Não sejas demasiadamente justo … por que te destruirias a ti mesmo?

Para compreender melhor e com mais propriedade ao que o texto de Eclesiastes 7:16 se refere, é importante se observar o contexto …

Tudo isto vi nos dias da minha vaidade: há justo que perece na sua justiça, e há perverso que prolonga os seus dias na sua perversidade. Não sejas demasiadamente justo, nem exageradamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo? Não sejas demasiadamente perverso, nem sejas louco; por que morrerias fora do teu tempo? Bom é que retenhas isto e também daquilo não retires a mão; pois quem teme a Deus de tudo isto sai ileso. A sabedoria fortalece ao sábio, mais do que dez poderosos que haja na cidade. Não há homem justo sobre a terra que faça o bem e que não peque. Não apliques o coração a todas as palavras que se dizem, para que não venhas a ouvir o teu servo a amaldiçoar-te, pois tu sabes que muitas vezes tu mesmo tens amaldiçoado a outros.” (Eclesiastes 7:15-22)

Analisando o contexto, você vai perceber que o autor do livro (possivelmente Salomão segundo a tradição) faz considerações a partir de sua observação sobre a morte de justos e de perversos … ambos tem o mesmo fim terreno, no caso a morte física, seja em justiça para os justos ou em perversidade para os perversos. Diante do fato inescapável da morte física, tanto de um quanto de outro, é que o autor coloca os dois versículos seguintes, abordando mortes antecipadas (que ocorrem antes do seu tempo) devido a comportamentos extremos, tanto para os justos como para os perversos. O autor parte do pressuposto que todos temos um tempo de vida no corpo definido pelo SENHOR, que nos foi dado, mas que, dependendo de nossos atos, podemos antecipar a nossa morte, vindo a falecer antes desse tempo que nos foi previamente determinado. Por isso o contraponto nos versículos 16 e 17 do capítulo 7.

No caso do perverso, é fácil entender como o seu comportamento extremado pode vir a matá-lo antes do seu tempo determinado. Quando o homem perverso se comportar de forma extremamente perversa, acaba por tornar-se louco. Por exemplo, esse seria o caso de um jihadista islâmico que, em sua perversidade e loucura, entra atirando num Shopping buscando perversamente matar a todos que encontrar, incluindo crianças, tal comportamento irá gerar uma reação que muito provavelmente o levará também à morte pelas mãos de policiais ou de alguém que seja levado a pará-lo em seu ato de perversidade e loucura. O mesmo pode-se dizer da pessoa que, numa pista de velocidade máxima de 60Km/h, ela decide andar a mais de 220Km/h, tal pessoa está agindo como um louco e tolo, buscando antecipar a sua morte pelo ato extremo de sua loucura e perversidade, pois um acidente que pode envolver outras vidas inocentes a espreita a cada momento nessa situação.

Como então pode o excesso de justiça matar ao justo?! O problema mais uma vez está no comportamento extremado, pois em primeiro lugar nenhum ser humano comum é perfeitamente justo, portanto, se qualquer pessoa quiser ser justa ao extremo terá um sério problema consigo mesmo, visto que se for levar a justiça ao seu extremo ela terá de escolher dar cabo de si próprio para fazer a justiça, já que ela mesma é pecadora e a justiça clama pelo pagamento do pecado através do seu próprio sangue e, no caso, do auto-sacrifício … ou seja, se você quiser ser justo ao extremo (demasiadamente), terá de se auto-aniquilar para cumprir a justiça e isso, com certeza, irá matá-lo antes do tempo que lhe havia sido determinado. É como querer ser justo tal como é o SENHOR, mas sem as qualidades para tal … ou seja, é uma sentença de morte.

Nos versículos posteriores (18-22), o autor recomenda então que, ao invés de comportamentos extremos, que haja um equilíbrio … uma moderação … e faz descritivos de como o justo deve agir em conformidade com esse equilíbrio, pois como o próprio autor escreve: “Não há homem justo sobre a terra que faça o bem e que não peque” (Eclesiastes 7:20).

Que o SENHOR lhe abençoe grandemente e lhe capacite nessa sabedoria e equilíbrio, em justiça, para que você não venha a perecer antes do seu tempo!!!

Comportamentos da Física Quântica Apontam para o Criador

Comportamentos esquisitos que são observados na Física Quântica apontam para o Criador … Você já parou alguma vez para refletir e meditar nesse texto de Hebreus 1:3? Vou compartilhar com você algo profundo e que me vem à mente cada vez que penso nisso e veja se você concorda comigo … aqui está o texto das Escrituras:

Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do Seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do Seu poder …” (Hebreus 1:3a)

Quando penso nisso e em outros textos similares nas Escrituras, eu sempre lembro do quão interessante e profundo é o paradoxo na Física Quântica do comportamento das partículas, ora atuando como onda e ora atuando como matéria.

 

 

O clássico experimento da “Fenda Dupla” (veja o vídeo anterior), onde elétrons são lançados pelas fendas e os comportamentos se tornam distintos quando os mesmos são observados ou não, me remetem ao Criador. Curiosamente, quando no experimento o elétron não era observado, o comportamento é de onda, mas quando observado ele se comporta como matéria. Ou seja, a simples observação mudou o comportamento das partículas, como se as mesmas fossem conscientes de quando estão sendo observadas.

Sendo assim, algumas observações são pertinentes. O que acontece com as partículas quando ninguém as está observando?! Se ninguém observar a Lua ou Saturno ou um meteoro, por exemplo, as partículas que os compõem irão continuar se comportando como matéria?! Por que os objetos, inclusive o nosso próprio corpo, não “desaparece” devido ao comportamento de onda das partículas?! Se uma consciência, um observador, determina o comportamento das partículas, como no experimento da “Fenda Dupla”, e a Lua e outros objetos continuam lá, estáveis, como matéria, mesmo quando ninguém as está observando; podemos inferir que o que mantém coeso e estável TODO o universo conhecido se deve a uma “Consciência Cósmica” externa e maior do que o próprio universo existente, a qual observa cada uma das inumeráveis partículas de TODO este universo a TODO momento e que define o estado final em que cada partícula está ou virá a estar no instante infinitesimal de momento seguinte.

Esta “Consciência Cósmica” é DEUS, o SENHOR … é Ele que pelo Seu enorme poder determina a TODO instante e em TODO o universo, como está cada partícula que compõe TUDO o que conhecemos!!!

Consegue imaginar o poder necessário para tal?! Por isso que não cai um fio de cabelo de sua cabeça sem que Ele o saiba, afinal é Ele quem sustenta todas as partículas dos seus fios de cabelo e de tudo o mais a todo instante, por isso é impossível Ele não saber o que ocorre com cada um deles (veja Lucas 12:7). Mesmo o processo de pensamento que ocorre em sua mente é por Ele viabilizado, por isso é impossível ao SENHOR não saber o que você pensa e você pode ter a certeza de que a sua oração é sempre por Ele conhecida …. “Ainda a palavra me não chegou à língua, e Tu, SENHOR, já a conheces toda.” (Salmo 139:4)

O SENHOR DEUS é ONIPOTENTE, ONISCIENTE e ONIPRESENTE, são todos atributos únicos e exclusivos daquEle que “sustenta TODAS as coisas pela palavra do Seu poder”!!!

Glórias e Honras ao SENHOR … Ele é Santo, Santo, Santo e digno de louvor!

Qual é verdadeiramente o filho mais velho de Noé?!

Muitas vezes a tradução de determinados textos bíblicos necessitam de que se tenha um conhecimento maior do contexto que o envolve para se evitar determinados erros. Isso não é diferente no Português. Veja aqui um caso clássico disso, que se perpetua nas versões em Português por séculos …
 
Era Noé da idade de quinhentos anos e gerou a Sem, Cam e Jafé.” (Gênesis 5:32)
 
Pela descrição acima, muitos inferem que Sem é o filho mais velho e assim vemos a tradução de um versículo que acaba por inferir o mesmo …
 
A Sem, que foi pai de todos os filhos de Héber e irmão mais velho de Jafé, também lhe nasceram filhos.” (Gênesis 10:21)
 
Porém, há um erro aqui que se perpetua … vamos analisar isso melhor. Veja esse texto:
 
Despertando Noé do seu vinho, soube o que lhe fizera o filho mais moço e disse: Maldito seja Canaã; seja servo dos servos a seus irmãos.” (Gênesis 9:24,25)
 
Através dele sabemos que Cam é o mais novo dos três filhos de Noé, mas será que Sem realmente é o mais velho?! Vamos analisar dois textos para tirar isso a limpo …
 
Tinha Noé seiscentos anos de idade, quando as águas do dilúvio inundaram a terra.” (Gênesis 7:6)
 
São estas as gerações de Sem. Ora, ele era da idade de cem anos quando gerou a Arfaxade, dois anos depois do dilúvio;” (Gênesis 11:10)
 
Observe, vamos juntar as peças … Noé tinha quinhentos anos quando começou a ter os seus filhos: Sem, Cam e Jafé (Gênesis 5:32) … quando veio o dilúvio, Noé tinha seiscentos anos, ou seja, o dilúvio ocorreu 100 anos depois de começar a ter os seus filhos. Mas vemos que em Gênesis 11:10, dois anos após o dilúvio, Sem tinha 100 anos … consequentemente, Sem nasceu quando Noé tinha então 502 anos … ou seja, Sem não pode ser o filho mais velho, mas sim Jafé é o filho mais velho que deve ter nascido quando Noé tinha 500 anos.
 
Portanto a tradução do texto de Gênesis 10:21 está “viciada” na falsa interpretação de que pelo fato do nome de Sem aparecer primeiro, ele seria o mais velho, mas provavelmente ele aparece primeiro pelo nível de importância e não por ordem de nascimento, tanto que Cam, o mais moço, é o segundo da relação.
 
Sendo assim, esse erro de tradução que se perpetua, há séculos, deveria traduzir o texto de Gênesis 10:21 como:
 
A Sem, que foi pai de todos os filhos de Héber e irmão do mais velho Jafé, também lhe nasceram filhos.” (Gênesis 10:21)
 
Percebeu como é necessário se ter um amplo conhecimento para se fazer devidamente as traduções e inferências dos textos bíblicos?! O fato em si não determina nenhum problema doutrinário, mas prima pela harmonia dos textos com a sua narrativa original … lembre, sempre que for estudar as Escrituras, certifique-se de não “pular” textos ou de fazer inferências inapropriadas sem um conhecimento claro de todo o contexto que envolve o texto em si.
 
Que o SENHOR lhe abençoe e lhe ilumine!!!
 .
************************
Aos que são céticos mesmo diante destes dados que coloquei, segue um importante adendo … outras versões traduzidas das Escrituras em outros idiomas já corrigiram as suas versões … como exemplo …
 
NIV … “Sons were also born to Shem, whose older brother was Japheth; Shem was the ancestor of all the sons of Eber.” (Gn 10:21) [ veja aqui: http://www.biblestudytools.com/genesis/10.html ]
 
NKJV … “And children were born also to Shem, the father of all the children of Eber, the brother of Japheth the elder.” (Gn 10:21) [ veja aqui: http://www.biblestudytools.com/nkjv/genesis/10.html ]
 
… e há muitas outras!

O Valor e a Importância das 100 Libras de Mirra e Aloés

Depois disto, José de Arimatéia, que era discípulo de Jesus, ainda que ocultamente pelo receio que tinha dos judeus, rogou a Pilatos lhe permitisse tirar o corpo de Jesus. Pilatos lho permitiu. Então, foi José de Arimatéia e retirou o corpo de Jesus. E também Nicodemos, aquele que anteriormente viera ter com Jesus à noite, foi, levando cerca de cem libras de um composto de mirra e aloés. Tomaram, pois, o corpo de Jesus e o envolveram em lençóis com os aromas, como é de uso entre os judeus na preparação para o sepulcro.” (João 19:38-40)

O que significam as cerca de 100 libras (75 libras ou cerca de 34 Kg nas medidas atuais) de um composto de mirra e aloés para o sepultamento de Jesus. Quanto isso significa em valores e importância?!

Em termos de seu valor financeiro, a compra da mirra e aloés é extraordinária. João 12:5 informa que 300 denários equivale ao salário de cerca de um ano de trabalho, e este é o custo de uma libra de unguento de nardo puro. Portanto, um denário é quase o equivalente a um dia de salário.

A questão especulativa que precisa ser feita é: quanto foi o valor financeiro de cem libras, ou no caso, das setenta e cinco libras em pesos modernos, o que equivale a cerca de 34 Kg, em especiarias usadas para preparar o corpo de Jesus? Um problema óbvio é que João não fornece informações específicas sobre a porcentagem das cem libras que eram de mirra e a porcentagem das cem libras que eram de aloés, nem há especificação da qualidade das especiarias utilizadas.

Especula-se que o presente de Nicodemos “talvez valesse 30 mil denários“. Esse montante de 30.000 denários também é fornecido por outros estudiosos historiadores, como Keener e Schnelle. O que daria cerca de 100 anos do salário de um trabalhador.

Nigel Groom, do Museu Britânico, escreveu o texto “Comércio, Incenso e Perfume” no livro “Rainha de Sabá: tesouros do antigo Iêmen”. Sua pesquisa baseada nos escritos de História Natural de Plínio tentou determinar o valor das especiarias no Mediterrâneo entre 40 e 70 d.C.; Plínio escreveu que, quando o incenso chegou finalmente a Roma a partir da Península Arábica do Sul, “os cidadãos romanos pagaram 6 denários por libra de incenso de alta qualidade, mais do que a maioria poderia ganhar em duas semanas [ duas semanas ou 14 dias ], enquanto que uma libra de mirra custava aos perfumistas entre 11 e 16 denários”.

Sendo assim, setenta e cinco quilos de especiarias vezes onze denários e dezesseis denários, respectivamente, criam uma faixa entre 825 e 1.200 denários. Assim sendo, com base em um denário ao dia citado por João, o valor estimado das especiarias é aproximadamente igual a dois anos e meio até quatro anos de salário de um trabalhador. Em contraste, o denário de Plínio é igual a quase dois dias de pagamento. Portanto, para Plínio, o valor estimado das especiarias teria sido de aproximadamente quase cinco até oito anos do salário de um trabalhador, assumindo que os aloés eram de valor equivalente.

Em importância é algo muito significativo quando comparado a quantidade de especiarias que foi usado no sepultamento de Gamaliel, que era o neto do distinguido erudito judeu Hillel. Em Atos 22:3, o texto nos informa que ele também era um contemporâneo de Jesus e que Saulo de Tarso teria estudado aos pés de Gamaliel.

Quando Gamaliel morreu, cerca de 86 libras (64 libras ou cerca de 29 Kg nas medidas atuais) de especiarias foram utilizados. Gamaliel era o presidente do Sinédrio e um dos estudiosos mais importantes de sua geração. Ele representou os judeus antes de Roma e morreu aproximadamente dezoito anos antes da destruição de Jerusalém (52 ​​d.C.), ou cerca de vinte anos após a ressurreição registrada de Jesus. Além disso, cerca de oitenta libras de bálsamo foram queimados em sua honra.

Esses dados mostram o quão importante Jesus foi considerado no seu sepultamento por José de Arimatéia e por Nicodemos, homens ricos que providenciaram um sepulcro novo, linho fino e especiarias de alto preço para preparar o corpo de Jesus, cumprindo assim o que estava escrito …

Designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas com o rico esteve na sua morte, posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca.” (Isaías 53:9)

Através de Muitas Tribulações …

Mas o Senhor lhe disse: Vai, porque este [ Paulo ] é para Mim um instrumento escolhido para levar o Meu Nome perante os gentios e reis, bem como perante os filhos de Israel; pois Eu lhe mostrarei quanto lhe importa sofrer pelo Meu Nome.” (Atos 9:16).
 
Longe de oferecer riquezas, prosperidade e uma vida de facilidades neste mundo, para muitos cristãos, seguir a Jesus é um caminho de sofrimentos e lutas neste mundo, principalmente quando estes estão em ambientes hostis ao Evangelho, como ocorre em muitos países muçulmanos e de regimes socialistas. Como está escrito …
 
… exortando-os a permanecer firmes na fé; e mostrando que, através de muitas tribulações, nos importa entrar no reino de Deus.” (Atos 14:22b)
 
De fato, se você ler com cuidado as Escrituras, irá perceber que o sofrimento é o caminho dos profetas, dos salmistas, dos apóstolos e de muitos discípulos, dos “pais da igreja” e, especialmente, o caminho do próprio Senhor Jesus, nosso Salvador, que sofreu a agonia da morte na cruz para nos redimir para uma esperança eterna …
 
Porque convinha que aquEle, por cuja causa e por quem todas as coisas existem, conduzindo muitos filhos à glória, aperfeiçoasse, por meio de sofrimentos, o Autor da salvação deles. Pois, tanto o que santifica como os que são santificados, todos vêm de um só.” (Hebreus 2:10,11a)
 
A perseguição, o ostracismo, o desprezo e a rejeição, estão inextricavelmente ligados à verdade do evangelho …
 
Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.” (2 Timóteo 3:12)
 
A mensagem da cruz é uma ofensa ao orgulho do mundo e, portanto, os dispositivos do ego carnal sempre procurarão silenciá-la. Na verdade, mesmo a nossa própria luta interior com o mal é um sofrimento em que nos desesperamos por nós mesmos, aprendendo que somente Deus pode realmente nos salvar de nós mesmos.
 
No entanto … “Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquEle que nos amou.” (Romanos 8:37).
 
Mas o que “estas coisas” do texto acima citado são? O próprio texto precedente de Romanos explica, elas são: tribulação, angústia, perseguição, fome, nudez, perigo, espada … sendo assim, gostemos ou não, o sofrimento e as perdas são parte do plano de Deus para alcançarmos o pleno conhecimento de Cristo e de Sua salvação e ressurreição para a vida eterna, a verdadeira vida abundante …
 
Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo e ser achado nEle, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé; para O conhecer, e o poder da Sua ressurreição, e a comunhão dos Seus sofrimentos, conformando-me com Ele na Sua morte; para, de algum modo, alcançar a ressurreição dentre os mortos.” (Filipenses 3:8-11)
 
Muitas vezes iremos participar do “cálice de Cristo” em alguma medida e de alguma forma, e isso deveria ser motivo de alegria e não de tristeza, pois dessa forma somos aperfeiçoados no Senhor, como está escrito …
 
Agora, me regozijo nos meus sofrimentos por vós; e preencho o que resta das aflições de Cristo, na minha carne, a favor do Seu corpo, que é a igreja;” (Colossenses 1:24)
 
Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes.” (Tiago 1:2-4)
 
Tudo o que vivemos em Cristo e por Cristo faz parte do processo de crescimento nEle; e temos dEle a promessa de que, se formos vencedores, tudo isso passará e a nossa recompensa futura está garantida …
 
Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras. Disse-me ainda: Tudo está feito. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. Eu, a quem tem sede, darei de graça da fonte da água da vida. O vencedor herdará estas coisas, e eu lhe serei Deus, e ele me será filho.” (Apocalipse 21:1-7)

Comparativo dos Dias da Criação e a Interpretação Milenar

 

Como eu já mencionei no artigo “Em Que Época Vivemos” ( veja aqui ) e também em outros artigos, muitos rabinos, pais da Igreja e estudiosos entendem que estão designados à humanidade cerca de 6.000 anos antes do milênio de descanso, o sétimo. A base para esse tipo de interpretação vem tanto da questão dos dias da criação como também dos 120 anos mencionados em Gênesis 6:3 (“Por causa da perversidade do homem, Meu Espírito não contenderá com ele para sempre; ele só viverá cento e vinte anos”), onde os sábios interpretam que o SENHOR se referia a 120 anos “jubileu”, ou seja, 6.000 anos ( 120 x 50 ), sendo o sétimo milênio um “sábado” de descanso … o Reino Milenar de Cristo (vide Apocalipse 20) … vemos também uma “sombra” sobre isso em Hebreus …

Portanto, resta um descanso [ σαββατισμος sabbatismos, um sábado de descanso ] para o povo de Deus” (Hebreus 4:9).

Existem outros textos e interpretações que também levam para essa mesma conclusão, mas não as vou abordar aqui. Nessa imagem que eu montei acima, está um pouco sobre esse comparativo dos dias da criação com os registros e as interpretações da história humana segundo as Escrituras. Se está correta ou não essa interpretação, o fato é que vivemos numa época muito interessante do ponto de vista bíblico …

Sede Santos …

Entre os que se denominam cristãos, mas que não buscam ter uma vida em santidade, ou estes ainda não entenderam ou não conhecem realmente quem é o SENHOR a quem dizem pertencer, ou estes ainda não lhE pertencem realmente, pois está escrito …

Eu Sou o SENHOR, vosso Deus; portanto, vós vos consagrareis e sereis santos, porque Eu Sou santo” (Levítico 11:44a)

… tornai-vos santos também vós mesmos em TODO o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque Eu Sou santo.” (1 Pedro 1:15b,16)

Visto que Deus é santo ( קדשׁ “kadosh” ), devemos ser santos em nossas vidas também … e isso significa, antes de tudo, sermos conscientes da distinção entre o sagrado e o profano, o “puro” e o “impuro“, e assim por diante, como está escrito …

… para fazerdes diferença ( בדל “badal” ) entre o santo e o profano e entre o impuro e o puro” (Levítico 10:10).

Note que a palavra traduzida como fazer diferença, fazer distinção ( וּלֲהַבְדִּיל ) vem do mesmo verbo usado para descrever como Deus separou a luz das trevas

E viu Deus que a luz era boa; e fez separação ( בדל “badal” ) entre a luz e as trevas.” (Gênesis 1:4)

Devemos também nós separar ( בדל “badal” ) entre ֵּo santo e o profano, o que significa que precisamos de compreensão e de habilidade para discernir entre os reinos da nossa realidade ( luz e trevas ) … se somos de Cristo, somos também descendentes de Abraão, como está escrito …

E, se sois de Cristo, também sois descendentes de Abraão e herdeiros segundo a promessa.” (Gálatas 3:29)

Sendo assim, somos pertencentes ao Israel de Deus, mesmo que enxertados ( vide Romanos 11 ), dessa forma a santidade sempre nos será requerida

Ser-me-eis santos, porque Eu, o SENHOR, Sou santo e separei-vos ( בדל “badal” ) dos povos, para serdes Meus.” (Levítico 20:26).

Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor, atentando, diligentemente, para que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados; nem haja algum impuro ou profano” (Hebreus 12:14-16a)