10 Gráficos Que Mostram Que Os EUA Estão Em Situação Muito Pior Do Que Antes Da Última Crise Econômica

por Michael Snyder,

 

Se você acredita que a ignorância é uma benção, então você pode não querer ler este artigo. Vou dissipar a noção de que tenha havido qualquer tipo de “recuperação econômica”, e eu vou mostrar que os EUA estão em situação muito pior do que um pouco antes da última crise econômica. Se você voltar para 2007, as pessoas estavam se sentindo muito bem sobre as coisas. Casas estavam sendo compradas como nunca, o mercado acionário estava crescendo e o desemprego era relativamente baixo. Mas depois que a crise financeira de 2008 atingiu os EUA, por um tempo parecia que o mundo estava chegando ao fim. Claro que não chegou ao fim – foi apenas a primeira onda dos problemas. As ondas que vêm a seguir vão ser as que realmente nos eliminarão. Infelizmente, porque se tem experimentado alguns anos de relativa estabilidade, muitos norte-americanos tornaram-se convencidos de que Barack Obama, Janet Yellen e o resto das pessoas em Washington DC tem corrigido os problemas causados ​​pela última crise. Mesmo que todos os números estão gritando de uma forma diferente, há milhões e milhões de pessoas lá fora que realmente acreditam que tudo vai ficar bem de alguma forma. Parece que nunca aprenderam com o passado, e quando esta próxima crise econômica nos atingir, ela vai fazer uma incrível quantidade de danos, porque já estamos em um estado significativamente enfraquecido desde a última.

Para cada um dos gráficos que eu estou prestes a compartilhar com você, eu quero que você se concentre na última barra cinza sombreado em cada gráfico que representa a última recessão. Como você vai ver, os problemas econômicos nos EUA são significativamente piores do que eram pouco antes da crise financeira de 2008. Isso significa que os EUA estão muito menos equipados para lidarem com uma grande crise econômica do que da última vez.

 

#1 A Dívida Nacional dos EUA

Pouco antes da última recessão, a dívida nacional dos EUA estava um pouco acima de 9 trilhões de dólares. Desde aquela época, ela quase dobrou. Então, isso os faz estarem melhor ou pior? A resposta, é claro, é evidente. E mesmo que Barack Obama prometa que “os défices estão sob controle”, mais de um trilhão de dólares foram adicionados à dívida nacional no ano fiscal de 2014. O que estão fazendo para as gerações futuras, sobrecarregá-los com tanta dívida, é algo além de criminoso. E então o que Barack Obama quer fazer agora? Ele quer aumentar os gastos do governo e aumentar a dívida ainda mais rápido.

 

Presentation_National_Debt

 

 

#2 Dívida Total

Nos últimos 40 anos, o montante total da dívida dos Estados Unidos tem subido à alturas astronômicas. Tornaram-se uma sociedade do “compre agora, pague depois” com consequências devastadoras. Em 1975, o nível de endividamento total estava em cerca de 2,5 trilhões de dólares. Pouco antes da última recessão, ele estava em cerca de 50 trilhões de dólares, e hoje está rapidamente se aproximando dos 60 trilhões de dólares.

 

Presentation-Credit-Market-Instruments

 

 

#3 A Velocidade do Dinheiro

Quando uma economia está saudável, o dinheiro tende a mudar de mãos e circular através do sistema muito rapidamente. Portanto, faz sentido que a velocidade do dinheiro tenha caído drasticamente durante a última recessão. Mas por que ele continuou indo para baixo desde então?

 

Presentation-Velocity-Of-M2

 

 

#4 A Taxa de Casa Própria

Você sabia que a taxa de casa própria nos Estados Unidos caiu para o índice mais baixo em 20 anos? Tradicionalmente, possuir uma casa tem sido um sinal de que você pertence à classe média. E a última recessão foi muito dura com a classe média, por isso faz sentido que a taxa da casa própria diminuiu durante esse tempo. Mas por que a taxa continuou a diminuir de forma constante desde então?

 

Presentation-Homeownership-Rate

 

 

#5 A Taxa de Emprego

Barack Obama gosta de dizer como a taxa de desemprego está “descendo”. Mas como vou explicar mais adiante neste artigo, este declínio é baseado principalmente em truques de contabilidade. O gráfico publicado abaixo é um gráfico da relação de emprego da população civil. Pouco antes da última recessão, aproximadamente 63 por cento da população em idade de trabalho nos Estados Unidos estava empregada. Durante a recessão, essa proporção caiu para abaixo de 59 por cento e permaneceu lá por vários anos. Apenas recentemente, subiu um pouco acima de 59 por cento, mas ainda está muito, muito longe do que costumava ser, e agora a próxima crise econômica está se aproximando rapidamente.

 

Presentation-Employment-Population-Ratio

 

 

#6 Taxa de Participação da Força de Trabalho

Então, como pode Obama se safar dizendo que a taxa de desemprego tem diminuído drasticamente? Bem, a cada mês, o governo pega milhares e milhares de trabalhadores desempregados e decide que eles estão desempregados há tanto tempo que já não são considerados “parte da força de trabalho”. Como resultado, a “taxa de participação da força de trabalho” tem caído substancialmente desde o fim da última recessão …

 

Presentation-Labor-Force-Participation-Rate

 

 

#7 A Taxa de Inatividade para os homens em seus anos de Trabalho Principal

Se as coisas estão “cada vez melhores”, então por que tantos homens que estão em seus anos de trabalho principal e que não fazem nada? Pouco antes da última recessão, a taxa de inatividade para os homens em seus anos de trabalho principal era de cerca de 9 por cento. Hoje é apenas de cerca de 12 por cento.

 

Presentation-Inactivity-Rate

 

 

#8 Renda Média Familiar Real

Não é apenas o fato de ter uma porcentagem menor dos americanos empregados hoje quando em comparação com antes da última recessão, mas a qualidade dos postos de trabalho tem ido para baixo também. Este é um dos fatores que resultaram em uma queda impressionante da renda familiar média real.

 

Presentation-Real-Median-Household-Income

 

 

Na América de hoje, a maioria dos americanos não ganham o suficiente para viverem um estilo de vida de classe média com um único salário. Os números a seguir vêm diretamente da Administração da Segurança Social:

– 39 Por cento dos trabalhadores norte-americanos ganham menos de US$ 20.000 por ano.

– 52 Por cento dos trabalhadores norte-americanos ganham menos de US$ 30.000 por ano.

– 63 Por cento dos trabalhadores norte-americanos ganham menos de US$ 40.000 por ano.

– 72 Por cento dos trabalhadores norte-americanos ganham menos de US$ 50.000 por ano.

Todos nos EUA conhecem pessoas que estão trabalhando em empregos de tempo parcial, porque isso é tudo o que eles podem encontrar nesta economia. Como a qualidade do trabalho continua a deteriorar-se, os números acima vão se tornar ainda mais sombrios.

 

#9 Inflação

Apesar de que os rendimentos estagnaram, o custo de vida continua a aumentar de forma constante. Por exemplo, o custo de alimentos e bebidas subiu quase 50 por cento desde o ano de 2000.

 

Presentation-Food-Inflation

 

 

#10 Dependência do Governo

À medida que a classe média encolhe e o número de americanos que não podem tomar conta de si mesmos sobe, a dependência do governo está atingindo níveis sem precedentes. Por exemplo, o governo federal está gastando cerca de duas vezes mais no vale-refeição do que era antes da última recessão. Como o mundo pode se atrever a chamar a isto de uma “recuperação econômica”?

 

Presentation-Government-Spending-On-Food-Stamps

 

 

Então você me diz – as coisas estão “cada vez melhores”, ou elas estão piorando?

Para mim, é muito claro que os EUA estão em condições muito piores do que antes da última crise econômica.

Infelizmente, a maioria das pessoas estão totalmente sem noção sobre o que está acontecendo e a grande maioria está completamente e totalmente despreparada para o que está por vir.

Ou será possível que eu esteja errado? Se você concorda ou discorda de mim, por favor, sinta-se livre para adicionar à discussão e postar um comentário abaixo …

 

 

* Artigo traduzido por mim, link do original aqui: 10 Charts Which Show We Are Much Worse Off Than Just Before The Last Economic Crisis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *