A “Moda” Transgênero Está Se Espalhando Rapidamente Nas Escolas Primárias

O número de crianças em idade escolar primária, algo como crianças na faixa dos quatro anos, que estão começando a “transição” do seu gênero está aumentando rapidamente no Reino Unido. A popularidade dessa “moda” parece estar se agrupando, com as crianças copiando umas as outras nas mesmas escolas.

Até 80 crianças em idade escolar primária estão agora em busca de ajuda no sentido de potencialmente alterarem o seu sexo, revelou a organização de “Sereias”, uma instituição de caridade que faz lobby para famílias que acreditam que suas crianças e adolescentes são transgêneros.

Falando com o Telegraph, Susie Green disse que, em alguns casos, as crianças britânicas, em idades tão jovens quanto quatro anos, já estão em processo de “transição” para um outro sexo.

Ela também descreveu como a sua organização tem observado um efeito conjunto em todo o país, com crianças, uma após a outra, na mesma escola; uma escola onde possa haver um professor que promove a ideologia de transgênero.

Sua evidência correlaciona-se com os resultados de um estudo realizado por Mark Zucker, no Centro de Dependência e Saúde Mental, em Toronto, Canadá, que constatou que transgênero era mais proeminente e persistente entre as crianças quando promovidos por adultos.

Os pesquisadores observaram que as crianças que viram terapeutas e outras autoridades que assumem que eles pertencem ao sexo oposto podem realmente tornar-se mais angustiadas, exacerbando a sua “identidade de gênero infeliz”.

Outro estudo recente descobriu que 70 a 80 por cento das crianças que relatam sentimentos transexuais os perdem espontaneamente à medida que crescem.

Os comentários da Sra. Green vem enquanto uma escola primária no noroeste da Inglaterra está sentindo o calor sobre a sua decisão de se recusar a aceitar um pedido de uma menina de oito anos de idade, que nasceu como uma menina para ser tratada como um menino.

“Estamos trabalhando com eles, estamos tentando resolver isso, mas [a escola] são muito relutantes”, disse a ativista, que está empurrando o pedido dos pais para ser reconhecido.

Ela disse que tais indiferenças são agora “muito comuns”, e acrescentou que uma ação legal sobre o assunto não poderia ser descartada num futuro próximo.

Gay marriage schools LGBT Children

Apesar das evidências sugerindo que o exercício de cautela possa ser sábio, é improvável que a Sra. Green mude sua posição sobre o assunto já que a sua própria filha sofreu uma mudança de sexo, a primeira a ser identificada como transgênero aos quatro anos de idade.

Ela argumentou que oito anos não deveria mais ser considerada uma idade jovem para se iniciar o processo de “transição”.

“Temos crianças de quatro anos, crianças de cinco anos, crianças de seis anos que estão em transição, já que os pais sabem mais sobre ele e estão mais conscientes se eles têm uma criança que está lutando e sofrendo”, disse ela.

“Você não vai necessariamente fazer nada a não ser que ela esteja causando angústia, [mas] essas crianças são muito mais felizes agora que eles têm sido apoiados a viverem no gênero com que se identificam, ela não é um acéfalo”.

“Temos pais relatando em retorno e dizendo ‘meu filho é muito mais feliz agora, eles estão freqüentando a escola agora, eles estão fazendo amigos agora'”.

“Temos famílias de crianças de cinco anos, crianças de seis anos, crianças de sete anos – oito anos não é particularmente cedo”.

A Sra. Green sugeriu que a instituição de caridade está agora lidando com cerca de 80 casos envolvendo crianças em idade escolar primária por ano, e ficou claro que ela tinha visto evidências de que há crianças pedindo para viver em outro gênero e estão incentivando outros a fazê-lo.

“Em termos de famílias se juntando aos nossos grupos de pais, só este ano tivemos mais de 200 famílias”, disse ela.

“A maioria das pessoas – cerca de 60 por cento – são adolescentes, mas o resto são famílias de crianças pequenas. É muito mais do que as pessoas imaginam.

“Mas uma coisa é que não há mais informações saindo de lá agora e nós estamos encontrando agora cerca de metade das escolas com quem estamos a tratar que estão realmente confortáveis ​​e querem aprender porque há mais na mídia e mais lá fora”.

Em agosto, a Breitbart de Londres revelou que a polícia e o governo local em Cornwall, Inglaterra, estão distribuindo um documento “Orientação Transgênero para Escolas”, destinado a “capacitar  aos professores para incentivar e apoiar o transgênero nas escolas nos “primeiros estágios”, depois que crianças de quatro anos de idade foram identificadas como transgênero na área.

Fonte: Transgender Fad Rapidly Spreading In Primary Schools, ‘Clusters’ Emerging As Children Copy Friends

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *