Devemos estar no “escuro” sobre o Dia que vem como ladrão?

por Dionei Vieira,

 

Dia_Ladrao

 

Texto originalmente publicado aqui: Leia estes três primeiros textos/versículos bíblicos que referenciei abaixo e compare o seu sentido com o último trecho que coloquei, em destaque, e perceba que não é para você estar no “escuro” sobre o “Dia como ladrão” que se refere a volta do Senhor, ou seja, Paulo claramente lhe diz que isso não deveria ser uma surpresa para você se você realmente está vigilante e não dormindo. Não vou ficar descrevendo isso para você, leia os textos e assista ao vídeo abaixo (legendado), rico em referências, gravado por Mark Biltz (para quem não conhece Mark Biltz, ele é quem percebeu o padrão da tétrade das Luas de Sangue, tão conhecidas atualmente, mais informações sobre isso aqui). Seguem os textos:

“(Eis que venho como vem o ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se veja a sua vergonha.” (Apocalipse 16:15)

“Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria e não deixaria que fosse arrombada a sua casa.” (Mateus 24:42-43)

“… pois vós mesmos estais inteirados com precisão de que o Dia do Senhor vem como ladrão de noite.” (I Tessalonicenses, 5:2)

Agora leia este: Leia Mais

Allah Significa ‘Maldição’ Em Hebraico

por Nelson Walters,

 

Allah

 

Nossa cultura moderna promove a idéia de que muçulmanos, cristãos e judeus, todos adoram o mesmo Deus. Este conceito “progressista” afirma que, uma vez que todas as três religiões compartilham muitos personagens das escrituras em comum em seus livros sagrados (como Abraão e Jesus) e já que as três religiões veem Deus como todo-poderoso, onisciente e onipresente; que eles deve ser os mesmos. Um mundo descrente não vê diferença.

Os cristãos sabem que Allah não é YHWH (o nome do nosso Deus, o Senhor Todo-Poderoso), mas discutindo as diferenças, às vezes, é difícil de articular isto aos céticos e descrentes. O fato de que o nome de Allah significa maldição em hebraico, no entanto, diferencia claramente Allah de YHWH e identifica Allah por quem ele realmente é.

Antes de começar, eu gostaria de agradecer a dois amigos cristãos por trazerem esse fato ao meu conhecimento. Eu não sou um estudioso do hebraico e aprender este fato foi como abrir aos meus olhos. Por favor, confira os sites Midnight Watcher e Katie Griffith.

ALAH e ALLAH

A palavra hebraica “Alah” significa praga ou maldição. Em árabe “Allah” significa “[o] deus”. Ambas são pronunciadas da mesma maneira. É uma coincidência ou Leia Mais

As Luas De Sangue São Um Sinal Divino Para Israel? John Hagee Explica

por Erick Stakelbeck,

 

A lua de sangue em Jerusalém em 2011 (Reuters)

 

O livro de Gênesis diz que Deus usa o sol, a lua e as estrelas para os sinais e estações. Exemplos podem ser encontrados em toda a Bíblia.

Pense em como uma estrela guiou os magos a Jesus ou como o sol se deteve, enquanto Josué conduzia Israel à vitória sobre os seus inimigos.

De acordo com o pastor John Hagee, Deus está se preparando para falar desta forma, mais uma vez.

“Há uma sensação no mundo que as coisas estão mudando e que Deus está tentando se comunicar com a gente de uma forma sobrenatural”, disse Hagee à CBN News.

“Acredito que nestes próximos dois anos, vamos ver algo dramático acontecer no Oriente Médio, envolvendo Israel, que irá mudar o curso da história no Oriente Médio e irá impactar o mundo inteiro”, Hagee prevê.

Quatro Luas de Sangue

Em seu último livro, “Quatro Luas de Sangue: Algo está prestes a mudar”, Hagee estabelece o que ele chama de sinais celestes. Ele descreve como uma série de luas de sangue em 2014 e 2015 terá grande importância para Israel.

Embora as luas de sangue simplesmente acontecem com bastante regularidade, quatro delas aparecendo Leia Mais

Poderia A Babilônia Ser A Cabeça da Besta Que Volta à Vida?

Meu Comentário: Este artigo foi escrito pelo brasileiro, Rodrigo Silva, autor do livro recém lançado, “The Coming Bible Prophecy Reformation” (o qual pode ser adquirido na Amazon, aqui). Eu tive o prazer de adquirir este livro no dia do seu lançamento e o recomendo fortemente para todos os que estudam as profecias relacionadas ao tempo em que vivemos. É interessante notar que esse artigo foi escrito há quase 6 anos, em 20/12/2008, muito antes de vermos os movimentos geopolíticos na região do Iraque, do antigo Império Babilônico, aos quais, ainda em 2008 o autor do artigo já apontava que tais movimentos poderiam ocorrer. Recomendo novamente, que adquira o livro do Rodrigo, pois pelo que li de sua obra, ele faz muitos adendos que elucidam ainda mais os assuntos aqui abordados e com muito mais profundidade, já abrangendo os últimos eventos importantes, do ponto de vista escatológico, que temos visto no decorrer dos últimos anos até aqui, em 2014. Além disso, o livro trata de muitos outros temas que vão bem além do assunto abordado neste artigo.

por Rodrigo Silva,

 

 

Em Apocalipse 17, lemos uma das passagens mais misteriosas em toda a Bíblia. Leia a seguir:

E a besta, que era e não é, também é ele, o oitavo rei, e procede dos sete, e caminha para a destruição.” (Apocalipse 17:11)

Quem é essa besta que era e não é, que é o oitavo e procede dos sete? Você pode até levantar a questão: Sete de quê? Os dois versículos antes de Apocalipse 17:11 nos dizem que:

Aqui está o sentido, que tem sabedoria: as sete cabeças são sete montes, nos quais a mulher está sentada. São também sete reis, dos quais caíram cinco, um existe, e o outro ainda não chegou; e, quando chegar, tem de durar pouco.” (Apocalipse 17:9-11)

Ao que todo esse simbolismo está se referindo?

A passagem nos diz que as sete cabeças da besta representam sete montes, sobre os quais se assenta a prostituta. Os sete montes, nos é dito, representam sete reis. Na época de João, cinco destes reis tinham caído, um existia na época de João e outro rei viria após a época de João. A besta, nos diz a passagem, é o oitavo rei, mas procede dos sete. Como pode a besta ser o oitavo rei e ainda proceder de um dos sete? A resposta está em Leia Mais

7 Sinais Positivos Do Fim Dos Tempos Que Se Manifestam Agora

por Perry Stone,

 


Nem todos os sinais relacionados com o retorno de Cristo são negativos na natureza (como o são as guerras, fome, terremotos e assim por diante). Muitos são muito encorajadores e emocionantes. Há sete eventos que ocorreram e que continuam a se manifestar, que são uma parte da restituição e dão provas da vinda de Cristo. São eles:

  • Israel seria restabelecido como uma nação em um dia. (Is 66:7-8; Zc 3:9; Os 3:4-5).
  • A terra iria começar a florescer e ser frutífera. (Is 35:1-8; 27:6).
  • A água iria jorrar no meio do deserto para a irrigação. (Is 35:6-7; 41:18).
  • Jerusalém estaria nas mãos dos judeus e expandiria as suas fronteiras. (Sl 102:16.).
  • Os judeus de nações gentis, fora da Palestina, iriam voltar para Israel. (Is 43:5-6; Jr 16:14-16.).
  • As chuvas temporã e serôdia voltariam nos últimos dias. (Os 6:3; Jl 2:23; Am 4:7).
  • Os muros de Jerusalém seriam reconstruídos por estranhos e as portas estariam abertas de contínuo. (Is 60:1-11).

O processo de restauração de Israel começou durante os anos 1800, com o nascimento do movimento sionista, mas manifestou-se ao mundo em 14/15 de maio de 1948, quando David Ben-Gurion fez uma proclamação declarando um novo Estado para os judeus, chamado Israel. Parte da proclamação dizia: “O Estado de Israel está aberto para imigração de judeus de todos os países de sua dispersão”. Poucas horas depois Leia Mais

O Oriente Médio e A Besta do Apocalipse

Meu Comentário: Este artigo foi escrito pelo brasileiro, Rodrigo Silva, autor do livro recém lançado, “The Coming Bible Prophecy Reformation” (o qual pode ser adquirido na Amazon, aqui). Eu tive o prazer de adquirir este livro no dia do seu lançamento e o recomendo fortemente para todos os que estudam as profecias relacionadas ao tempo em que vivemos. É interessante notar que esse artigo foi escrito em 2008, muito antes de vermos o surgimento do Califado na região do Iraque e da Síria, algo que o Rodrigo já acreditava que poderia ocorrer nessa região, devido as interpretações das profecias bíblicas, como você poderá comprovar ao ler o artigo. Como reforço para uma melhor compreensão da leitura, recomendo que assista aos vídeos que traduzi e legendei que tratam sobre o ISIS e sua possível relação com a antiga Assíria, aqui e aqui, pois poderão aumentar ainda mais o seu entendimento sobre o texto. Recomendo novamente, que também adquira o livro do Rodrigo, pois pelo que tenho lido de sua obra, ele faz muitos adendos que elucidam ainda mais os assuntos aqui abordados e com muito mais profundidade, já abrangendo os últimos eventos importantes, do ponto de vista escatológico, que temos visto no decorrer dos últimos anos até aqui, em 2014. Além disso, o livro trata de muitos outros temas que vão bem além do assunto abordado neste artigo.

 

por Rodrigo Silva,

 

Estudantes das profecias bíblicas sempre identificaram a besta do Apocalipse, capítulo 13, com o Império Romano em sua forma renascida. De acordo com este ponto de vista, a União Europeia seria o império profetizado do Anticristo. Depois de ler tantos livros proféticos escritos por autores com uma mentalidade ocidental, passei a acreditar que o Apocalipse, capítulo 13, de fato previa a ascensão de Roma no fim dos tempos, como a União Europeia e até escrevi sobre isso no meu artigo intitulado “A Grande Tribulação” até que um dia fiquei impressionado com o versículo que diz: “e a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os pés de um urso, e a sua boca como a de um leão …” (Apocalipse 13:2a).

Imediatamente, após este versículo quase pular para fora da página e me dar um tapa no rosto, percebi que este versículo não estava prevendo o renascimento de Roma, mas o renascimento dos antigos impérios Leia Mais

Será que Estamos Realmente no Fim dos Tempos?

por Perry Stone,

 

Os videntes proféticos estão nele outra vez. Eventos tais como a guerra no Oriente Médio, um tsunami, um terremoto assassino ou um fenômeno meteorológico ao estilo Katrina que venham a atingir o planeta, e os estudantes de profecias e adivinhos seculares começam a gorjear as suas advertências, como as aves em abril nos EUA anunciando que a primavera chegou. Desde que Cristo subiu em uma nuvem para o céu a partir do topo do Monte das Oliveiras, em Jerusalém, séculos de pregadores e estudantes de profecias tentaram discernir de todas as outras nuvens de conflito global que pairam sobre o horizonte como a nuvem através da qual Jesus pode retornar. Será que estamos realmente no tempo do fim, e se nós estamos, o que é o tempo do fim?

Em primeiro lugar, o tempo do fim não é o fim dos tempos, uma frase muitas vezes repetida quando os crentes falam sobre os últimos dias. O termo “fim dos tempos” não é encontrado em nenhum dos Testamentos nos originais. Nem é o tempo do fim o fim do mundo, como alguns sugerem. O conceito de que o mundo vai acabar é um mal-entendido de um versículo na tradução do Evangelho de Mateus. Cristo previu:

E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?” Mateus 24:3 (versão Almeida Corrigida e Revisada Fiel)

O termo “fim do mundo” pinta uma imagem na tela da imaginação humana Leia Mais