Análise: Obama pode cortar laços diretos com Netanyahu

Meu Comentário: Observando o recente e belo discurso de Netanyahu no Congresso, criticando dura e firmemente as negociações da Casa Branca com o Irã, em minha humilde visão o fez de forma correta e necessária diga-se, tudo isso à revelia do que desejava Obama, o choque entre a Casa Branca e o Primeiro Ministro já era evidente, ainda mais com Obama promovendo seu comitê eleitoral para dar apoio ao candidato adversário de Netanyahu, Herzog. Para tornar tudo ainda mais complicado, na véspera das eleições Netanyahu enfatizou que sob sua gestão não haveria um Estado Palestino, algo desejado fortemente pela Casa Branca; foi a cereja do bolo, com todo esse movimento, assumiu-se que com a vitória de Netanyahu não haveria mais espaço para negociações restando ao povo árabe apenas soluções por meio da força e à Casa Branca a ruptura política. Olhando todo esse cenário é que Netanyahu voltou atrás em sua declaração sobre o Estado Palestino abrindo assim novamente caminhos para uma negociação, mas é interessante ressaltar que Netanyahu apoia a solução de dois Estados se determinadas circunstâncias forem atendidas. Mesmo com toda esse jogo político o fato é que as relações entre os EUA e Israel estão duramente comprometidas, principalmente por parte de Obama, o qual parece ter uma agenda própria que visa ir contra Israel, eu diria até que a agenda de Obama é antissemita em essência. Estamos no limiar de ver Israel ficar como há muito profetizado nas Escrituras, só, isolada e dependente do Eterno, tendo contra si todo um grupo de poder de nações que a buscam eliminar. Mas como já publiquei em meus posts no Facebook: “Quem quer que esteja com o Eterno ao seu lado é maioria, independente do número dos opositores“.

 

por Pamela Geller,

 

A Jihad de Obama contra os judeus acaba de se tornar a política oficial.

Sobre isto eu avisei no meu livro: “The Post-American Presidency: The Obama Administration’s War on America” [Tradução livre: A Presidência Pós-Americana: A Guerra da Administração Obama contra a América].

O presidente Obama está considerando cortar todos os laços com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, relatou a Ynet News de Israel nesta sexta-feira [20/03/2015]. De acordo com uma fonte citada pelo jornal, a Casa Branca “está contemplando diminuir os seus laços com Israel e colocar Kerry como o único elo de ligação entre os dois Estados, em oposição à linha aberta que Netanyahu possui agora com Obama”.

O presidente é pragmático, se ele acreditasse que haveria algum ganho em falar diretamente com Netanyahu ele iria fazê-lo, mas ele simplesmente prefere não perder tempo“, disse a fonte

O relatório culmina semanas de raiva amontoadas pela Casa Branca em relação à Netanyahu. Funcionários do governo foram muito críticos do histórico discurso de Netanyahu no início deste mês antes de uma sessão conjunta do Congresso sobre a ameaça nuclear iraniana, e houve até especulações de que a Casa Branca estava tentando derrubar o primeiro-ministro israelense.

Após a avalanche da vitória eleitoral de Netanyahu esta semana, parecia que a tensão com a Casa Branca poderia se dissipar. A Casa Branca adotou um tom conciliador no dia da vitória, e um legalista Netanyahu deixou claro que o novo governo iria procurar renovar a confiança com os Estados Unidos.

A paz durou pouco.

A Casa Branca rapidamente retomou as hostilidades para com Netanyahu nos dias após a eleição. Um funcionário da Casa Branca evitou felicitar o primeiro-ministro de Israel, no dia seguinte à vitória. A Casa Branca também criticou diretamente os comentários de Netanyahu no dia da eleição, sobre o número de eleitores árabes, chamando-os de “cínicos”. Em seguida, houve vários relatos de que a Casa Branca estava reconsiderando sua posição pró-Israel nas Nações Unidas por causa da rescisão de Netanyahu no apoio para um Estado Palestino neste momento.

Netanyahu, aparentemente em resposta à crescente hostilidade da Casa Branca, abandonou sua oposição pré-eleitoral para uma solução de dois Estados para o conflito israelo-palestiniano, buscando novamente de renovar a relação EUA-Israel. A Casa Branca rejeitou esta insinuação, e disse que ela irá “reavaliar” o seu pensamento sobre as relações com Israel.

A tensão continuou ontem durante uma chamada telefônica entre o presidente Obama e o primeiro-ministro israelense. De acordo com a AP [Associação de Imprensa], Obama disse à Netanyahu que os EUA estavam realmente reavaliando seu pensamento sobre o processo de paz. Ele também também levantou a questão da “retórica anti-árabe” de Netanyahu durante a eleição.

 

* Artigo traduzido por mim, link do original aqui: Obama May Cut Direct Ties With Netanyahu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *