudo dar força.” (1 Crônicas 29:11,12)

Que o SENHOR lhe abençoe com sabedoria e conhecimento! 🙏❤️

 

Uma Análise Inusitada de João 3:14-16

Eu sei que essa expressão vinda de mim pode parecer repetitiva, mas eu não me canso de me surpreender e afirmar: “A Bíblia é um livro único, fantástico, que aponta para o Seu Autor … Maravilhoso, Único e Inigualável“!

Quando você analisa de maneira profunda os textos das Escrituras é como mergulhar na majestade e nas riquezas do SENHOR. Veja esse texto famosíssimo de João, por exemplo …

E do modo pelo qual Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo o que nEle crê tenha a vida eterna. Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:14-16)

Aqui está a síntese de todo o evangelho e uma análise desse texto por si já preencheria muitos livros. Entretanto, para não tornar esse artigo um livro, eu vou fazer uma análise relativamente breve e não comum desse texto em vários aspectos. Por isso na imagem acima deste artigo está o texto de João 3:14-16 no grego original com uma versão interlinear do Português relacionado a cada palavra de maneira mais bruta no seu significado para cada termo e ainda também o valor de cada palavra usada nesse texto, pois no grego, assim como no hebraico, cada letra representa um valor numérico.

Essa visualização matemática, além da literal dos textos, é permeada de padrões interessantes e que apresentam um design, uma “marca d’água” divina que acaba por dar suporte à mensagem literal do texto, mostrando que toda Escritura, tanto no grego quanto no hebraico, fazem parte de uma enorme “engrenagem” única da revelação do SENHOR.

Cabe observar então algumas considerações interessantes sobre esse espetacular capítulo de João 3 …

– O próprio número 3 por si mesmo já aponta para a manifestação trina do Criador, algo que pode ser percebido desde Gênesis 1:1 por aqueles que analisam os textos com mais profundidade, ainda mais porque Gênesis 1:1 tem o valor de 2.701, que nada mais é que 37 x 73 … o valor da palavra Sabedoria em hebraico ( חכמה chokmah ), tanto pelo valor ordinal quanto numérico … além disso 37 x 73 numericamente diz: Trindade) Perfeita) Perfeita) Trindade). Acaso?! Se analisar esse texto de Gn 1:1 ainda mais, verá que não há acaso nisso.

– O capítulo 3 de João é o milésimo capítulo das Escrituras e 1.000 pode ser representado por: 10 x 10 x 10, o número 10 nas Escrituras fala da Lei e da manifestação completa de algo. Observando então o valor da criação completa, citado no item anterior, 2.701, a soma dos algarismos é também 10 ( 2 + 7 + 0 + 1 ). Outro exemplo de que 10 representa a manifestação completa de algo é o número 50 que é 5 x 1050 fala do Jubileu e 5 da graça, portanto, o 50 é a manifestação completa da graça, por isso no ano de Jubileu era dada liberdade aos cativos, o perdão de todas as dívidas e o retorno das terras aos seus donos; e por isso Jesus usa Isaías 61 que fala do Jubileu como anúncio das Boas-Novas nesse período da graça sobre graça.

– O capítulo 3 expressa o texto áureo das Escrituras, a essência da mensagem do evangelho. Observando a partir de João 3, antes dele existem 999 capítulos … 999 pode ser expresso matematicamente como: 3 x 3 x 3 x 37 ( lembrando do que já discutimos no primeiro item, os número 3 e 37 seriam então apenas um outro acaso ou design? ). Além disso, de João 3 até Apocalipse 22 temos 189 capítulos … 189 pode ser expresso matematicamente como: 3 x 3 x 3 x 7 ( outra vez, acaso ou design? ).

– O valor de João 3:16, como se pode ver na imagem quando se analisa apenas esse versículo, possui também um valor único: 13.679 … e é único porque é um número primo! Observe os algarismos desse número primo: 1 ( fala de Deus como unidade ), 3 ( fala da manifestação trina de Deus ), 6 ( fala do homem e da criação que precisam de resgate ), 7 ( fala da perfeição ) e 9 ( aponta para a verdade imutável, pois para qualquer número multiplicado por 9, a soma de seus algarismos sempre será 9 ). Não seria essa a mensagem de João 3:16?! O Deus que se manifesta no Pai, Filho e Espírito para levar o homem à Sua perfeição por meio da Verdade, que é Cristo?! A matemática divina dos textos não é linda?!

– O texto de João 3:14-16, apresentado na imagem deste post contém 50 palavras … 5 x 10 … como vimos anteriormente, fala da manifestação plena da graça de Deus. Além disso o valor desse texto por completo é 34.188777 x 22 x 2 … ou ainda: 3 x 7 x 37 x 22 x 2 … já falamos do 3, do 7 e do 37 anteriormente e o mesmo aqui se aplica … o número 22 aponta para as 22 letras do alfabeto hebraico, sendo a letra 22 o “tav” ( ת ), só que essa letra originalmente, no proto-hebraico, era um pictograma … o símbolo de uma cruz (“✝️”) … e o 2 fala da morte e ressurreição de Cristo. Somando tudo isso, podemos inferir a mensagem matemática de João 3:14-16 … Deus, por meio de sua manifestação do Pai, Filho e Espírito ( 3 ) é Perfeito ( 7 ) e em Sua sabedoria ( 37 ) por meio da cruz ( 22 ) proporcionará salvação através da morte e ressurreição ( 2 ) de Cristo.

– Lembre também que o nome de Jesus em grego, Ιησους ( Iesous ), vale 8888 fala de novos começos e de ressurreição e 888 pode ser representado como: 2 x 2 x 2 x 3 x 37 … ou 8 x 3 x 37. Já falamos do 2, do 8 e do 37, portanto já podemos inferir o que Jesus em grego implica, não?!

– O valor numérico de “Jesus Cristo” em grego é 2.368, que pode ser representado como: 8 x 8 x 37 ( já vimos esses números ) … curiosamente, o valor para “vida eterna” em grego ( vide imagem acima ) é 1.856, que pode ser representado como: 8 x 8 x 29, lembrando que 8 + 29 = 37. Vemos assim uma relação entre esses termos … o que seria de se esperar, pois a “vida eterna” só é possível mediante “Jesus Cristo” e 8 x 8 duplamente fala de ressurreição e de novos começos, o que está diretamente ligado aos termos observados.

Enfim, eu poderia ir ainda mais longe, pois esse trecho esconde ainda mais coisas do tipo. A matemática das Escrituras é realmente fascinante e mostra que há um design único e sobrenatural em todo o texto. Ainda mais quando se observa que são textos formados ao longo de quase 1500 anos por cerca de 40 autores. Toda essa beleza e harmonia matemática aponta que o SENHOR, o Autor primário das Escrituras, coordenou ao longo do tempo não apenas a escrita dos livros, como também em preservar e compilar os muitos pergaminhos e livros num único cânon e mesmo os processos de atribuição de capítulos e versículos, os quais ocorreram em tempos distintos ao longo da história, pela harmonia matemática também mostram uma mão divina em suas definições.

Eu não sou da academia, mas conheço a questão das variantes textuais, dos diferentes manuscritos existentes e do processo de seleção escolhido por alguns editores e tradutores para definir qual deles se utilizar. Sei que muitas vezes existe uma discussão entre estes e acadêmicos de qual pergaminho ou fonte deveria ser utilizada e eu poderia sugerir que numa situação de indefinição, que fosse então usado como critério o valor matemático dos textos em questão, pois os que matematicamente se harmonizam com os demais textos provavelmente deveriam ser os selecionados nessas situações de impasse. Quem sabe Deus não colocou essa marca indelével em alguns textos para nos mostrar de forma mais clara a Sua Majestade e o Seu design nos textos sagrados.

Se você conseguiu chegar até aqui, visto que o texto é longo, eu desejo que o SENHOR lhe abençoe grande e ricamente em tudo que fizer! 🙏❤️

Gólgota, O Lugar da Caveira

E levaram Jesus para o Gólgota, que quer dizer Lugar da Caveira.” (Marcos 15:22)

Jesus foi crucificado em um lugar específico e repleto de significados … entretanto, aqui vou abordar apenas um deles que está relacionado ao Gólgota, uma palavra de origem aramaica “גלגלתא” que significa: caveira ( cabeça, crânio ).

Para a minha abordagem é interessante você saber que a cabeça humana é formada por 22 ossos … sendo 8 do crânio (frontal, 2 parietal, 2 temporal, occipital, esfenoide, etmoide) e 14 da face (2 zigomático, 2 maxilar, 2 nasal, mandíbula, 2 palatino, 2 lacrimal, vômer, 2 concha nasal inferior).

Não por acaso, também 22 são as letras do alfabeto hebraico … sendo o Tav ( ת ) a 22ª letra … a letra Tav no proto hebraico (o hebraico antigo) era representada por uma cruz e não pela sua simbologia atual moderna “ת” … a cruz de Cristo foi colocada sobre o Monte do Gólgota … sobre o Monte da Caveira … já consegue perceber a beleza e o simbolismo de tudo isso?!

Jesus é a nossa salvação, a marca da cruz está nas cabeças dos que por Ele foram salvos e remidos … selados por Deus para serem poupados da ira do SENHOR … como está escrito:

… e lhe disse: Passa pelo meio da cidade, pelo meio de Jerusalém, e marca com um sinal ( תו “tav”, uma cruz ) a testa dos homens que suspiram e gemem por causa de todas as abominações que se cometem no meio dela. … a todo homem que tiver o sinal ( תו “tav” ) não vos chegueis” (Ezequiel 9:4,6b)

Esse texto de Ezequiel, no capítulo 9, que fala dos que são selados, preservados e salvos encontra um eco também em Apocalipse …

Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos na fronte os servos do nosso Deus.” (Apocalipse 7:3)

Os 22 ossos retratam o alfabeto hebraico … fala de toda a Palavra de Deus que deve estar gravada também em nossa mente ( vide Jeremias 31:31-33 ) … culminando em sua 22ª letra, o Tav “ת” … a cruz … que simboliza o selo de Cristo em nós … sendo então o nosso “Capacete de Salvação”.

Curiosamente, o Messias foi crucificado no “Lugar da Caveira“, que poderia ser lido agora também como o “Lugar do Capacete de Salvação” ( a cruz sobre a cabeça ). Está começando a ver as coisas poeticamente pelos simbolismos em tudo que há?! A Palavra de Deus e Sua obra não são lindas em toda sua riqueza simbólica?!

Por isso Paulo e Isaías escrevem tão propriamente …

Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus” (Efésios 6:17) … vale lembrar: { a Palavra de Deus está representada pelas 22 letras do alfabeto hebraico e muitas espadas possuem o formato também de uma cruz, um Tav }

Vestiu-se de justiça, como de uma couraça, e pôs o capacete da salvação na cabeça; pôs sobre si a vestidura da vingança e se cobriu de zelo, como de um manto.” (Isaías 59:17)

Não deixa de ser importante lembrar que 22 também representa o valor ordinal da palavra חנּchen” ( 8 + 14 ) … a mesma separação do número de ossos da cabeça que citei anteriormente… palavra essa que significa nada menos que “graça” … tudo o que Deus faz é perfeito, lindo e majestoso … principalmente quando vemos os detalhes de toda a Sua obra. E ainda há mais … muito mais … mas fica para outro dia!

Que o SENHOR lhe abençoe grandemente e que você seja selado pelo SENHOR com o capacete da Salvação!!! 🙏❤️

A Lei e os 430 anos

Números nas Escrituras sempre apontam para algum significado superior além do seu próprio valor, pois nada em seus textos é obra do acaso, em tudo há um design … e cada letra, palavra e frase esconde muito mais do que está na superfície. Na verdade, sempre que eu leio um texto das Escrituras, nunca deixo de esquecer a valiosa recomendação do apóstolo Pedro …

sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular interpretação” (2 Pedro 1:20)

Isso significa que nunca um texto nas Escrituras aponta para uma única mensagem, mas sim para o fato de que o SENHOR esconde em cada texto uma variedade múltipla de informações … basta se estar disposto a “garimpar” com afinco para se encontrar as muitas “pedras preciosas” escondidas dentro de um texto. Até mesmo quando se estuda genealogia, algo que parece não trazer tanta riqueza de informação, há na verdade sempre algo além do que informa o texto, pois cada nome nas Escrituras possui um significado e isso nos “fala” sempre mais do que o que está aparente ( você pode ver isso no artigo que escrevi sobre as mensagens escondidas nas genealogias, aqui ).

Observando tudo isso, não é irrelevante o fato de as Escrituras mencionarem muitas vezes o número 430, o que denota mais uma vez que isso tem muitas outras ramificações quando estudado com mais detalhes … aqui neste artigo eu vou abordar apenas alguns poucos deles.

Sobre o Êxodo do Egito, o qual imediatamente precedeu a recepção da Lei de Deus, a Torah, nos fornece um exemplo apropriado da precisão inerente das obras do SENHOR e o seu vínculo ao número 430, como está escrito …

Ora, o tempo que os filhos de Israel habitaram no Egito foi de quatrocentos e trinta anos. Aconteceu que, ao cabo dos quatrocentos e trinta anos, nesse mesmo dia, todas as hostes do SENHOR saíram da terra do Egito.” (Êxodo 12:40,41)

Observe o grau de exatidão expresso neste verso. Deus especifica que o Êxodo começou após a passagem de exatos quatrocentos e trinta anos … período esse que remete ao tempo da aliança feita entre o SENHOR e Abraão e a sua descendência ( vide Gênesis 12 e 15 ), onde também aparece o significativo número 400 ( número este de que também fiz um estudo sobre o seu amplo e misterioso significado, veja aqui ). Ao cabo desse tempo determinado, Moisés então levou os israelitas ao Monte Sinai, onde o SENHOR fez uma aliança com eles e deu-lhes a Torah, a Sua Lei.

E digo isto: uma aliança já anteriormente confirmada por Deus, a leiνομος “nomos” ), que veio quatrocentos e trinta anos depois, não a pode ab-rogar, de forma que venha a desfazer a promessa.” (Gálatas 3:17)

Muitos séculos depois, no livro de Gálatas, o apóstolo Paulo usou esses fatos quando explicou que a aliança, a Lei, que se passara quatrocentos e trinta anos depois, não destruiu a promessa original de justiça, por intermédio da fé, que foi dada a Abraão. A palavra escrita em grego neste verso, traduzida como Lei, é νομος ( “nomos” ), a forma nominativa da palavra padrão para Lei usada em todo o grego do Novo Testamento. Não deixa de ser curioso quando se observa o valor dessa palavra no grego:

Leiνομος, “nomos” ), soma das letras -> 50 + 70 + 40 + 70 + 200 = 430

Esta é mais uma evidência indelével de que a mão oculta de Deus guiou o desenvolvimento da história, das Escrituras e consequentemente do alfabeto grego como meio também de revelação ( vide artigo anterior que fala sobre o design dos alfabetos grego e hebraico, aqui ). Os mais céticos podem até alegar que isso é apenas uma “coincidência”, mas o fato é que existe uma gama muito ampla de casos similares de “coincidências” como estas que são ricamente documentadas e mostram estatisticamente que isso não é obra do acaso, mas sim evidência de um design superior em toda a história e formação das Escrituras … eu mesmo escrevi sobre isso em artigos anteriores, mas recomendo também aos que apreciam investigar o tema mais à fundo que leia o vasto trabalho do meu amigo e irmão Moacir Junior, com quem tenho aprendido muito e que tem uma gama de dezenas de milhares de páginas, com evidências dos mais variados tipos, que atestam esse design nas Escrituras. Sobre essa questão do design no grego e no hebraico eu recomendo o artigo que ele publicou em seu estudo “O Código Gênesis – parte 34”, que pode ser acessado aqui.

Esta é mais uma demonstração de que fazer determinados cálculos é uma amostra de sabedoria e entendimento quando se observam as Escrituras em sua enorme abrangência de revelação; como também atesta a própria Escritura no seguinte texto …

Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número ( αριθμος “arithmos” ) da besta, pois é número ( αριθμος “arithmos” ) de homem. Ora, esse número ( αριθμος “arithmos” ) é seiscentos e sessenta e seis.” (Apocalipse 13:8)

Como explicação extra, a frase grega traduzida em algumas versões bíblicas como “o número de um homem” não tem nenhum artigo definido no grego, portanto a tradução mais precisa é “o número de homem”. Isto é coerente com o significado do número seis como revelado pela criação do homem no sexto dia e a proibição contra o assassinato premeditado que está no sexto mandamento. O número seis é o número do homem.

Voltando ao ponto principal, a palavra que João usou neste verso, traduzido como número, é αριθμος ( “arithmos” ), a forma nominativa da palavra grega padrão usada em todo o Novo Testamento. Esta é a raiz da palavra “aritmética”. Assim, temos uma segunda identidade:

Númeroαριθμος, “arithmos” ), soma das letras -> 1 + 100 + 10 + 9 + 40 + 70 + 200 = 430

Vemos então que “Lei” e “Número” têm a mesma “assinatura” de valor quando calculados de acordo com a estrutura alfanumérica intrínseca do alfabeto grego. Ambos são membros da categoria numérica definida pelo número 430 … e essa não é a única relação, pois quatrocentos e trinta anos fala também do tempo de amadurecimento e completude da descendência de Abraão para enfim tornar-se uma nação apta a receber a Lei do SENHOR e a sua própria terra, como já prefigurava um misterioso texto no meio da genealogia de Gênesis 11 …

… depois que gerou a Pelegue ( פלג Peleg … divisão ), viveu Héberעבר `Eber … “a região dalém de” … עברי Hebreu = “pessoa dalém de” ) quatrocentos e trinta anos; e gerou filhos e filhas.” (Gênesis 11:17)

Nesse pequeno trecho da genealogia de Sem, vemos uma frase que simboliza o que ocorreria no futuro, no tempo de Abraão, onde a terra havia sido divida entre os Filhos de Deus em face do episódio da Torre de Babel ( vide também Deuteronômio 32:7-9 ), onde Jacó ( menção ao povo de Israel ) seria a porção do SENHOR entre as nações. Esse versículo da genealogia de Sem prefigurava que a nação dos hebreus ( mesma raiz de Heber como visto acima ), teria alcançado a sua maturidade e completude em filhos e filhas para receber a Lei e a terra após os quatrocentos e trinta anos depois da divisão que ocorreu no tempo em que Abraão foi chamado por Deus … fato esse que é detalhado justamente no capítulo seguinte, em Gênesis 12.

Não deixa de ser significativo que a soma dos algarismos do valor 430 é 7 ( 4 + 3 + 0 ), pois 7 é o número da perfeição divina e fala também de completude … o que mais uma vez também remete à completude do tempo determinado para que a descendência de Abraão alcançasse o número de filhos e filhas necessários para se tornar uma nação madura e completa, dentro do tempo “perfeito” definido pelo SENHOR … e mais uma vez vemos aqui uma evidência de design divino … para entender melhor isso que eu quero demonstrar, veja os textos a seguir …

Portanto, sede vós perfeitosτέλειοι, “teleioi” ) como perfeito é o vosso Pai celeste” (Mateus 5:48)

Irmãos, não sejais meninos no juízo; na malícia, sim, sede crianças; quanto ao juízo, sede homens amadurecidosτέλειοι, “teleioi” ).” (1 Coríntios 14:20)

Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos ( τέλειοι, “teleioi” ) e íntegros, em nada deficientes.” (Tiago 1:4)

Perceba que o termo usado para “perfeitos”, “maduros” ( ou “completos” ) em grego é τέλειοι, “teleioi”, o qual curiosamente tem o valor de … 430

Completos, Perfeitos, Maduros ( τέλειοι, “teleioi” ), soma das letras -> 300 + 5 + 30 + 5 + 10 + 70 + 10 = 430

Vemos uma curiosa identidade que une a mensagem bíblica explícita por meio dos valores numéricos intrínsecos do alfabeto grego em conjunção com fatos e tempos determinados nos textos em hebraico das Escrituras. Com isso testemunhamos a natureza eterna de Deus, o nosso Criador, codificando e unindo não apenas as histórias, mas até mesmo os idiomas em que as mesmas foram escritas. O que evidência ainda mais a amplitude da revelação e da riqueza da Palavra do SENHOR, aumentando o nosso entendimento quando lemos que …

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.” (2 Timóteo 3:16,17)

A glória de Deus é encobrir as coisas, mas a glória dos reis é esquadrinhá-las.” (Provérbios 25:2)

Ao SENHOR seja toda a Honra e toda a Glória!

Que o SENHOR lhe ilumine e abençoe ricamente!🙏❤

Espírito de Poder, Amor e Moderação para Enfrentar Tempos Difíceis

As Escrituras afirmam que o tempo antes do “fim desta era” seria “difícil“,”perigoso“,”feroz” ( χαλεπος chalepos ), cheio de depravação humana, com pessoas egoístas, cruéis, inimigas do bem, como está escrito …

Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis ( perigosos, ferozes … χαλεπος chalepos ), pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder.” (2 Timóteo 3:1-5).

À luz desta guerra espiritual furiosa ao nosso redor, é vital que seja enfatizado: “É importante não se perder a cabeça … nos dias atuais, essa expressão serve tanto figuradamente como literalmente”. Na verdade, a mente é a “porta de entrada” para o seu coração e, portanto, é essencial que você proteja o seu pensamento, e assim ao seu coração, imergindo-se na verdade …

Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida.” (Provérbios 4:23)

O medo é, muitas vezes, o resultado de se acreditar na mentira de que Deus não está no controle ou de que Ele é incapaz, ou de que Ele não está disposto a ajudá-lo … “Não perder a cabeça” significa estar fundamentado no que é real e verdadeiro e, portanto, isso significa que você deve entender qual é a sua identidade e provisão como filho de Deus …

Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação.” (2 Timóteo 1:7)

Espírito de poder ( δυναμις dunamis ), amor ( αγαπη agape ) e de moderação ( σωφρονισμος sophronismos ) … o termo em grego traduzido aqui como “moderação” significa literalmente uma “mente equilibrada“, uma “mente curada da fragmentação” … que possui disciplina e autocontrole … nesse versículo anterior o apóstolo Paulo reforça que nós devemos nos sentir “seguros” no sentido de que estamos sob os cuidado do Espírito de Deus …

E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo.” (Romanos 15:13)

sois guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para a salvação preparada para revelar-se no último tempo.” (1 Pedro 1:5)

Em tempos como os atuais, o último tempo, devemos lançar mão desse poder que nos está disponível através do Espírito do SENHOR, mas com amor e autocontrole ( disciplina e equilíbrio ) … dessa forma seremos capazes de vencer as dificuldades e os perigos desse tempo, estando cheios daquilo que o mundo está vazio … cheios do Espírito do SENHOR que nos dá paz mesmo diante das tempestades e do mais ferrenho caos …

Que o SENHOR lhe abençoe, ilumine e lhe proporcione a Sua maravilhosa paz que excede a todo o entendimento! 🙏❤

O Significado “Escondido” dos 400 Anos de Gênesis 15:13

Quando observamos determinados textos nas Escrituras, é comum passar despercebido certos significados mais profundos que a passagem “esconde” … veja essa passagem por exemplo:

então, lhe foi dito: Sabe, com certeza, que a tua posteridade será peregrina em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos” (Gênesis 15:13)

Essa passagem é famosa aos que conhecem as Escrituras, pois refere-se à Aliança feita entre o SENHOR e Abraão ( nesse tempo ainda conhecido apenas como Abrão ) e que abrangia toda a sua enorme descendência prometida, a qual nesse tempo existia apenas no campo da fé, visto que Abraão ainda não tinha recebido o filho da promessa.

São muitos os aspectos interessantes nessa passagem, mas aqui vou abordar apenas um ponto que não está tão perceptível no texto, mas que merece uma menção. Como pode perceber pela imagem compartilhada neste artigo, a moderna letra “Tav” ( ת ) em hebraico, que também significa marca/sinal … no tempo de Abraão ( cerca de 2000 anos antes de Cristo ), era representada pelo símbolo de uma cruz ( ), porém o que muitos também desconhecem é que, assim como todas as letras em hebraico, ela representa um valor … e o seu valor é de 400.

A libertação do povo da escravidão do Egito veio apenas após exatos 400 anos e isso aponta para a beleza e harmonia das Escrituras e do plano do SENHOR como um todo, pois fomos libertos do pecado ( simbolicamente do Egito ) por meio da cruz de Cristo, ( a letra tav “ת“, o símbolo da ,️ de 400 ). É isso o que o texto de Gênesis 15:13 já prefigurava … a libertação da aflição por meio da cruz … esse é um dos sentidos que o SENHOR “escondeu” no texto, já naquele tempo quando Moisés escrevia os textos do livro de Gênesis, pois tudo aponta para Cristo e o Seu sacrifício perfeito e libertador na cruz que nos tornou Filhos de Deus … como está escrito:

porque, por Ele [ Cristo ], ambos temos acesso ao Pai em um Espírito. Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus” (Efésios 2:18,19)

Cristo é o tema central das Escrituras … a cruz é cumprimento da promessa do SENHOR … é o maior símbolo de amor e libertação, pois a morte de Cristo na cruz é vida eterna para os que nEle creem ( João 3:16 )!

Um adendo interessante ao texto citado de Gênesis … não deixa de ser curioso o fato de que os textos proféticos bíblicos utilizem anos de 360 dias ( vide os 1260 dias de Daniel que abrangem 3 anos e meio ), pois quando se observa isso e multiplicamos os 400 anos vezes 360 dias, temos: 144.000 … o número “símbolo” das tribos “seladas” no livro de Apocalipse, no capítulo 7 … mais uma vez Gênesis 15:13 aponta para aqueles “filhos de Abraão”, os quais hoje abrangem tantos judeus quanto gentios, que são “libertos” e “selados” para o SENHOR, por meio de Cristo, e que vão herdar a “terra prometida”.

Convenhamos … a Bíblia não é linda e cheia de belezas em cada texto?! … ainda mais quando conhecemos os fundamentos nos idiomas em que ela foi escrita, pois o SENHOR se utiliza das mais diversas formas para revelar e confirmar os Seus bons propósitos para com aqueles que O amam!!!

Que o SENHOR lhe ilumine e abençoe grandemente! 🙏❤

————————————————————-

*** Um adendo ao artigo … vale refletir nisto, 400 também é o valor das seguintes palavras:

Hebraico:

Esposa: נשים (‘ishshah) Gên 4:19
Anos: שנים (shaneh) Gên 5:6
Céus: השמימה (shamayim) Gên 15:5
Colheita: קציר (qatsiyr) Gên 30:14
Paz: לשלם (shalowm) Gên 37:4
Livro: מספרך (cepher) Êxo 32:32
Habitar: לשכן (shakan) Núm 9:22
Fôlego: הנשמה (neshamah) Jos 10:40
Juiz: השופט (shaphat) Jui 2:18
Salvação: ישעך (yesha`) 2Sa 22:36
Leão: מכפירים (kephiyr) Sal 35:17
Traspassar: ומדקרים (daqar) Jer 51:4
Domínio: ושלטנה (sholtan) Dan 4:3 [ Aramaico ]
Sétimo: ובשביעי (shebiy`iy) Zac 7:5

Grego:

Vinho: οινος (oinos) Mat 9:17
Vinagre: οξος (oxos) Mat 27:34
Ramo: κληματα (klema) Joã 15:5
Santo: οσιον (hosios) Ato 2:27

Expressões:

“Julgue ele com justiça o Teu povo” (Salmo 72:2a)
[ Yadin Amkah B’Tsedek ] יָדִ֣ין עַמְּךָ֣ בְצֶ֑דֶק
 
“Eu falo com justiça” (Isaías 45:19)
[ Davar Tsedek ] דֹּבֵ֣ר צֶ֔דֶק
 
“santos e amados” (Colossenses 3:12)
[ Hagioi kai Hegapemenoi ] ἅγιοι καὶ ἠγαπημένοι
 
“alturas do céu” (Jó 22:12)
[ Gavah Shamayim ] גֹּ֣בַהּ שָׁמָ֑יִם
 
“Benigno e misericordioso é o SENHOR” (Salmo 145:8)
[ Hanun V’Rahum YHVH ] חַנּ֣וּן וְרַח֣וּם יְהוָ֑ה