Levi aos Seus Descendentes Levitas: “Não Deixem o Prego Tocá-lo”

Os Pergaminhos do Mar Morto ( também conhecidos como os Pergaminhos das Cavernas de Qumran ) são antigos manuscritos judaicos religiosos, principalmente hebraicos, encontrados a partir de 1947 ao longo de 11 Cavernas em Qumran, na Cisjordânia, perto do Mar Morto e os seus muitos pergaminhos têm um grande significado histórico, religioso e lingüístico porque incluem o segundo mais antigo manuscrito sobrevivente conhecido de obras mais tarde incluídas no cânon da Bíblia, junto com manuscritos deuterocanônicos e extra-bíblicos que preservam evidências da diversidade do pensamento religioso no tempo de Jesus, visto que grande parte dos pergaminhos são datados entre o segundo e o primeiro séculos antes de Cristo.

Aqui neste artigo quero tratar em particular dos Manuscritos do Mar Morto 4Q540 e 4Q541 ( vide imagem acima e pode ser visto aqui ) que referem-se à primeira e segunda cópias de um manuscrito encontrado na caverna 4 de Qumran ( por isso o prefixo 4Q nestes manuscritos ), que são conhecidos também como Apócrifo de Levi. Eles estão escritos em aramaico e são indicados pelos sobrescritos “a” e “b”. Estes dois manuscritos são datados em 100 aC. O manuscrito aborda o assunto que também é encontrado na antiga obra em grego conhecida como “Testamento de Levi“. O texto diz respeito a um sacerdote futuro ao tempo de Levi e Arão que seria muito importante e que teria papéis particulares envolto em muito sofrimento, possivelmente sendo morto. Esse papel de sacerdote que sofreria pelo povo, descrito nos pergaminhos, remete ao papel de Jesus como o Messias devido as suas muitas similaridades entre as profecias do pergaminho, escrito ainda 100 anos antes da Primeira Vinda de Cristo, e os fatos que envolveram a vida, morte e ressurreição de Jesus.

Em particular o pergaminho 4Q541 impacta significativamente sobre a questão do entendimento de quem seria o Servo Sofredor descrito em Isaías 53 e também do Servo em Isaías 42, quer o papel sacerdotal incluísse ou não o sofrimento pelo bem dos outros. O autor do pergaminho ( alguns estudiosos o atribuem a Arão ) usa uma linguagem muito similar às passagens do Servo do livro de Isaías e isso parece apoiar o entendimento de que haveria um “sacerdote escatológico” ( lembre aqui que o texto é antes de Cristo, então essa escatologia refere-se à primeira vinda de Cristo do ponto de vista do judeu que vivia naquele tempo ); e esse sacerdote sofreria muito, possivelmente um sofrimento que envolvesse a morte, e essa morte traria benefícios jubilosos.

Essa evidência do “Servo Sofredor” que pode ser percebida no manuscrito 4Q541 é consistente para se entender, por exemplo, as palavras da interpretação do evangelho de Marcos à luz de Isaías. Marcos apresenta Jesus como alguém cuja vocação desde o princípio é tanto sacerdotal como sacrificial, envolvendo a morte. No batismo de Jesus, o vocabulário de Marcos de ter os céus abertos ( rasgados ) pode ser entendida como uma antecipação deliberada do rasgar do véu do Templo no momento da morte de Jesus ( Mc 15:38 ), o que é um eco do que está escrito no Testamento de Levi 10:3 … “E lidareis sem lei para junto com Israel, assim Ele não suportará Jerusalém por causa da sua maldade; mas o véu do templo deverá ser fendido ( aberto ), de modo a não cobrir a sua vergonha“.

Dessa forma a vocação de Jesus para ser o “Servo Sofredor” ( Is 53; Is 42; Mc 1:11 ), denota a Sua vocação para a morte sacrificial, porém a Sua morte concederá acesso ao Santo dos Santos, onde apenas o Sumo Sacerdote poderia adentrar uma vez por ano. As ligações entre o pergaminho 4Q541, a figura sacerdotal do Testamento de Levi e o Servo Sofredor de Isaías são muitas, o que mostra que muitos dos judeus no tempo de Jesus tinham os elementos necessários e testemunhais proféticos para compreenderem o papel do Messias para a remissão de Israel; e o fato de os líderes Levitas da época não o reconhecerem como tal, aumenta sobre os mesmos o “peso” de não compreenderem o tempo e a época em que viviam, sendo assim, diante de tantos elementos que conhecemos agora não é surpresa alguma as palavras de Jesus aos mesmos quando disse …

Hipócritas, sabeis interpretar o aspecto da terra e do céu e, entretanto, não sabeis discernir esta época ( καιρος kairos )?” (Lucas 12:56)

Isso nos leva a refletir se hoje os “sacerdotes” de nossa época atual também não cometem o mesmo erro novamente quando estamos às vésperas da Segunda Vinda de Cristo, à exemplo dos sacerdotes no tempo da Primeira Vinda. Afinal, temos ainda mais elementos proféticos em enorme abundância para discernir o tempo e a época em que vivemos e, agora diante dos muitos manuscritos antigos descobertos, se percebe também que os tinham os judeus no tempo de Cristo, visto o que muitos desses pergaminhos antigos nos mostram, tal como o 4Q541 aqui citado.

O nono fragmento do pergaminho 4Q541, apresenta muitos paralelos com o Testamento de Levi, que ressaltam o papel da figura messiânica como um sacerdote que ensina com muita propriedade as palavras do SENHOR, mas que é objeto de escárnio e de violência. Por exemplo, o 4Q541 9 I,2 menciona “Sua sabedoria” e “Ele fará expiação“. O 4Q541 9 I,3 menciona “Sua palavra“, “Seu ensinamento“. O 4Q541 9 I,5-7 menciona “eles falarão muitas palavras contra Ele“, “eles inventarão fábulas contra Ele” e “a violência será o seu cenário“. Você poderá perceber essas ligações aqui em alguns destes textos traduzidos de alguns dos fragmentos destes pergaminhos …

… palavras … e de acordo com a vontade de … para mim. Mais uma vez ele escreveu … eu falei deles em parábolas … estava perto de mim. Portanto, estava longe longe de mim … A visão será profunda … a fruta …” (Coluna 1, Fragmento 2 )

coisas profundas … aqueles que não entendem. Ele escreveu … e ele acalmou o grande mar … Então os livros da sabedoria serão abertos … por sua palavra …” ( Coluna 1, Fragmento 6 )

Deus … Você receberá o aflito … abençoará seus holocaustos e Você estabelecerá para eles um alicerce de Sua paz … seu espírito, e você se regozijará em seu Deus. Agora Eu estou falando com você em parábolas … regozije-se. Eis que os sábios compreenderão as visões e compreenderão os profundos mistérios, e é por isso que falo em parábolas. O grego … [ não temente a Deus ] nunca entenderá. Mas o conhecimento da sabedoria virá até você, pois você recebeu … você irá adquirir … Persiga a sabedoria e continue a buscá-la. Deixe ela se tornar uma parte de você. Eis que lhe alegrarás e lhes dará um lugar.” ( Coluna 2 )

Sua sabedoria será grande. Ele fará expiação por todos os filhos de Sua geração. Ele será enviado a todos os filhos de Sua geração. Sua palavra será como a palavra do céu, e Seu ensino será de
acordo com a vontade de Deus. Seu eterno sol vai brilhar. O fogo será aceso em todos os cantos da terra. Vai brilhar na escuridão. Então a escuridão desaparecerá da terra e a escuridão profunda da terra seca. Eles falarão muitas palavras contra Ele. Haverá inúmeras mentiras. Eles vão inventar histórias [ fábulas ] sobre Ele. Eles dirão coisas vergonhosas sobre Ele. Ele derrotará Sua geração má e haverá grande ira. Quando Ele surgir, haverá falsidade e violência, e o povo se desviará em Sua terra e será confundido.” ( coluna 4 )

Em particular o fragmento 24 ( coluna 6 ) do pergaminho 4Q541 provou ser intrigante para muitos estudiosos. Como um todo, o pergaminho pertence claramente ao gênero testamentário, e muitos ( incluindo o autor ) o consideraram parte da literatura associada ao nome de Levi; ou uma parte do chamado “Levítico Aramaico”, de alguma forma ligada aos precursores semitas do Testamento de Levi. Das seis linhas do fragmento, as três primeiras são virtualmente ilegíveis. Entretanto, pode-se ler as linhas 4-6 do pergaminho da seguinte forma:

Sua tradução é um tanto complexa e envolve algumas linhas de compreensão, entre elas, uma tradução seria a seguinte ( acréscimos meus em colchetes ):

Deus corrigirá todos os erros [ pecados ] … Ele revelará e julgará os pecados … Aprenda completamente porque Jonas chorou. Não destruirá os fracos pelo desperdício ou pela crucificação … Não deixe o prego tocá-lo. Então você aumentará para o teu pai [ Levi ] um nome de alegria e para todos os teus irmãos [ levitas ] um alicerce firme, vais compreender e regozijar-te na luz eterna e você não será inimigo de Deus.

Não deixa de ser tanto surpreendente quanto misterioso ler “Não deixe o prego tocá-lo [ ou aproximar-se dele ]” para um leitor no tempo de Jesus, visto que esse manuscrito foi escrito quase 100 anos antes de Cristo, mas para alguém atento aos muitos textos e profecias da época, haja visto a quantidade deles nos pergaminhos do Mar Morto, não seria difícil compreender o papel de Jesus em seu tempo indo para a crucificação, onde foi então pregado na cruz por mãos e pés! Não por acaso, os muitos sinais realizados por Jesus e os eventos que sucederam a Sua morte e ressurreição testemunharam que sem dúvida Ele é o Messias previsto nas Escrituras e até mesmo em muitos textos e profecias não canônicas do tempo de Jesus. Que dizer então para nós que temos hoje tantos e tantos testemunhos provenientes das Escrituras e de outros textos que mostram isso e que, não por acaso, também nos foram descortinados ainda novos elementos a partir de 1947 ( ano em que o Estado Judeu renasceu por meio da ONU em novembro ) que evidenciam tudo isso com ainda mais força e intensidade.

Assim como os israelitas que viviam no tempo de Cristo tinham muitos textos que apontavam para a Primeira Vinda do Messias com riqueza de detalhes para que esses mesmos textos servissem de testemunhas contra eles, pois não apenas os sinais que Jesus realizava mostravam quem Ele era, mas também as profecias escritas em diversos textos da época que Ele cumpria também serviam de testemunha, assim acredito que o é hoje, onde temos também vários textos e sinais que apontam que vivemos à época da Segunda Vinda de Cristo e às vésperas de um tempo único de mudanças, mas assim como grande parte dos sacerdotes da época, os levitas de seu tempo, foram negligentes com os textos e sinais da Primeira Vinda de Cristo, assim grande parte dos “sacerdotes” de nosso tempo o são no que se refere a Segunda Vinda de Cristo. Que não sejamos nós também chamados de “Hipócritas” por Cristo como o foram os primeiros!

A cada dia que se passa parecem sumir dos púlpitos as mensagens referentes a Segunda Vinda de Cristo e não são poucos os “sacerdotes” de nosso tempo que fogem das questões escatológicas ou de livros das Escrituras que tratam desse tema por alegações tolas de que são textos complexos ou misteriosos demais … bobagem, para isso temos o Espírito Santo em nós; para nos auxiliar a descortinar aquilo que se esconde por detrás do véu, como é o significado do Apocalipse.

Os sacerdotes do tempo de Jesus foram instruídos com antecedência a não deixarem o prego se aproximar do “Servo Sofredor” para que aos levitas daquele tempo tivessem recebido um bom nome e não fossem feitos inimigos de Deus, entretanto, como mostra a história estes não seguiram a instrução e foram muitos colocados junto aos inimigos de Deus naquele tempo …; da mesma forma em nosso tempo há muitos avisos contra os que dormem e sobre o risco da apostasia no tempo da Segunda Vinda, porém, que desta vez os alertas e as instruções possam encontrar ouvidos não surdos, mas atentos e vigilantes!

Que o SENHOR lhe abençoe, desperte e você seja encontrado vigilante! 🙏❤️

3 thoughts to “Levi aos Seus Descendentes Levitas: “Não Deixem o Prego Tocá-lo””

  1. Graças por este texto e também graças a Deus que não estou imimigo do SENHOR!
    Que Adonai te abençoe Dionei e que continues na santificação a Ele.

  2. A muitas instruções, avisos e alertas sobre o tempo e época em que vivemos. Como mencionado neste post pelo Dionei, que estejamos vigilantes a tudo isso para que nossa mente se abra mais para Cristo buscando a sua graça e conhecimento!
    Mais uma vez lendo este post incrível tratando desses pergaminhos do mar morto
    !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *