Confirmado: Os EUA são o Principal Facilitador da Perseguição aos Cristãos

Raymond Ibrahim

 

Indicadores proeminentes confirmam que os EUA são o principal facilitador da perseguição aos cristãos em todo o mundo hoje.

Senador John McCain se encontrando com terroristas islâmicos na Síria

 

De acordo com a recém-lançada Lista de Vigilância Mundial de 2014 que classifica os 50 países onde os cristãos são mais perseguidos, a Síria é o terceiro pior país do mundo para ser um cristão, o Iraque é o quarto, o Afeganistão é o quinto e a Líbia é o décimo-terceiro. Todos os quatro países recebem a designação mais forte, de “extrema perseguição” (outras designações são perseguição de nível: “grave,” “moderado” e “escasso”).

Além de estarem tão juntas e serem duramente classificadas, essas quatro nações têm outra coisa em comum: um grande envolvimento dos EUA. Três delas (Iraque, Afeganistão e Líbia) foram “libertas” graças às forças armadas americanas, enquanto que na quarta, a Síria, os EUA estão patrocinando ativamente os “combatentes da liberdade” contra o governo sírio, muitos dos quais merecem o rótulo de “terroristas.”

Só a situação da Síria é suficiente para incriminar a política externa americana. De acordo com a agência de notícias Reuters:

A organização Portas Abertas, um grupo não-denominacional que apoia os cristãos perseguidos em todo o mundo, disse nesta quarta-feira que documentou 2.123 assassinatos de cristãos que foram vítimas de martírio, em comparação com 1.201 que ocorreram em 2012. Só na Síria, foram 1.213 desses assassinatos no ano passado. “Essa é uma contagem mínima, com base no que foi divulgado na mídia e nós podemos confirmar,” disse Frans Veerman, chefe de pesquisa de Portas Abertas. Estimativas de outras organizações cristãs colocam a estatística anual em patamares maiores que chegam a 8.000. Leia Mais

Vida Cristã – Como nos sairíamos nos requisitos de John Wesley?

O grande avivalista John Wesley, em 1756, apresentou “An Address to the Clergy” [Discurso ao clero] (pode ser visto aqui), texto esse que os futuros pastores de nosso tempo deveriam ler como parte de seu treinamento. Ao distinguir os tipos de habilidade que um pastor deveria ter, Wesley distinguiu-as entre “dons naturais” e “habilidades adquiridas”. Apesar de originalmente a lista de Wesley destinar-se aos que iriam seguir o pastorado, acredito que não deveríamos restringir essas considerações apenas às lideranças na Igreja de Cristo, mas a todos pertencentes ao Corpo de Cristo, pois em minha concepção somos todos sacerdotes, seja em nossas casas junto à família, seja no trabalho ou em outras atividades onde nossa luz deve brilhar.

Obviamente, deve-se levar em consideração as capacidades de acesso à informação e aos objetos de estudo que cada indivíduo consegue ter, assim como os seus dons naturais. Atualmente o nosso acesso às obras e objetos de estudo são muito mais vastos e acessíveis do que eram na época do século XVIII, mas ao ler a lista você, assim como eu, ficará tentado em criar alguma desculpa para diminuir a necessidade apontada por Wesley e dessa forma fugir de meditar sobre a real necessidade de crescimento e aprimoramento, mas tenha coragem de assumir que você pode e deve melhorar no mesmo aspecto em que a leitura do requisito lhe deixar desconfortável, pois a zona de conforto dificilmente pode gerar algum crescimento relevante. Segue então a lista de habilidades a adquirir, adaptada e resumida, conforme o texto de John Wesley, Leia Mais

Intelectual Islâmico Apoia a Construção do Terceiro Templo em Jerusalém

Devido a algumas solicitações e com o objetivo de facilitar a compreensão, eu traduzi e legendei o vídeo da entrevista feita pelo intelectual Islâmico, Adnan Oktar, ao escritor e pesquisador Joel Richardson. Adnam Oktar é um intelectual respeitado no mundo Islâmico que escreveu centenas de livros e brochuras e possui muitos seguidores, tendo assim grande influência no mundo Islâmico, principalmente na Turquia. Joel Richardson é um escritor e pesquisador Cristão americano com várias obras relacionadas à escatologia Cristã e à Cultura Islâmica.

A entrevista aborda a construção do Terceiro Templo do povo de Israel em Jerusalém, a vinda do Messias Islâmico, conhecido como Mahdi e outros temas referentes à escatologia Islâmica. Como a cultura escatológica Islâmica é pouco conhecida em ambientes Cristãos, preciso antes dar um contexto sobre a mesma e isso irá facilitar o seu entendimento. Não vou fazer um artigo profundo sobre isso agora, pois vou deixar para um post futuro que será específico sobre esse assunto na minha série de artigos relacionados à escatologia.

O que chama muito a atenção é o fato de existir alguém de influência no mundo Islâmico que, além de apoiar a construção do Terceiro Templo de Jerusalém, ainda reconhece que Israel possui o direito à Terra Leia Mais

O que Bíblia diz Sobre o Futuro da Faixa de Gaza?

Como o foco do mundo está fixo agora na Faixa de Gaza, os estudantes da Bíblia fariam bem em parar e considerar o que os antigos profetas hebreus tinham a dizer sobre o futuro deste pequeno pedaço de terra. Vamos considerar algumas passagens. Primeiro, de acordo com as Escrituras, o retorno de Jesus e o julgamento subseqüente será em grande parte ao redor do que o profeta Isaías chamou de “a causa jurídica“, ou “a controvérsia de Sião“:

Pois o Senhor tem um dia de vingança, um ano de retribuições pela causa de Sião… (Isaías 34:8)

Sem dúvida, hoje a “controvérsia de Sião” atinge a todas as nações, enquanto o estado de Israel tenta esmagar o domínio do Hamas sobre Gaza, um grupo com o objetivo declarado de exterminar o povo judeu e de criar a sua capital em Jerusalém.

Segundo vários profetas, a polêmica só vai se intensificar à medida em que se aproximar o retorno de Jesus, quando uma vasta coalizão de nações invadirá Israel e cercará a cidade de Jerusalém, buscando cometer o genocídio final contra o povo judeu. O profeta Joel nos diz que o Senhor executará julgamento contra todas as partes envolvidas nesta invasão e, Leia Mais

Israel: o maior aliado do povo palestino

Matt Barber

 

Israel não é manso.

Mas é bom.

Se um caçador atira flechas contra um grupo de leões que estão dormindo, os leões é que têm culpa se despertarem e se defenderem?

O que dizer de um atirador quando ele, intencionalmente, se esconde atrás das saias de sua própria mulher e filhas, esperando — aliás, rezando — para que essas preciosas almas morram inadvertidamente como consequência?

Alguém diria que se trata de um covarde, um idiota e um monstro.

Tais são os homens do Hamas, do Hezbollah e da Autoridade Palestina — todos terroristas. Eles, propositadamente, sacrificam seus próprios cidadãos.

Existem dois culpados pelas trágicas perdas de vidas tanto em Gaza como em Tel Aviv: o islamismo em geral e o Hamas em particular. Não há equivalência moral nesse furioso conflito de Gaza.

Só existe o bem e o mal.

Israel, embora não seja perfeito, é bom. O Hamas é mau. Israel ama a vida. Hamas ama a morte.

Mas não acredite nisso pela minha palavra. Em 2008, Fathi Hamad, líder político do Hamas, Leia Mais

Cristãos Iraquianos Expulsos de Mosul pelo Califado Islâmico

Desde o ano passado tenho acompanhado o crescimento do ISIS na região da Síria e Iraque e, à época, já se esperava que, se eles tivessem sucesso, isso resultaria em forte perseguição aos cristãos da região. Infelizmente o pior ocorreu e a Sharia (lei Islâmica) agora impera na região do agora IS (Estado Islâmico). Apenas em Mosul, onde antes haviam cerca de 60.000 cristãos, atualmente não há mais nenhum, ou foram mortos, ou expulsos ou negaram a fé para se tornarem Islâmicos. A mídia, em geral, nem aborda o assunto, se o faz, é por poucos segundos ou em poucas linhas. Oro ao nosso Deus para que o Seu Braço Forte alcance a essas famílias, os consolem e os auxiliem. Não é fácil, para um cristão, viver sob a Sharia (lei Islâmica), o preço para quem vive sob esse regime é tão alto que pode vir a lhe custar a vida, principalmente quando você decide não negar a Cristo. Se você puder, contribua, existem programas de ajuda disponíveis que permitem doações e auxílio a pessoas nessa situação, seu braço pode não ser tão pequeno como imagina.

Como assistir a uma entrevista dessas e não sentir a dor, a tristeza, o desalento de ver pessoas, idosos e crianças, expulsas de suas casas e vidas pelo “crime” de ser Cristão e Leia Mais

Putin é pior do que Stálin?

Pat Buchanan

 

Em 1933, o Holodomor (a Grande Fome) estava ocorrendo na Ucrânia.

Depois que os “kulaks,” os fazendeiros independentes, haviam sido liquidados na coletivização forçada da agricultura soviética, uma fome genocida foi imposta sobre a Ucrânia através da apreensão de sua produção de alimentos.

O número de mortos foi estimado entre 2 a 9 milhões de pessoas.

Walter Duranty, jornalista do jornal New York Times, que chamou os relatórios sobre a fome de “propaganda maligna,” ganhou um prêmio Pulitzer por sua mentira.

Em novembro de 1933, durante o Holodomor, o maior esquerdista entre todos, o presidente Franklin Delano Roosevelt, convidou o ministro do Exterior Maxim Litvinov para receber, em nome de seu mestre Stálin e do seu regime assassino, um reconhecimento oficial dado pelo governo dos EUA.

Em 1 de agosto de 1991, apenas quatro meses antes da Ucrânia declarar a sua independência da Rússia, Leia Mais