CNN exclusivo: combatente do ISIS diz que ataques aéreos dos EUA não são eficazes

29/09/2014

Gaziantep, Turquia (CNN) – Os Estados Unidos podem estar divulgando seus ataques em alvos do ISIS na Síria, mas um dos combatentes do grupo terrorista diz que os ataques são triviais na melhor das hipóteses.

Em entrevista exclusiva à CNN, um combatente sírio do ISIS, usando o pseudônimo de Abu Talha, disse que o grupo militante vem se preparando para tais ataques.

“Estamos prontos para isso há algum tempo”, disse Abu Talha. “Nós sabemos que nossas bases são conhecidas, porque eles estão nos rastreando com radares e satélites, por isso tivemos locais de reserva”.

Ele zombou da coalizão liderada pelos Estados Unidos que atacou alvos do ISIS na Síria na semana passada, incluindo ataques a refinarias móveis de petróleo e veículos.

“Nós temos outras fontes de renda além do petróleo. Temos outras fontes de renda e as nossas finanças não vão parar apenas por causa das perdas de petróleo”, disse o combatente de 28 anos de idade.

“Eles pensavam que sabiam de tudo. Mas graças a Alá, eles não sabem nada. E se Alá quiser, vamos derrotar os infiéis”.

Abu Talha disse que ele estava entre os combatentes do ISIS que assumiram Mosul, a segunda maior cidade do Iraque, em junho.

Ele disse que mesmo se os ataques da coalizão impeçam o ISIS, eles não são o suficiente para parar a missão do ISIS de fortalecer um Estado islâmico em partes sunitas da Síria e do Iraque.

“Eles nos atacaram em algumas áreas, e nós avançamos em outras”, disse Abu Talha. “Se são empurrados de volta no Iraque, nós avançamos no norte da Síria. Estes ataques não podem nos parar, ou ao nosso apoio ou aos nossos combatentes.”

O Presidente dos EUA, Barack Obama, admitiu que o rápido aumento do ISIS na Síria tinha sido subestimado anteriormente.

Em uma entrevista, que foi ao ar no domingo no programa “60 Minutos” da CBS, Obama disse que o governo dos Estados Unidos “subestimaram o que tinha ocorrido na Síria” durante sua guerra civil – permitindo que o país se torne “o marco zero para os jihadistas de todo o mundo.”

 

O desertor do ISIS fala

 

Um homem que recentemente deixou as fileiras do ISIS também disse que os militantes tomaram precauções antes dos ataques da coalizão.

“Eles quase que inteiramente esvaziaram a sede”, o desertor, usando o nome de Abu Omar, disse à Arwa Damon, da CNN, na Turquia. “Alguns equipamentos foram escondidos em bairros civis. Alguns foram escondidos no subsolo”.

Abu Omar também disse que o ISIS depende fortemente de membros estrangeiros – incluindo os ocidentais – para levar a cabo a sua missão.

“Os franceses, têm muito controle – eles são ainda mais extremistas do que nós”, disse o desertor. “Eles vêm de França, mas é como se fizessem parte do Estado islâmico por anos”.

O combatente de 29 anos disse que acreditava na missao do ISIS em criar um Estado islâmico e deixou sua esposa e filho de 3 anos para trás para ir lutar.

Abu Omar inicialmente tentou defender as atrocidades do grupo – incluindo crucificações, decapitações e assassinatos indiscriminados. Mas, eventualmente, a brutalidade foi demais para ele.

“Eu costumava esperar que eles iriam corrigir seus erros”, disse ele. “Se o tivessem feito, não seria assim”.

Quando os Estados Unidos e os parceiros árabes começaram a explodir a fortaleza do ISIS em Raqqa, na semana passada, muitos combatentes foram espalhados. E Abu Omar encontrou uma oportunidade para fugir.

Mas ele ainda treme quando fala, com medo que ele tenha um alvo em suas costas.

Abu Omar disse que enquanto ainda sonha com um califado na região, ele é assombrado por aquilo que ele testemunhou.

“Eu vi um sheik de 70 anos ser morto na minha frente”, disse ele. “O ‘Estado islâmico’ não pode continuar assim … Há uma grande quantidade de jovens que estão se juntando – 14, 15 anos de idade. Talvez a minha voz possa fazê-los pensar de novo”.

 

* Reportagem de Arwa Damon, traduzido por mim, link da reportagem original aqui.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *