Executivo do Petróleo da Rússia: Os sauditas manipulam o preço do petróleo para baixo

Meu Comentário: segue abaixo mais um resumo das manchetes do mercado financeiro mundial de acordo com a seleção de tópicos e reportagens feitas por Mark Leibovit. Vale ressaltar além da questão petrolífera abordada inicialmente, o destaque para o fato do Banco Central Europeu começar a levar em consideração a adoção do yuan chinês para as suas reservas, fazendo dessa moeda uma moeda de reserva estrangeira o que fortalece o yuan e sinaliza um enfraquecimento do dólar.

por Mark Leibovit,

 

 

Nota do Editor: Mark Leibovit é um dos mais bem cotados observadores do mercado de ouro do mundo de investimentos e ajuda aos investidores a anteciparem o benefício de ambos, os altos e baixos dos mercados de metais preciosos com seu relatório “Leibovit VR Ouro Letter”.

*****

Da RIA Novosti:

Executivo do petróleo russo acusa os sauditas de manipularem o preço do petróleo para baixo

MOSCOU – O excedente de petróleo no mercado mundial é um fenômeno temporário, o vice-presidente da gigante petrolífera russa Rosneft, Mikhail Leontiev, disse no domingo.

“A dinâmica do preço atual, que tem sido desenvolvida nos últimos meses, pode não refletir a tendência objetiva”, disse Leontiev à rádio Russkaya Sluzhba Novostei.

“Os preços podem estar manipulados. Primeiro de tudo, a Arábia Saudita começou a fazer grandes descontos em relação ao petróleo. Isso é manipulação política e Arábia Saudita está sendo manipulada, o que poderia acabar mal”.

“O segundo fator é o petróleo roubado pelo ISIL [Estado Islâmico], que chega ao mercado através da Turquia e Israel com um desconto triplo. Não é muito, mas é roubado, por isso é barato”, disse o vice-presidente Rosneft.

Que o mercado, principalmente, nos Estados Unidos, é preenchido com o petróleo americano é devido a chamada revolução do xisto e é um fator de longo prazo, afirmou Leontyev.

Na sexta-feira, após a publicação do relatório de outubro da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), que observou um aumento na produção de petróleo nos países pertencentes aos países da OPEP, os preços internacionais do petróleo começaram a cair.

*****

Do The Financial Times:

O JPMorgan deixa de lado US$1 bilhão para multas sobre o aparelhamento do câmbio

JPMorganChase reservou US$ 1 bilhão em reservas legais, são desanimadores os resultados do terceiro trimestre, o maior banco dos EUA em ativos se prepara para pagar grandes multas sobre as acusações de que manipulou o mercado de câmbio.

O banco pagou bilhões de dólares em penalidades sobre as violações regulatórias e ações judiciais nos últimos dois anos – que vão desde a “baleia de Londres”, um fiasco comercial para títulos lastreados de aconselhamento inadequado em hipotecas.

Aumentando suas reservas em até US$ 1 bilhão, foi mais do que os analistas esperavam e tirou os lucros do banco para os três meses até o final de setembro, abaixo das expectativas, que eram de US $ 5,6 bilhões.

É um sinal, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto, de que o JPMorgan está perto de estabelecer medidas de execução, o que está sendo conduzido pelas autoridades do Reino Unido e dos Estados Unidos, e afeta vários dos maiores bancos de troca de moeda do mundo.

*****

De EIN News:

Centros do mercado asiático movem-se em ouro

Os asiáticos compram a maioria do ouro do mundo, mas quase todo ele comercializam em Londres. Agora, com os investidores ocidentais azedando com o metal, a região está para fazer uma oferta para algumas das ações.

Três grandes centros financeiros na Ásia estão lançando separadamente a negociação de um contrato de ouro, cada um apoiado com ouro físico.

Se chamarem investidores suficientes, os contratos poderiam influenciar o preço do ouro, que é definido por uma dose diária, em Londres.

A China é hoje o maior produtor e consumidor mundial de ouro, e o maior importador, já que a demanda doméstica superou a oferta. A Índia também é um grande comprador e importador. Dois terços das compras de ouro globais vêm da Ásia, diz o World Gold Council (Conselho Mundial do Ouro).

Ainda assim, muitos observadores dizem que a Ásia provavelmente irá achar uma tarefa difícil de desbancar Londres como o centro do mundo para o comércio de ouro. Uma das principais razões: a China proíbe a exportação de barras de ouro, argumentando que a sua enorme produção nacional é necessária para atender a demanda local.

Isso significa que o ouro pode fluir para a China quando os preços não estão acima das que são estabelecidas em Londres, mas não pode se mover para o outro lado. Controles rigorosos de Pequim também limitam o movimento de capital.

“O maior destaque de preços fora da Ásia só pode melhorar o mix, mas duvido que nos próximos dois anos irá mudar fundamentalmente a forma como os preços à vista são derivados”, disse Ross Norman, diretor executivo da Sharps Pixley, uma corretora de Londres baseada em barras de ouro e prata.

*****

Do GoldMoney.com:

Relatório de Mercado: O Ouro se beneficia das incertezas do mercado

Por Alasdair MacLeod

As perspectivas para o ouro está agora mais positivo do que tem sido por algum tempo. Depois de um longo período de baixa volatilidade, como os fundos investidos estão cada vez em maior risco, os mercados já compraram e a volatilidade saltou. Em suma, estamos oscilando muito repentinamente da complacência para a realidade.

*****

De Tocqueville.com:

De Hathaway da Tocqueville: A China tem acertado sobre o ouro e o dólar

Na carta para investidores do terceiro trimestre do gestor do Fundo de Ouro da Tocqueville, John Hathaway detalha como os fundamentos para um preço muito mais forte do ouro permanecerá em seu lugar, e ele cita muitos dos desenvolvimentos para os quais a GATA (Anti-Trust Action Committee Gold) tem chamado a atenção nas últimas semanas.

A carta de Hathaway conclui: “Nós nos confortamos de que a nossa visão positiva do futuro preço em dólar do ouro é compartilhada por aqueles que entendem a diferença entre o sintético e o metal físico e que consideram a substância real como uma questão de imperativo estratégico, não como um brinquedo para macro comerciantes. Acreditamos que a avaliação negativa da China das perspectivas futuras para o dólar está correta e que a nossa estratégia de investimento de investir em ações de mineradoras de ouro de criam valor e oferece exposição sensível e dinâmica para um novo preço inevitável do ouro em dólares”.

*****

Do Mining.com:

O diamante rosa vendido por um preço recorde e histórico de US$18 milhões

Uma extravagância de 8.41 quilates, em forma de pêra, um diamante rosa impecável foi vendido por um preço recorde de US$ 17,8 milhões em Hong Kong, mais de $3 milhões a mais do que o que Sotheby estava esperando alcançar, estabelecendo um recorde mundial em uma base por quilate para este tipo de pedra preciosa .

A casa de leilões não revelou a identidade do comprador, mas disse que 200 pessoas participaram da licitação no Centro de Convenção e Exposição de Hong Kong, em Wan Chai.

Internamente de clareza impecável o que é extremamente raro em diamantes rosa, e a casa de leilões disse que isso, em combinação com a sua “extravagância vívida” de gradação de cores, fêz da pedra “entre o mais raro e mais desejável dos diamantes coloridos já vistos em um leilão”.

*****

Do Bloomberg.com:

Zhou da China diz que alguns países já utilizam o yuan em reservas

WASHINGTON – Alguns países já estão usando o yuan chinês em suas reservas em moeda estrangeira sem anunciá-lo, disse o presidente do banco central da China, Zhou Xiaochuan.

Enquanto o yuan da China já tem começado a ser usado como moeda de reserva por vários anos, alguns países “podem não estar dispostos a dizer que sim”, disse Zhou à Bloomberg durante as reuniões do Fundo Monetário Internacional em Washington.

A China tem intensificado os esforços para promover o uso do yuan no exterior desde a crise financeira global como uma expansão da segunda maior economia do mundo que fornece mais força enquanto que a Europa ainda não se recuperou totalmente. O Banco Central Europeu vai discutir na próxima semana se irá começar a preparar o terreno para adicionar o yuan chinês para as suas reservas em moeda estrangeira, noticiou a Bloomberg ontem.

“É bom que mais países estão dispostos a adotar o renminbi como moeda de reserva enquanto nossa economia cresce e as nossas reformas financeiras continuam”, disse Zhou, respondendo a consideração do BCE de adicionar o yuan para as suas reservas. Renminbi é o nome oficial do yuan.

*****

Da Reuters:

Bancos aceitam mudanças em regras de derivados para acabar com o cenário ‘grandes demais para falir’

LONDRES – A indústria de derivativos financeiros de US$700 trilhões concordou com uma mudança na regra fundamental de janeiro para ajudar os reguladores a tomarem fôlego devido aos bancos falidos, sem desestabilizar aos mercados.

A ‘International Swaps and Derivatives Association’ (ISDA) e 18 grandes bancos que dominam o mercado vão agora permitir que vigias financeiros apliquem estadias temporárias para evitar uma corrida para fechamento de contratos de derivativos, caso um banco se visse em apuros, disse a ISDA.

Um atraso daria aos reguladores tempo para garantir que as partes críticas de um banco, tais como as contas de clientes, continuem sem problemas, enquanto que o restante é finalizado ou vendidos de forma ordenada.

De acordo com os novos termos contratuais, as cláusulas de inadimplência em contratos de derivativos, tais como taxa de juros ou “credit default swaps” seriam suspensas por um período máximo de 48 horas.

 

* Artigo traduzido por mim, original no link: Russian oil exec: Saudis manipulating oil price down

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *