O Problema com o Dinheiro (Papel-Moeda)

Meu Comentário: Se você quer entender como e o porquê do dinheiro em papel-moeda ser um problema para o sistema bancário e para os bancos centrais, este artigo do renomado economista britânico, Alasdair Macleod, lhe dará algumas respostas e você poderá entender porque digo que estamos correndo o risco de nos tornarmos uma sociedade que venha a utilizar apenas o dinheiro eletrônico num futuro próximo. O que no fim se mostraria o pior dos mundos para a sociedade, como coloquei no meu artigo anterior a este (aqui).

 

por Alasdair Macleod,

 

Quando as taxas de juros são zero e custa para um banco cuidar do seu dinheiro, isso torna-se um ativo não atraente. Bancos em algumas jurisdições (como a Suíça, Dinamarca e Suécia) estão inclusive cobrando taxas dos clientes que fazem uso de dinheiro (papel-moeda) e de depósitos em dinheiro. E se você ir para o seu banco e retirar grandes quantidades sob a forma de notas dobráveis ​​para evitar essas taxas, você vai ter sorte se você não for tratado como uma espécie de pária. Por enquanto, pelo menos, estes problemas não se estendem ao que se parece com dinheiro, em outras palavras o ouro.

Há duas questões distintas envolvidas com a moeda emitida pelo governo: as taxas de juros de zero a negativas, o que praticamente eliminam qualquer curva de juros sobre os depósitos para os bancos e uma questão sistêmica que surge se muitas pessoas retirarem seu dinheiro do sistema bancário . Os problemas com isso se tornam significativos se pessoas suficientes decidirem optar efetivamente de guardar o seu dinheiro fora dos bancos.

A conversão dos depósitos bancários em dinheiro físico aumenta as proporções de reserva, restringindo a capacidade dos bancos para criarem crédito. No entanto, enquanto os bancos estão contratualmente obrigados a fornecerem dinheiro físico (papel-moeda) para quem quer isso, um levantamento sobre os depósitos bancários é uma coisa ruim do ponto de vista de um banco central. Um desejo por dinheiro físico é, portanto, desencorajado. Em vez disso, se a opção de possuir dinheiro físico for removida e só houver o dinheiro eletrônico, os depósitos seriam simplesmente transferidos de um banco para o outro e eventuais desequilíbrios entre os bancos seriam resolvidos através dos mercados monetários, com ou sem a assistência de um banco central. Os efeitos desestabilizadores das corridas bancárias seriam eliminadas por completo.

No atual clima financeiro, a demanda por dinheiro (papel-moeda) não se origina tanto da perda de confiança nos bancos, com algumas exceções notáveis, como na Grécia. Em vez disso, é uma consequência das taxas de juro ultra-baixas ou até mesmo negativas. O desejo por dinheiro em papel-moeda é, portanto, uma consequência não intencional dos bancos centrais que tentam injetar confiança na economia. Os direitos das pessoas comuns de transformarem depósitos em dinheiro físico são, portanto, resistidos por parte dos bancos centrais, que estão focados sobre o gerenciamento de políticas de taxa de juro zero e suprimindo quaisquer efeitos secundários.

Os bancos centrais podem tomar essa lógica um passo adiante. A política monetária destina-se principalmente a promover a confiança dos investidores, portanto, qualquer tendência para os investidores em liquidarem investimentos é, portanto, para ser desencorajada. No entanto, com os mercados financeiros ficando progressivamente mais caros, os bancos centrais vão então suspeitar que o interesse relativo dos balanços de caixa estão aumentando. E porque os bancos estão tornando os depósitos em dinheiro mais caros, este é obrigado a aumentar a procura de notas físicas.

A política monetária tornou-se agora como uma panela de pressão com uma válvula de segurança com defeito. Os bancos centrais e os investidores percebem que estão lentamente começando também a ficarem com problemas. Adicionar a esta mistura uma economia global vacilante, fato este que está se tornando impossível de ignorar, e também um choque-de-dinheiro, tudo isso se torna um sério risco potencial, tanto para a política monetária quanto para o sistema bancário.

Há uma alternativa óbvia para o dinheiro (papel-moeda), que é comprar ouro físico. Isto não constitui uma corrida sobre o sistema bancário, porque um comprador de ouro usa o dinheiro eletrônico para isso e o transfere para o vendedor. O problema com o ouro físico é uma questão separada: ela desafia a razão de ser do sistema bancário e das moedas do governo também.

É por isso que ainda se pode comprar o ouro ao invés de tornar os nossos depósitos em dinheiro (papel-moeda), pelo menos neste momento. Isso pode ser apenas uma questão de tempo antes que as pessoas percebam que, com a opção do dinheiro (papel-moeda) correndo o risco de ser eliminada, esta é a única maneira de escapar de um sistema financeiro cada vez mais disfuncional.

 

* Artigo traduzido por mim, link do original aqui: The trouble with cash

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *