Beleza e Curiosidades da Bíblia – O Alfa e o Omega

Este post é o primeiro de uma série relacionados à beleza e curiosidades da Palavra de Deus em sua formação e conteúdo. A Bíblia é um livro sem igual, composto por cerca de 40 autores, escritos originalmente em 3 idiomas e em 3 continentes (Ásia, África e Europa) ao longo de quase 1600 anos, enfim, um compêndio único, cuja importância e impacto na nossa civilização já é motivo mais que suficiente para a sua leitura e estudo, sem contar as implicações filosóficas e espirituais para as nossas vidas, características estas que tornam essa leitura ainda mais significativa e fundamental, mesmo para os que ainda nela não acreditam. Tais atributos tornaram a Bíblia o maior “best-seller” de todos os tempos, com mais de 6 bilhões de exemplares, distribuídos em centenas de idiomas distintos; para se ter uma noção, o livro que está na segunda colocação, O Livro Vermelho, tem tiragem 7 vezes menor. Se você ainda não a leu completamente, ao menos uma vez, recomendo iniciar ainda hoje, você pode encontrar recomendações e guias de leitura aqui; para quem não tem intimidade com a leitura e conhecimento mais profundo da doutrina cristã, eu lhe recomendo iniciar pelo evangelho de João, antes de passar para os demais livros que a compõem. É um livro para se ler e meditar todos os dias, a sua riqueza em conteúdo parece infinita, pois quanto mais se escrutinam as suas páginas, mais inspiração e conhecimento se retira, não é a toa que é chamada de a Palavra de Deus e eu posso testemunhar a veracidade desse fato,  pois sei disso por experiência própria.

Para entrar no tema deste post, vou precisar alongar um pouco este artigo para fundamentar o conhecimento das línguas antigas e que será útil para este post e outros futuros onde vou abordar em particular o idioma hebraico.

Hebraico Antigo

Em relação à origem dos idiomas existentes, a maioria dos estudiosos concorda num idioma de origem comum a todas as famílias de línguas no mundo. Mas no que se refere à escrita, esse tipo de conclusão não é tão simples, já que existem algumas raízes que parecem distintas, porém as primeiras escritas humanas, mais antigas e conhecidas, eram cuneiformes ou hieróglifos repletos de pictogramas.

Meu objetivo não é tratar de todas as escritas e as suas origens, mas sim a formação do hebraico em particular, pois é o idioma inicial em que a Bíblia começou a ser escrita há cerca de 1500 a.C. e sua formação é pertinente para alguns dos estudos que quero apresentar nesse post e nos futuros que estiverem relacionados, dessa forma podemos dividir a origem do hebraico da seguinte forma ( as nomenclaturas e datas podem variar um pouco, dependendo da fonte ):

  • Proto-Semítico e Proto-Cananeu (cerca de 2000 a.C. a 1500 a.C.)
  • Paleo-Hebraico (cerca de 1500 a.C. a 500 a.C.)
  • Hebraico Antigo (cerca de 500 a.C. a 100 d.C.)
  • Hebraico Moderno (atual)

Na tabela abaixo pode-se ver o comparativo entre os alfabetos de cada período e seu comparativo ao alfabeto atual.

tabela_hebraico

Caso deseje se aprofundar mais sobre a escrita dos tempos de Abraão, Moisés e Davi, recomendo estudar o PDF disponível aqui, ou visitar o site holandês de origem aqui, que contém muito material a respeito e com artigos escritos em Inglês. Infelizmente não há material em Português que eu conheça sobre esse tópico, porém, mesmo que tenha dificuldade com o Inglês, ainda vale a investigação.

Também recomendo o material do americano Jeff A. Benner, que possui um site relacionado ao estudo e a interpretação do Hebraico Antigo ( aqui ) e que também possui vários livros publicados; eu mesmo comprei alguns deles e recomendo a leitura de seu livro: The Ancient Hebrew Language And Alphabet. Caso prefira também um material audiovisual, você pode acessar no YouTube, um estudo deste mesmo autor ( recomendo ), a partir do vídeo abaixo:

Pela tabela de comparativo dos alfabetos você pode perceber nos significados dos pictogramas coisas muito curiosas, por exemplo, o nome da figura da cabeça de boi é El, que é o nome de Deus na língua semítica, dependendo do contexto. Você pode perceber isso por alguns dos nomes de Deus conhecidos, tais como: El Elyon’ (“O mais Elevado”), El Shaddai (“O Elevado Todo-Poderoso”), El Chai (“O Elevado Vivo”), El Ro’i (“O Elevado que Vê”), El Elohe Israel (“Elevado, o Elevado de Israel”), El Gibbor (“O Elevado Forte”). Também é utilizado como sufixo de nomes hebraicos como GabrielDanielRafael e outros.

Esses pictogramas nos darão visões muito curiosas sobre algumas palavras do hebraico e os seus significados, veremos alguns deles em posts futuros dessa série.

O Alfa e o Omega

É muito curiosa a declaração de Deus quando refere-se a Si mesmo como sendo “o Alfa e o Ômega“, “o princípio e o fim“, o que é uma referência a primeira e a última letra do alfabeto grego, entretanto nós devemos lembrar que na época dessas declarações o idioma falado pelo povo Judeu era o hebraico e o aramaico, dessa forma podemos traduzir isso para o equivalente hebraico, no caso “Aleph e Tav” ( alephtav-1 ** ).

**Importante entender que no hebraico escreve-se da direita para esquerda, ao contrário de nós que escrevemos da esquerda para a direita.

Repare no trecho do primeiro versículo da Bíblia escrito em Gênesis que está na imagem abaixo:

hebraico_1

Para a tradução para o Português de cada palavra do hebraico eu usei o Antigo Testamento Interlinear Hebraico-Português ( editado pela SBB ). Repare que o conjunto “Aleph e Tav” aparece nesse trecho e que não há uma tradução para o termo ( onde coloquei “????” ), o interessante é que esse termo aparece desde os pergaminhos originais conhecidos, ou seja, ele foi originalmente inserido na frase propositadamente desde o princípio da escrita do livro do Gênesis e isso sempre intrigou muitos rabinos e estudiosos desse texto durante a antiguidade.

Agora, vamos para o trecho de Zacarias 12:10, em hebraico, conforme a figura abaixo:

Zacarias_12_10

A tradução deste versículo é ( usando a versão Almeida Revista e Atualizada ):

E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém derramarei o espírito da graça e de súplicas; olharão para aquEle a quEm traspassaram; pranteá-lo-ão como quem pranteia por um unigênito e chorarão por Ele como se chora amargamente pelo primogênito.” (Zacarias 12:10)

Perceba que o Aleph e Tav aparecem novamente e que não há tradução para ele neste versículo, ou seja, no contexto, traduzido mais literalmente, ficaria mais ou menos assim: “Olharão para ‘MIM’ ( Aleph Tav ), aquEle a quEm traspassaram …“.

A luz para entender essas ocorrências veio com o novo testamento, quando o véu do mistério foi finalmente removido. Em Apocalipse 1:8 diz: “Eu Sou o Alfa e Ômega, diz o Senhor Deus, aquEle que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso” … Deus declara-se como “o Alfa e o Ômega” e em Apocalipse 22:13 diz: “Eu Sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim” … neste último capítulo da Bíblia, Jesus ( Yeshua ) revela-se também como sendo “o Alfa e o Ômega“.

Recapitulando, o texto está escrito em grego, por isso as letras gregas na tradução, mas a língua da época dos Judeus era o hebraico, o que nos leva para “o Aleph e Tav“, ou seja, Deus sutilmente colocou a Sua assinatura em textos específicos relacionados a Ele, isso desde tempos muito antigos quando os textos que estudamos do Antigo Testamento da Bíblia foram escritos ( cerca de 1500 a.C. no texto de Gênesis e cerca de 500 a.C., no texto de Zacarias ), existem nos manuscritos em hebraico milhares de referências ao “Aleph e Tav” por todo o texto do Antigo Testamento. Por fim, Ele veio a revelar-Se no Novo Testamento, como nos versículos de Apocalipse anteriormente citados que foram escritos cerca de 95 d.C., e temos uma referência nos primeiros versículos do evangelho de João, onde ele escreve:

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dEle, e, sem Ele, nada do que foi feito se fez.” (João 1:1-3)

Olhando para o relato de João, as declarações do Apocalipse e comparando essa descrição de João com Gênesis 1:1, onde temos “o Aleph e o Tav” na frase da criação, é quase impossível não perceber a referência sobre Jesus ( Yeshua ) nesse texto da criação pelos símbolos do hebraico.

Quem mais poderia fazer isso ao longo de mais de um milênio?! Somente um Deus maravilhoso e poderoso, pois não pode ser por obra humana cujo tempo de vida pode chegar a pouco mais cem anos, para alguns.

Que tal um bônus?! Olhe a tabela do hebraico antigo comparado ao hebraico moderno e irá perceber que o “Aleph e Tav” modernos, podem ser representados pelos seguintes pictogramas, conforme já observado na imagem do início deste artigo:

strongsign

O pictograma da cabeça de boi é o antigo Aleph e, dependendo do contexto, refere-se ao mais forte, ou a Deus ( como se fosse uma abreviatura, como é o caso de Yah que é uma abreviatura de Yahvéh, veja aqui ) e o pictograma dos dois gravetos em forma de cruz/marca é o antigo Tav, sendo assim poderíamos transliterar a junção dos dois pictogramas como: Deus ( o mais forte ) na Cruz ou o Grande Sinal da parte de Deus!!! Isso não é incrível?! Essa interpretação de Deus na cruz fica ainda mais perceptível quando analisamos o seguinte texto das Escrituras …

Tomaram eles, pois, a Jesus; e Ele próprio, carregando a sua cruz, saiu para o lugar chamado Calvário, Gólgota em hebraico, onde O crucificaram e com Ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio. Pilatos escreveu também um título e o colocou no cimo da cruz; o que estava escrito era: JESUS NAZARENO, O REI DOS JUDEUS. Muitos judeus leram este título, porque o lugar em que Jesus fora crucificado era perto da cidade; e estava escrito em hebraico, latim e grego. Os principais sacerdotes diziam a Pilatos: Não escrevas: Rei dos judeus, e sim que Ele disse: Sou o rei dos judeus. Respondeu Pilatos: O que escrevi escrevi.” (João 19:17-22)

Observando o texto, por que os judeus ficaram tão aborrecidos com o que Pilatos escreveu?! A causa, provavelmente, foi um acróstico que se formou quando ele escreveu a sentença em hebraico. Um acróstico são formas textuais onde a primeira letra de cada frase ou palavra da frase formam uma outra palavra ou frase, é uma composição em verso, na qual, a primeira, e em outras vezes, a última letra de cada palavra é lida em ordem e formam um nome, um título ou frase. Por exemplo: INRI é um acróstico de “Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus” escritas em latim ficam: “Iesu(a) Nazarenus Rex Iudaeorum” ( perceba as letras destacadas em vermelho no início de cada palavra … INRI ). Agora, observando essa mesma frase no hebraico da mesma forma nós temos então …

ישוע הנצרתי ןמלך היהודים ( Yeshua HaNatzarei vMelech HaYehudim … lembrando que no hebraico se lê da direita para a esquerda ).

As iniciais usadas eram exatamente as mesmas usadas para pronunciar o nome sagrado de Deus: יהוה ( YHVH , conhecido em sua transliteração para o Português como Jeová, Javé, Yehovah, e outros, pois a pronúncia correta do nome sagrado de Deus ainda permanece motivo de discussão ). Sendo assim temos literalmente a interpretação “Deus na cruz” como já observado anteriormente … Não é por acaso que Deus nos diz, pela Bíblia, que já tinha Seu plano definido desde antes da criação do mundo, toda essa informação é uma pequena amostra da beleza da Palavra de Deus e de como ela é profunda em vários aspectos que não podem ser vistos apenas numa simples tradução!!

Bem, esse foi o primeiro post dessa série, espero que tenha sido proveitoso para você e que tenha lhe aberto ainda mais a visão sobre a grandeza da Palavra de Deus. Se você tiver um tempo, estude a palavra Verdade ( emet ) em hebraico e compare a escrita da palavra com o que vimos aqui e perceberá algumas coisas interessantes ( eu escrevi sobre Verdade aqui ).

Que Deus ilumine Sua face sobre você e lhe dê completude!🙏❤

 

12 thoughts to “Beleza e Curiosidades da Bíblia – O Alfa e o Omega”

  1. As verdades do Eterno são reveladas pra todo aquele que busca com fome e sede de sabedoria.
    Que o Pai Eterno te ilumine, pra continuar iluminando outros .
    shalon.

  2. Eis aqui a Sabedoria do Altíssimo, que por amor a suas criaturas, sempre manteve o caminho da salvação bem indicado (sinalizado), para aqueles que O amam.

  3. MARAVILHA DE ESTUDO. GOSTO MUITO DE ESTUDAR O HEBRAICO PARA ENTENDER MELHOR. QUANTO MAIS ME APROFUNDO MAIS QUERO ME APROFUNDAR! QUE DEUS NOS ILUMINE E ORIENTE, TRAZENDO LUZ A ESTE ESTUDO, E ABENÇOANDO E INSPIRANDO O IRMÃO DIONEI. OBRIGADA

    1. Eu sou um estudioso da Bíblia Sagrada. Por querer conhecer mais desse Deus, fiz bacharelado em Teologia numa das Universidades aqui na Capital/SP.
      Hoje, com esse texto, vi o quanto a Palavra nos é revelada como verdade.
      Quanto aos símbolos das letras que indicam uma cruz e um boi, entendo, no caso da letra aleph, tratar-se, não de um boi, mas, sim, de um cordeiro, que em razão do momento em que foi criado, talvez, ainda, não houvesse um animal mais apropriado a indicar o que ocorreria nos tempos de Jesus, que como um cordeiro mudo foi levado ao matadouro, simbolizado pela cruz, letra tav, conforme descrito em Ato dos Apóstolos 8:32.
      No ínicio (aleph) era o Cordeiro de Deus, que, ao final (tav) foi morto na cruz.

  4. Não acaba por aí no tetragrama sagrado do nome de Deus YHVH também testifica do sacrifício de Jesus. Pois o símbolo do Y é uma mão, H é um homem de braços abertos e V é um prego. Resumindo homem com prego nas mãos.!!! Isso é tremendo aleluias!!!

  5. O ‘Aleph e o Tav, tal qual, o Alfa e o Ômega, respectivamente, duas letras, do hebraico e grego, primeira e última tem significados bem diferentes. Naquele alfabeto, significa Deus na cruz e neste o próprio Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *