Jesus, Hebreus e o Pergaminho 11 Q Melquisedeque

É maravilhoso quando você começa a estudar profundamente vários materiais relacionados aos textos encontrados junto dos pergaminhos do Mar Morto … são verdadeiros tesouros!!! Eles nos ajudam a entender como pensavam muitos Rabinos e pessoas da época de Cristo. Assim como podem nos ajudar a entender e a interpretar melhor determinadas passagens, como também trazer mais luz para uma série de escritos vistos nos autores do Novo Testamento.

Uma dessas coisas pode ser percebida na questão de quando Jesus vai à sinagoga e eles lhe entregam o pergaminho; e Jesus vai para Isaías 61. Jesus lê apenas uma parte do texto, pois Ele sabe exatamente tudo o que envolve o texto e toda a questão relacionada ao Jubileu que está na citação de Isaías 61 … visto que esse texto tem uma profecia messiânica e é sobre uma restauração final, um jubileu final, um resgate definitivo.

E nós podemos realmente encontrar todos esses conceitos em um texto da época do Segundo Templo, como o que está descrito no que é chamado 11 Q Melquisedeque ( vide imagem acima ou aqui ). Este é um dos Pergaminhos do Mar Morto, encontrados na caverna 11. Ele é chamado 11 Q Melquisedeque por um motivo simples … nele, Melquisedeque é mencionado.

E adivinhe, adivinhe só?! Melquisedeque torna-se análogo a Jesus no livro de Hebreus, e isso não é por engano, não é por acaso. Eu vou citar abaixo o texto traduzido do pergaminho 11 Q Melquisedeque. Não apenas essa passagem citará Levítico 25, porque está falando sobre a libertação dos cativos e tudo que o envolve, mas também vai citar, acredite ou não, o Salmo 82 … onde Deus julga os deuses.

Segue o texto traduzido do pergaminho ( meus comentários estão entre colchetes ) …

—————– Início ————————–
E quanto ao que ele disse, [ citando o texto de Levítico 25:13 ], no ano de jubileu. você deve devolver cada um à sua propriedade. Sobre isso. Ele disse [ citando Deuteronômio 15 ], esta é a maneira da liberação. Todo credor deve liberar o que ele emprestou ao seu vizinho. Ele não deve coagir o seu vizinho ou ao seu irmão porque foi proclamada uma libertação por Deus.

Aqui está a sua interpretação. [ linha quatro ], nos últimos dias se refere aos cativos [ prisioneiros ] que [ aqui há uma lacuna no texto do pergaminho ] e Ele os atribuirá aos Filhos do Céu e à herança de Melquisedeque, eles são a herança em meio a porção de Melquisedeque, que os devolverá e proclamará para eles a liberdade, perdoando-lhes as dívidas [ ações erradas ] e de todas as suas iniqüidades.

E isso acontecerá na primeira semana do Jubileu, o qual segue os nove Jubileus. E o Dia da Expiação é o décimo Jubileu [ o texto do pergaminho refere-se ao ciclo de 490 anos associado a Daniel 9 ]. [ Linha 8 ] Este é o décimo Jubileu no qual a expiação deve ser feita para todos os Filhos da Luz e para os homens da porção de Melquisedeque, de acordo com todas as suas obras para este tempo, pois este é o momento do ano da graça para Melquisedeque e, por sua força, julgará os santos de Deus, executando os estatutos de julgamento como está escrito sobre ele nas canções de Davi, [ citação do Salmo 82 ], ELOHIYM [ Deus, o SENHOR ] assiste na congregação divina; no meio dos deuses [ elohiym ], estabelece o Seu julgamento.

E dizia respeito a Ele que Ele disse: Que a assembléia dos povos volte ao auge acima deles; EL [ Deus ] julgará os povos [ Salmo 7:7,8 ]. Quanto ao que Ele ajudou, por quanto tempo vocês julgarão injustamente e tomareis partido pela causa dos ímpios?, [ Salmo 82:2 ], sua interpretação diz respeito a Belial [ Satanás ] e aos espíritos de sua sorte que se rebelaram afastando-se dos preceitos de Deus para … [ outra lacuna no texto do pergaminho ] … e Melquisedeque vingará a vingança dos juízos de Deus … [ outra lacuna no texto do pergaminho ] … e Ele irá arrastá-los da mão de Belial e da mão de todos os espíritos de seu lote [ refere-se aos anjos que se rebelaram com Satanás ].

E todos os deuses da Justiça irão ajudá-lo na destruição de Belial [ Satanás ]. E o alto é … [ outra lacuna no texto do pergaminho ] … todos os Filhos de Deus … isto … Este é o dia da Paz [ Salvação ] sobre o qual Deus falou pelo profeta Isaías, que disse: Quão belos sobre os montes são os pés do mensageiro que proclama a paz, que traz boas novas, que proclama a salvação, que diz a Sião: Seu ELOHIYM [ Deus ] reina [ citando Isaías 52:7 ]. Sua interpretação; as montanhas são os profetas … e o mensageiro é o Ungido do Espírito, a respeito de quem Daniel disse: Até um ungido, um príncipe [ citando Daniel 9:25 ] … E aquele que traz boas notícias, que proclama a salvação: diz respeito a ele que está escrito … Para consolar todos os que lamentam, para conceder aos que lamentam em Sião [ citando Isaías 61:2,3 ]. Para confortar aqueles que lamentam: … sua interpretação, para fazê-los entender todas as eras de tempo … Na verdade … se afastará de Belial [ Satanás ] … pelo julgamento de Deus, como está escrito sobre ele, quem diz Sião; seu ELOHIYM [ Deus ] reina. Sião é … [ outra lacuna no texto do pergaminho ] …, aqueles que defendem a Aliança, que voltam de andar no caminho do povo. E o seu ELOHIYM [ Deus ] é Melquisedeque, que os salvará da mão de Belial [ Satanás ]. Quanto ao que Ele disse, então fareis passar a trombeta por toda a vossa terra [ citando Levítico 25:9 ]”
—————– Fim ————————–

Você conseguiu entender o que acabou de ler nesse texto antigo da época do Segundo Templo encontrado nos pergaminhos do Mar Morto?

Ele liga o ciclo do Jubileu profeticamente para o associar a um Messias vindouro, uma figura libertadora que vem, de alguma forma, ligado a Melquisedeque, e que é também o Elohyim ( Deus ) que julga os outros elohiym ( Satanás e seus comparsas ) como no Salmo 82. Esse é um texto judaico, antes da era cristã, que estava entre os pergaminhos do Mar Morto.

Você sabe o que isso significa?! Mais tarde, quando o escritor de Hebreus escrevendo aos hebreus, ele liga Jesus a Melquisedeque. Ele traz consigo todos esses conceitos. Todas essas idéias estão ligadas a esse tipo de coisas e, portanto, eles tinham essa noção de que o Messias iria fazer essas ações e a aparência do Messias teria que ter algo a ver com o julgamento dos deuses sobre as nações no Salmo 82 e a libertação.

É uma restauração do reino, um retorno ao Éden. Todas essas idéias estão flutuando em todas as cabeças razoavelmente educadas dos judeus da época de Cristo … então quando Jesus diz certas coisas e os escritores do Novo Testamento começam a escrever sobre essas coisas, eles podem processar todo esse material. Eles estão conectando os pontos em suas cabeças.

O ciclo do Jubileu ainda não foi concluído. Ele será completado quando Jesus retornar, porque será quando chegaremos ao Dia do Senhor. É quando as nações serão todas recuperadas. Estamos nesse processo agora. A visão de mundo de Deuteronômio 32 está sendo aplicada no livro de Atos do Novo Testamento. Estamos vivenciando essa época desde os tempos de Atos e, em breve, com o retorno de Cristo, esse processo será concluído.

Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte e tendo sido ouvido por causa da sua piedade, embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu e, tendo sido aperfeiçoado, tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem, tendo sido nomeado por Deus sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque.” (Hebreus 5:7-10)

Por isso, diz: Quando Ele subiu às alturas, levou cativo o cativeiro e concedeu dons aos homens. Ora, que quer dizer subiu, senão que também havia descido até às regiões inferiores da terra? Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para encher todas as coisas.” (Efésios 4:8-10)

Que o SENHOR lhe abençoe! ?

A Torah Dentro de um Coração

As indicações de que o SENHOR sempre quis que as Suas instruções ( Torah ) estivessem escritas em nosso coração são muitas; uma delas como se pode perceber está no texto da Nova Aliança escrita em Jeremias …

Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o SENHOR: Na mente, lhes imprimirei as Minhas leis ( תורה torah ), também no coração ( לב leb ) lhas inscreverei; Eu Serei o seu Deus, e eles serão o Meu povo.” (Jeremias 31:33)

Mas há um indicativo ainda anterior ao de Jeremias cunhado na própria Torah ( os livros de Gênesis a Deuteronômio ), e isso a partir da forma como a mesma foi escrita … veja abaixo a primeira e a última linha em hebraico da Torah ( no hebraico lê-se da direita para a esquerda ):

בְּרֵאשִׁ֖ית בָּרָ֣א אֱלֹהִ֑ים אֵ֥ת הַשָּׁמַ֖יִם וְאֵ֥ת הָאָֽרֶץ׃
(Gênesis 1:1)

וּלְכֹל֙ הַיָּ֣ד הַחֲזָקָ֔ה וּלְכֹ֖ל הַמּוֹרָ֣א הַגָּד֑וֹל אֲשֶׁר֙ עָשָׂ֣ה מֹשֶׁ֔ה לְעֵינֵ֖י כָּל־יִשְׂרָאֵֽל׃
(Deuteronômio 34:12)

Perceba que a última letra é ל ( Lamed ) e a primeira é ב ( Bet ) … quando as colocamos juntas temos לב ( leb ), a palavra hebraica para “coração“. Ou seja, a própria Torah está escrita dentro de um לב ( dentro de um coração, לב ).

A beleza do design divino nos mínimos detalhes das Escrituras é algo maravilhoso e deslumbrante, sendo também útil para nos ensinar qual é a vontade do SENHOR … sendo assim, busque encher-se de toda a Palavra do SENHOR … na sua mente e no seu coração ( לב )!!!

Que o SENHOR lhe ilumine e lhe dê a Sua paz que excede a todo entendimento! 🙏❤️

Descanso no SENHOR

O que habita no esconderijo ( סתר cether … refúgio, segredo ) do Altíssimo ( עליונּ ‘Elyown ) e descansa ( לונּ luwn ) à sombra do Onipotente, diz ao SENHOR: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio.” (Salmo 91:1,2)

Segundo a tradição dos antigos sábios de Israel, eles dizem que Moisés escreveu o Salmo 91 enquanto estava no סתר “cether”, no lugar secreto (בְּסֵתֶר) do Altíssimo, no “meio da nuvem negra” do monte, um lugar sagrado e santo de encobrimento …

E Moisés, entrando pelo meio da nuvem, subiu ao monte; e lá permaneceu quarenta dias e quarenta noites.” (Êxodo 24:18)

As nuvens grossas são um “esconderijo” do Altíssimo ( עליונּ “‘Elyown” ) para que não O possam ver, como está escrito: “Grossas nuvens O encobrem, de modo que não pode ver; Ele passeia pela abóbada do céu” (Jó 22:14).

Agora, o nome “‘Elyown”, Altíssimo, vem de uma palavra de raiz ( עָלָה ) que significa “ascender”, “subir”. Por exemplo, uma “oferta de olah” ( עלָה ) é uma oferta queimada totalmente e que sobe para o céu; e “aliyah” ( עֲלִיָּה ) significa “subir” para a terra de Israel. A palavra “‘Elyown”, então, expressa a verdade de que o SENHOR é o Ressuscitado e Ascendido que superou todos os poderes do inferno e que derrotou totalmente o poder da morte.

Em outras palavras, ‘Elyown é um nome para Cristo, o Messias, o nosso Senhor. Note que aquele que “permanece” no segredo do Altíssimo habita em um lugar de descanso no Alto ( que está elevado … “ascendido” ); isso significa que está sendo elevado acima da loucura circundante desse mundo caído em trevas e sombras.

A palavra hebraica para descansar ( לונּ “luwn” ou לינּ “liyn” ), significa hospedar, repousar, passar a noite ou “dormir” … como o “sono da morte” … esse termo está conectado com a morte e ressurreição do Messias, como está escrito …

Se alguém houver pecado, passível da pena de morte, e tiver sido morto, e o pendurares num madeiro, o seu cadáver não permanecerá no madeiro durante a noite ( לונּ luwn ), mas, certamente, o enterrarás no mesmo dia; porquanto o que for pendurado no madeiro é maldito de Deus; assim, não contaminarás a terra que o SENHOR, teu Deus, te dá em herança.” (Deuteronômio 21:22,23)

Sendo assim … ao “repousar”, “descansar” na morte e na ressurreição de Cristo, o Messias … o Altíssimo … Ele o protegerá com a Sua Presença e tornará o mal impotente diante de você.

Venham a Mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e Eu lhes darei descanso.” (Mateus 11:28)

Que o SENHOR lhe abençoe grandemente!!! Shalom!!!

Uma Vida Entretecida Com Propósito

Eu é que sei que pensamentos [ מחשׂבה machashabah ] tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos [ מחשׂבה machashabah ] de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais. Então, Me invocareis, passareis a orar a Mim, e Eu vos ouvirei. Buscar-Me-eis e Me achareis quando Me buscardes de todo o vosso coração.” (Jeremias 29:11-13)

O termo em hebraico מחשׂבה (“machashabah”) traduzido como pensamentos ou planos em outras versões, representa muito mais do que estas traduções em Português nos apresentam … o termo vem da raiz חשׂבchashab”, que implica em planejamento e cálculos engenhosos … e além.

Sendo assim, מחשׂבה (“machashabah”) significa muito mais do que plano, pensamento. O termo מחשׂבה (“machashabah”) fala do cuidado, da habilidade e de um entrelaçamento complicado de um tecido. Assim, o trecho deste texto poderia ser traduzido como:

Eu sei quais os propósitos, meticulosamente entretecidos, que Eu estou tecendo habilmente, cuidadosamente e elaboradamente para o seu bom futuro …“.

Deus é o Grande Tecelão, não apenas do cosmos, mas também da vida dos Seus filhos. E os planos que Ele tem para a sua vida não são apenas bons e belos, mas são complexamente entrelaçados e trabalhados. Cada situação e aspecto da sua vida está cuidadosamente entrelaçado; cada fracasso, cada sucesso, cada tristeza, cada alegria, etc … todos os “fios“, relacionados ao “tecido” da sua vida, acabam sendo usados pelo Grande Tecelão … onde eles são cuidadosa e habilmente entrelaçados para que, de alguma forma, cooperem para que esse futuro de paz e de bem venha a acontecer para aqueles que verdadeiramente são chamados pelo propósito do SENHOR e que são Seus filhos, que O buscam de TODO o coração! Por isso Paulo escreveu …

Sabemos que TODAS as coisas cooperam para o BEM daqueles que AMAM a Deus, daqueles que são chamados segundo o Seu propósito.” (Romanos 8:28)

Deus lhe abençoe!🙏❤️

A Quem foi Revelado o Braço do SENHOR …

O hebraico é um idioma realmente revelador em muitos aspectos, muitas vezes uma única palavra esconde muitos significados e, por vezes, são todos representativos para o contexto original, mas ao traduzir para o Português ou outros idiomas, o tradutor precisa escolher apenas um único significado segundo o que considera a melhor interpretação. Aqui um exemplo:

Quem creu em nossa pregação? E a quem foi REVELADO ( גלה galah ) o braço do SENHOR?” (Isaías 53:1)

Esse capítulo de Isaías é conhecidíssimo, afinal trata do “Servo Sofredor”, identificado como o “braço do SENHOR”, uma metáfora para se referir ao Messias. Já no primeiro versículo existem muitas características reveladas, ainda mais se observarmos tudo ao que o termo se refere no original que foi traduzido como “revelado” ( גלה galah ), pois não apenas se refere ao Messias “manifesto” como também o termo utilizado implica em …

  • levar cativo, exilar … denotando que o Messias se converteria em um prisioneiro.
  • envergonhar, expor, desgraçar … denotando que o Messias seria envergonhado, exposto e condenado como um blasfemo, um desgraçado.
  • desnudar, tirar as roupas, expor a nudez … denotando que o Messias teria suas roupas tiradas e sua nudez exposta, como se percebe nos relatos anteriores e durante a crucificação.

Enfim, no primeiro versículo de Isaías 53, o termo גלה “galah” não apenas se refere à revelação (descoberta, manifestação) do Messias (o Servo Sofredor, o Braço do SENHOR), mas também denota que ele seria levado cativo, aprisionado, envergonhado, exposto, condenado e desnudado. Um versículo repleto de significados de uma profecia feita cerca de 700 anos antes pelo profeta Isaías e que se cumpriu em Jesus, conforme relatam os evangelhos.

A beleza e profundidade da Palavra do SENHOR é indescritível e fica ainda mais bela à medida em que mergulhamos em cada letra e palavra das Escrituras …

Que o SENHOR lhe abençoe e lhe ilumine! Shalom!!!

As medidas do Tabernáculo de Moisés e os seus significados proféticos

As medidas do Tabernáculo nas Escrituras são dadas em côvados, mas poderia também o côvado ser usado como medida de tempo?! Observando as próprias Escrituras … sim … Jesus mesmo faz uma aplicação desse tipo, apesar dele não ser específico sobre o quanto de tempo se refere, a parte importante de sua aplicação é o uso do côvado também como unidade de tempo, como está escrito:

Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?” (Mateus 6:27)

Considerando isso, um aspecto adicional da verdade revelada no Tabernáculo diz respeito às suas medidas. As medidas para a construção do Tabernáculo foram dadas diretamente por Deus através do “modelo” fornecido a Moisés no monte Horebe. Certamente Deus tinha algo em mente, pois Ele nunca faz nada sem um propósito. Toda palavra que procede da Sua boca é uma revelação da verdade divina, do mesmo modo que cada palavra que Ele falou a Moisés tinha uma porção especial de revelação.

O Tabernáculo em si contém muitos aspectos, não apenas nos revela verdades proféticas com relação a Cristo e à Igreja, como também pode ser interpretado em relação aos períodos de tempo relativos ao plano de redenção. A Bíblia menciona as medidas de três lugares: o pátio, o Lugar Santo e o Lugar Santíssimo.

1. A dispensação da Lei – o pátio

O pátio, com as suas paredes de cortinas de linho, deveria medir, de acordo as medidas expressas em Êxodo 26:9-19:

O lado norte – 100 côvados de comprimento
O lado sul – 100 côvados de comprimento
O lado oeste – 50 côvados de largura
O lado leste – 50 côvados de largura

Total: 300 côvados de perímetro

A cortina de linho que incluía o muro ao redor do pátio deveria ter cinco côvados de altura. A entrada do pátio também deveria ter cinco côvados de altura. Para determinar a área total das cortinas que cercavam o pátio temos que multiplicar 300 x 5. A área limitada pelas cortinas de linho (incluindo a entrada) era de 1.500 côvados quadrados.

Esse é um número profético dos cerca de 1.500 anos da dispensação da Lei, de Moisés até Jesus ou do Êxodo de Israel do Egito até a crucificação de Jesus Cristo no Calvário. É nesta parte que nós vemos as 60 colunas nas bases de bronze, com um topo revestido de prata e ligaduras também de prata. Isso representa os 60 homens da genealogia de Adão até o Messias registradas nos evangelhos de Mateus e Lucas.

2. A dispensação da Igreja – o Lugar Santo

O Lugar Santo do Tabernáculo media 20 côvados de comprimento, 10 côvados de largura e 10 côvados de altura, totalizando 20 x 10 x 10 = 2.000 côvados cúbicos.

Os 2.000 côvados cúbicos do Lugar Santo são proféticos dos cerca de 2.000 anos da dispensação da Igreja ou da presente dispensação do Espírito Santo, da “Nova Aliança”, que teve início com a morte, sepultamento, ressurreição, ascensão, exaltação e glorificação do próprio Senhor Jesus Cristo, e o derramamento do Espírito no Pentecostes.

3. A dispensação ou era do Reino – o Lugar Santíssimo (Santo dos Santos)

O Lugar Santíssimo, ou Santo dos Santos, media 10 côvados de altura, 10 de largura e 10 de comprimento, sendo assim um lugar cúbico e quadrangular, formando um cubo com 1.000 côvados cúbicos (10 x 10 x 10). Nele havia apenas uma mobília, a arca da aliança. O Lugar Santíssimo era o próprio trono de Deus em Israel. Deus habitava entre o Seu povo nesse Lugar Santíssimo quadrangular.

Os 1.000 côvados cúbicos do Lugar Santíssimo tornam-se uma profecia do período do Milênio, no aspecto relativo à terra e ao plano de Deus na redenção (veja o que é relatado em Apocalipse 20:1-6). A arca da aliança representa o trono de Deus e do Cordeiro, que estará com os homens aqui na terra (veja Mateus 6:9,10; Jeremias 3:17; Apocalipse 22:1,2).

Resumindo … das medidas proféticas do Tabernáculo, nós temos:

1. Os 1.500 anos da dispensação da Lei – de Moisés até Jesus
2. Os 2.000 anos da dispensação da Igreja – da primeira até a segunda vinda de Cristo
3. Os 1.000 anos da dispensação do Reino (milênio) – da segunda vinda até os novos céus e nova terra

É interessante se observar que as medidas do Lugar Santo e do Santíssimo são aproximadas, pois não há um texto descrevendo exatamente a distância da separação do Lugar Santo com o Santíssimo, portanto essa medida é inferida pelas outras informações dadas sobre o Tabernáculo, ou seja, em essência, dadas as medidas calculadas, seria mais correto dizer que o resultado é por volta de 2.000 no Lugar Santo e por volta de 1.000 no Santíssimo.

Compare essa medida de tempo de por volta de 2.000 anos e a sua conformidade com os seguintes textos abaixo, usando como chave o Salmo 90:4 que diz: “Pois mil anos, aos Teus olhos, são como o dia de ontem que se foi e como a vigília da noite” …

Vinde, e tornemos para o SENHOR, porque Ele nos despedaçou e nos sarará; fez a ferida e a ligará. Depois de dois dias, nos revigorará; ao terceiro dia, nos levantará, e viveremos diante dEle [ milênio ]. Conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR; como a alva, a Sua vinda é certa; e Ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.” (Oséias 6:1-3)

Cingido esteja o vosso corpo, e acesas, as vossas candeias. Sede vós semelhantes a homens que esperam pelo seu Senhor, ao voltar Ele das festas de casamento; para que, quando vier e bater à porta, logo lha abram. Bem-aventurados aqueles servos a quem o Senhor, quando vier, os encontre vigilantes; em verdade vos afirmo que Ele há de cingir-se, dar-lhes lugar à mesa e, aproximando-se, os servirá. Quer Ele venha na segunda vigília, quer na terceira, bem-aventurados serão eles, se assim os achar.” (Lucas 12:35-38)

 

* Adaptado com material de Kevin J. Conner

Quanto custaria o Templo de Salomão em Reais nos dias atuais?!

 

O Templo de Salomão foi sem dúvida, majestoso; lembre que o chão do Templo era de ouro, assim como as paredes e muito, muito mais …

É difícil avaliar com precisão, mas podemos ter uma idéia de base apenas por alguns dos materiais ( veja 1 Cr 22:1-5,14-16; 28:11-21; 29:1-3 ):

[ *** Importante: para o valor do talento, eu vou usar a medida mais comumente aceita e menor de 35Kg por cada unidade de talento … mas existem outras fontes que, no caso do ouro, estimava-se que o talento equivalia a cerca de 91Kg, enquanto que o da prata em cerca de 45Kg; números esses que poderiam mais que dobrar os valores das estimativas abaixo. ]

[ para facilitar vamos pegar uma estimativa da cotação do ouro em R$ 128 o grama e a prata em R$ 1,80 o grama ]

Ofertas pessoais de Davi:

– 3.000 talentos de ouro de Ofir ( 105 toneladas )
– 7.000 talentos de prata refinada ( 245 toneladas )

cerca de R$ 13,9 BILHÕES

Ofertas do Tesouro do Reino:

– 100.000 talentos de ouro ( 3.500 toneladas )
– 1.000.000 de talentos de prata ( 35.000 toneladas )

cerca de R$ 510 BILHÕES

Ofertas dos Líderes e do Povo:

– 5.000 talentos de ouro e 10.000 dáricos de ouro ( 175 toneladas de ouro e 10.000 moedas de ouro )
– 10.000 talentos de prata ( 350 toneladas )

cerca de R$ 23,4 BILHÕES

Ou seja, apenas em material de ouro e prata, o valor do Templo já alcançava cerca de R$ 550 BILHÕES.

Se você somar o bronze, ferro, madeira, pedras preciosas, pedras lavradas e outros materiais e ainda o serviço aplicado, este valor pode facilmente passar dos R$ 600 BILHÕES … a título de comparação, o Templo consumiu cerca de 3.800 toneladas de ouro; saiba que o governo dos EUA alegam ter em reservas de ouro a quantidade de cerca de 8.000 toneladas, ou seja, apenas o Templo consumiria hoje quase METADE das reservas de ouro do governo dos EUA. Mais do que tem a Alemanha, a segunda maior em reservas de ouro no mundo, com reservas de cerca de 3.300 toneladas. ( Veja sobre isso aqui ).

Fico imaginando como muitas pessoas de hoje reagiriam se vivessem naqueles tempos e tomassem conhecimento dos custos para tal empreendimento … possivelmente muitos teriam o mesmo comportamento de alguns discípulos, como está escrito:

Vendo isto, indignaram-se os discípulos e disseram: Para que este desperdício? Pois este perfume podia ser vendido por muito dinheiro e dar-se aos pobres.” (Mateus 26:8-9)

Mas o que precisamos entender é que para o SENHOR sempre temos de dar o nosso melhor, afinal o preço que Cristo pagou por nós supera qualquer medida de valor que se queira usar; considerando esse ponto de vista, o custo do Templo foi uma ninharia …

Ao SENHOR seja TODA a Honra e TODA a Glória!!!