Gráficos da Velocidade do Dinheiro (M1, M2 e MZM) nos EUA desde 1959 até Abril de 2015

A velocidade do dinheiro é a freqüência com que uma unidade de moeda é utilizada para adquirir bens e serviços produzidos domesticamente – dentro de um determinado período de tempo. Em outras palavras, é o número de vezes que um dólar é gasto para comprar bens e serviços por unidade de tempo. Se a velocidade do dinheiro está aumentando, em seguida, mais transações estão ocorrendo entre os indivíduos em uma economia.

A freqüência de troca de moeda pode ser usado para determinar a velocidade de um determinado componente da oferta de dinheiro, fornecendo algumas dicas sobre se os consumidores e as empresas que poupam ou gastam seu dinheiro. Existem vários componentes da oferta de moeda: M1, M2 e MZM (M3 não é monitorado pelo Federal Reserve); estes componentes são dispostos sobre um espectro mais amplo para um mais reduzido. Considere M1, o componente mais reduzido. M1 é a oferta de moeda da circulação monetária (notas e moedas, cheques de viagem [emissores não bancários], depósitos por demanda e depósitos à vista). A velocidade de diminuição da M1 pode indicar que menos transações de consumo de curto prazo estão ocorrendo. Podemos pensar em transações de mais curto prazo como o consumo que venham a ser feitos em uma base diária.

O componente mais abrangente M2 inclui o M1, aumentando o espectro para além de depósitos de poupança, certificados de depósito (menos de US$ 100.000), e depósitos no mercado monetário para os indivíduos. Comparando as velocidades do M1 e do M2, isso fornece alguns insights sobre a rapidez com que a economia está gastando e o quão rápido ela está poupando.

O MZM (dinheiro com maturidade zero) é o componente mais amplo e consiste na oferta de ativos financeiros resgatáveis ao seu pedido: Notas e moedas em circulação, cheques de viagem (emissores não bancários), depósitos de demanda, outros depósitos à vista, depósitos de poupança, e todos os fundos do mercado monetário. A velocidade de MZM ajuda a determinar quantas vezes os ativos financeiros estão mudando de mãos dentro da economia.

Observando essas informações e os gráficos compartilhados, você pode perceber que claramente os mesmos não denotam uma economia em “franca recuperação” como é tão propagandeado pela mídia, mas sim justamente o contrário. Os sinais já estão aparecendo, pois o mercado vem degradando desde o início de 2015 e muitos efeitos podems ser percebidos, como é o caso dos mais de 2000 pontos que o Dow Jones perdeu desde o seu pico, sem falar nas tendências recentes e perigosas observadas no S&P 500.

Fonte: Dionei Vieira – Gráficos da velocidade do dinheiro (M1, M2 e MZM)…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *