Os Livros no Céu

screen-shot-2016-10-11-at-07-21-48

Como Deus sabe o que temos feito? Deus é onipotente, onipresente e onisciente, desse modo Ele sabe de tudo. Mas mesmo assim o céu também possui inúmeros livros (talvez rolos ou alguma outra tecnologia que os lembre) com informações nos registros celestes. No céu, existem pelo menos cinco tipos diferentes de livros que registram informações sobre os que vivem na Terra.

O Livro dos Vivos

Há um Livro dos Vivos no céu, o qual alguns sugerem ser o mesmo que o Livro da Vida, que contêm os nomes dos justos. Entretanto, esse Livro dos Vivos parece ser um livro que revela o destino (propósito) de todos os humanos nascidos na Terra. Deus falou à Jeremias e disse: “Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações.” (Jeremias 1:5). Esse é um exemplo da presciência de Deus. Davi sabia sobre essa presciência quando escreveu:

Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.” (Salmo 139:16)

Antes do nascimento físico de cada ser humano, há informações no céu acerca dos detalhes de cada pessoa viva, e é provável que isso inclua também o DNA e informações relacionadas. Esse é o Livro dos Vivos, e os detalhes de cada criança foram escritos antes de o infante ter sido formado no ventre (vide Sl 139:16). Deus não apenas conhecia você antes de você nascer, mas Ele também sabe o número de dias que você viverá! O próprio Deus tem um nome específico para cada pessoa e, quando entrarmos no reino celestial, Ele revelará nosso novo nome (vide Ap 3:12).

Às vezes, na Bíblia, Deus mudou o nome terreno de uma pessoa e deu-lhe um novo, com outro significado. Jacó teve seu nome mudado para Israel (Gn 35:10), Simão para Pedro (Mt 16:17-18), Saulo para Paulo (At 13:9) e Oséias para Josué (Nú 13:16).

Deixe-me adicionar que Deus criou você para ser diferente de qualquer outro ser humano que já viveu! Você tem um conjunto distinto de impressões digitais e pegadas que o identificam pessoalmente, assim como um DNA único, singular. Até o formato de seus dentes é distinto da forma de outros seres humanos com uma “assinatura” que é exclusivamente sua. Você tem um padrão de voz que um programa de computador pode identificar como sendo você mesmo e não alguém lhe imitando. Acredito que todas essas informações sobre você estão, devida e vastamente, registradas neste Livro nos céus.

O Livro da Vida

O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da Vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos.” (Apocalipse 3:5)

Esse livro, o Livro da Vida, é mencionado 12 vezes na Bíblia, em ambos os Testamentos. No Antigo Testamento é mencionado por Moisés (Êx 32:32-33), por Davi (Sl 69:28) e Daniel (Dn 12:1); no Novo Testamento é mencionado por Paulo (Fp 4:3) e por João no Apocalipse (Ap 22:18-19).

Trata-se de um livro ímpar que contém os nomes daqueles que arrependem-se de seus pecados e confiam em Deus para dar-lhes a salvação. Moisés sabia que nomes podiam ser adicionados ou apagados desse registro celeste. Quando Cristo tornou-se o Sumo Sacerdote no Templo Celestial e estava posicionado como o mediador entre Deus e o homem, o livro foi chamado de “O Livro da Vida do Cordeiro”, pois ele era chamado o “Cordeiro de Deus” (Jo 1:29, 36). É-nos dito que nomes estão inscritos ou registrados no Livro da Vida no céu (Lc 10:20). Para entrar na eternidade do Reino dos Céus, o nome de uma pessoa deve estar nesse livro:

E, se alguém não foi achado inscrito no Livro da Vida, esse foi lançado para dentro do lago de fogo.” (Apocalipse 20:15)

O Livro das Lágrimas

Há também um registro das lágrimas dos santos, como revelado no Salmo 56:8 … “Contaste os meus passos quando sofri perseguições; recolheste as minhas lágrimas no teu odre; não estão elas inscritas no teu livro?“. Na época de Cristo, havia pequenas garrafas de lágrimas que eram usadas para recolher as lágrimas dos homens e mulheres em um funeral. Elas eram recolhidas, colocadas nessas pequenas garrafas e seladas. A imagem nesse versículo é que Deus está atento a cada lágrima que derramamos. O Senhor disse: “… vi as tuas lágrimas …” (2 Reis 20:5). Nós sabemos que Deus está perto e atento àqueles que tem um “coração quebrantado e um espírito oprimido” (Sl 34:18).

O Livros das Lembranças

Então, os que temiam ao SENHOR falavam uns aos outros; o SENHOR atentava e ouvia; havia um memorial escrito diante dele para os que temem ao SENHOR e para os que se lembram do seu nome.” (Malaquias 3:16)

Em Malaquias, capítulo 3, o profeta estava lidando com a falta de obediência de Israel em contribuir com os dízimos e ofertas no Templo em Jerusalém. Ele os informou sobre a existência, no céu, de um livro especial que contém os nomes daqueles que temeram ao SENHOR, deram seus dízimos e ofertas e testemunharam a outros acerca de Deus e de Seu nome. Um exemplo desse livro é encontrado em Atos 10:1-4 …

Morava em Cesaréia um homem de nome Cornélio, centurião da corte chamada Italiana, piedoso e temente a Deus com toda a sua casa e que fazia muitas esmolas ao povo e, de contínuo, orava a Deus. Esse homem observou claramente durante uma visão, cerca da hora nona do dia, um anjo de Deus que se aproximou dele e lhe disse: Cornélio! Este, fixando nele os olhos e possuído de temor, perguntou: Que é, Senhor? E o anjo lhe disse: As tuas orações e as tuas esmolas subiram para memória diante de Deus.” (Atos 10:1-4)

Para o nome de uma pessoa ser registrado no Livro da Lembrança (Memorial), era necessário que ela fosse doadora (generosa), temesse a Deus e testemunhasse de Seu nome. Cornélio estava dando “muitas esmolas ao povo”; ele temia a Deus e estava em oração na época em que foi visitado. Suas orações e doações subiram perante Deus e o SENHOR, como resultado dessa fidelidade, honrou esse homem com uma benção especial sobre a sua família! Se você já se perguntou como Deus fica a par do dízimo, ofertas e caridade aos pobres, saiba que esses atos são registrados nesse Livro da Lembrança (Memorial).

O Livro do Galardão (Recompensa)

O quinto livro refere-se ao galardão de um cristão. Há registros no céu de nossos feitos e obras enquanto vivemos na Terra.

Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e miríades de miríades estavam diante dele; assentou-se o tribunal, e se abriram os livros.” (Daniel 7:10)

Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então, se abriram livros. Ainda outro livro, o Livro da Vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achava escrito nos livros.” (Apocalipse 20:12)

Nossos feitos incluem as palavras que proferimos. Cristo disse: “Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no Dia do Juízo; porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado.” (Mt 12:36-37). Uma palavra frívola pode fazer alusão a algo inútil, ocioso e improdutivo. Essas são palavras que prejudicam as pessoas e afirmações que são inúteis e não produzem nenhum fruto espiritual. Palavras são muito importantes, pois “A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto.” (Pv 18:21). Tiago deu uma série de instruções referentes ao poder da língua e à importância de um crente controlar o que diz. Ele disse: “Acima de tudo, porém, meus irmãos, não jureis nem pelo céu, nem pela terra, nem por qualquer outro voto; antes, seja o vosso sim sim, e o vosso não não, para não cairdes em juízo.” (Tiago 5:12). Lembre-se, se você não disser nada, você nunca terá que encarar as consequências! Cristo também fez uma admoestação a qualquer pessoa que usasse palavras que ofendessem a um pequenino (Mt 18:6) e àqueles que liderassem uma ofensa qualquer, criando um obstáculo para os outros (Mt 18:7).

Nosso julgamento no “bema” (Tribunal de Cristo) incluirá juízo sobre os feitos que realizamos enquanto vivemos em nossos corpos na terra, sejam eles bons ou ruins; vemos isso em Romanos 2:6 “… retribuirá a cada um segundo o seu procedimento“. A palavra grega para “procedimento” (εργονergon“) implica em “trabalho“. Ela faz alusão ao senso ético da ação humana, se bom ou ruim. Não é só o que você realizou na forma de trabalho, mas também a razão ética ou espiritual por trás do que você fez. Diríamos que foi a razão verdadeira pela qual você “trabalhou”; se os seus motivos foram egoístas, interesseiros e totalmente pessoais e voltados para o seu sucesso, então você recebeu sua recompensa aqui e não terá galardão no céu. Cristo revelou: “Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; doutra sorte, não tereis galardão junto de vosso Pai celeste” (Mt 6:1).

Portanto, “trabalhai” de tal forma que naquele Dia você ouça do Senhor: “Muito bem, servo bom e fiel …” (Mt 25:21). Já ouvi muitos dizerem que não se importam em receber uma “coroa” ou “galardão” contanto que sejam salvos, mas se você observar o texto de Apocalipse, há menção dos 24 anciãos que lançam as suas coroas ao chão da sala do trono e começam a cantar uma canção de louvor ao Cordeiro. Sendo assim, uma “coroa” na cabeça de um cristão vencedor é um sinal eterno ao Senhor de que a pessoa usando a coroa amava tanto a Cristo enquanto vivia na Terra que ele ou ela de bom grado sacrificou tempo, finanças, orações e obras para ajudar outros a entrarem no Reino. Sem uma coroa, você não terá nada a apresentar a Cristo, nada para depositar a Seus pés e nada que demonstre por toda a eternidade a sua fidelidade ao Senhor! Por isso, sempre é bom lembrar …

… ninguém apareça de mãos vazias perante Mim.” (Êxodo 23:15b) (Êxodo 34:20b) (Deuteronômio 16:16b)

* artigo adaptado por mim com base em material de Perry Stone.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *