Satanás …, um servo obediente ou um rebelde?!

Aos que acreditam que Satanás não caiu, mas que ele é apenas um “servo fiel” do SENHOR cumprindo somente com as suas “funções” e “ordens” por Deus assim designadas e, sendo assim, sem cometer rebeldia alguma … ( ficou surpreso com essa alegação?! saiba que existem muitos que acreditam assim ) … vale então lembrar deste texto … um entre muitos sobre esse tema …

… não se ensoberbeça e caia na mesma condenação em que caiu o Diabo.” (1 Timóteo 3:6b)

Pense com cuidado por um momento … o Justo Juiz não condenaria alguém por apenas realizar a “função” que lhe foi incumbida, visto que seria um completo contra-senso julgar e condenar alguém por fazer apenas o que lhe foi ordenado e que lhe era designado … ainda mais se todas essas ordens partiram do próprio Justo Juiz, como alegam alguns. A própria situação de um Juiz sentenciar a condenação de um indivíduo por algo que esse mesmo Juiz designou e ordenou que o indivíduo fizesse já seria evidência por si de grave injustiça, algo impossível de se atribuir ao SENHOR Deus, que é o único Justo Juiz!

Portanto, segundo o texto de Paulo, o fato de Satanás ser condenado e de ter incorrido no erro da soberba e da arrogância ( entre outros ), implica naturalmente que muitos textos referentes a sua queda e sobre o seu orgulho, arrogância e rebeldia, a exemplo dos textos dos profetas Isaías e Ezequiel, realmente referem-se a Satanás e, sendo assim, não são apenas “interpretações erradas” sobre meros “reis” e “impérios” como alegam alguns que acreditam e interpretam que Satanás é apenas um “servo” que está cumprindo as suas “funções” e ordens divinas.

Conheço e compreendo a complexidade e os problemas gramáticos existentes no hebraico desses textos dos profetas, principalmente na forma de escrita de Ezequiel, mas a Bíblia, como neste texto de Paulo, reitera a conclusão sobre a queda de Satanás, a despeito do que muitos acadêmicos e outros buscam refutar por meio de questões gramaticais discutíveis e alegados problemas de “alegoria” … eu prefiro acreditar em Paulo do que em interpretações equivocadas por questões técnicas que são duvidosas, pois acredito que Paulo sabia bem do que falava e tinha base para isso. Além disso, o apóstolo Pedro aborda indiretamente essa mesma questão quando também escreveu …

Ora, se Deus não poupou anjos quando pecaram, antes, precipitando-os no inferno, os entregou a abismos de trevas, reservando-os para juízo” (2 Pedro 2:4)

Eu entendo que alguns alegam que os anjos citados por Pedro seriam apenas “homens em posição de autoridade”, tirando o foco da questão celeste e negando assim que seres angelicais tivessem a possibilidade de pecar, porém o contexto do texto, aliado com a referência da carta de Judas e de textos da cultura judaica da época, como os encontrados em Qumran, acabam por refutar com riqueza e multiplicidade de evidências essas alegações vazias e distorcidas, visto que Pedro reitera que seres angelicais efetivamente pecaram e por isso foram sentenciados para condenação, concordando assim com as palavras de Jesus quando disse …

Então, o Rei dirá também aos que estiverem à Sua esquerda: Apartai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.” (Mateus 25:41)

Se Satanás e os seus anjos fossem apenas “servos do SENHOR” que apenas lhE obedecem, como acreditam erroneamente alguns, não haveria a necessidade de prende-los ( vide Jd 1:6; 2 Pe 2:4; Ap 20:1-3 ), bastava ao SENHOR lhes dar uma ordem … a prisão, assim como o Lago de Fogo que lhes foi reservado ( vide Mt 25:41 ), apenas evidenciam com clareza o pecado e a rebelião destes. Quando filhos se corrompem e se deterioram à rebeldia, já não são mais filhos, apenas manchas ( vide Dt 32:5 ). Aqui um texto das Escrituras que claramente evidencia os fatos anteriormente citados …

e a anjos, os que não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicílio, Ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande Dia” (Judas 1:6)

Além destes dados, há mais uma clara evidência da rebeldia de Satanás citada por Jesus quando se referiu sobre ele ao interpelar seus acusadores …

Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.” (João 8:44)

Desses “mestres” que afirmam que Satanás apenas cumpre ordens e que não se rebelou ou foi arrogante, eu quero mais é distância dos mesmos quando tratam dessa questão … sei que a abrangência da ação de Satanás é limitada pelo SENHOR, como observado em Jó e em outras passagens, mas isso é assim para evitar que o mesmo faça danos irreparáveis aos bons propósitos do SENHOR e não porque Satanás fosse um “servo fiel” ao seu desígnio como afirmam alguns … estes “mestres” que buscam “santificar” o diabo nada mais são que enganadores que se valem de falácias e sofismas para sustentar os seus argumentos; distorcem as Escrituras e mentem capciosamente; dessa forma acabam agindo como filhos do pai da mentira … visto que mentem como o próprio.

Afinal, desde quando um “servo obediente” necessita ser algemado e preso para que não faça as suas “funções”?! Pois se ele é mesmo obediente, bastaria dizer para que não mais o fizesse, não é mesmo?! Entretanto, não é o que está escrito …

Então, vi descer do céu um anjo; tinha na mão a chave do abismo e uma grande corrente. Ele segurou [ do grego κρατεω “krateo” … agarrar alguém a fim de mantê-lo sob domínio ] o dragão, a antiga serpente, que é o diabo, Satanás, e o prendeu por mil anos; lançou-o no abismo, fechou-o e pôs selo sobre ele, para que não mais enganasse as nações até se completarem os mil anos.” (Apocalipse 20:1-3a)

Que o SENHOR lhe proteja destes falsos mestres e lhe ilumine sempre com a verdade da Palavra! Tenha um dia abençoado e no refúgio das asas do Altíssimo! 🙏❤️

Grande é Este Mistério – Cristo e a Igreja

Eu já escrevi anteriormente sobre o mistério que envolve o Aleph e o Tav ( את ) e existem diversas abordagens para a mesma, afinal como bem coloca o apóstolo Pedro: “… nenhuma profecia da Escritura provém de particular interpretação” (2 Pedro 1:20b), ou seja, tudo que você lê nas Escrituras possui mais de um significado, basta você se aprofundar. E isso não é diferente quando o assunto é a partícula “et” ( את, o Aleph e o Tav ) do hebraico, pois eu já abordei em artigos sobre a mesma das seguintes formas …

Enfim, poderíamos abordar vários pontos sobre essa partícula, mas neste artigo eu vou abordar o “et” ( את ) de maneira diferente, afinal como um marcador gramatical essa partícula é muito peculiar ao hebraico de tal maneira que, quando ela aparece nos textos das Escrituras, ela não é traduzida.

Curiosamente ela aparece como a quarta e novamente como a sexta palavra de Gênesis 1:1 ( misteriosamente cifrado no texto como “espelho” dos dias da criação apontando as duas vindas de Cristo, uma no quarto dia e outra no sexto dia ), o “e” ( vide imagem anterior ), para referenciar a Terra ligando-a aos céus, como o segundo objeto direto do ato criador de Deus. O “et” ( את ) está prefixado com a sexta letra “vav” ( ו ), que é traduzida como o conjuntivo “e” ( ואת ) que está escrito em hebraico.

Um significado estritamente relacionado ao “et” ( את ) é destacar palavras para uma ênfase especial com a implicação de que a essência ou a totalidade de algo está em vista. Este é um conhecimento comum entre os comentaristas cristãos e judeus, como é observado por Adam Clarke ( 1826 dC ) …

A palavra ‘et‘ ( את ), que é geralmente considerada como uma partícula, é frequentemente entendida pelos rabinos num sentido muito mais extenso. ‘A partícula‘, diz Ibn Ezra, ‘significa a substância da coisa‘. Uma definição similar é dada por Kimchi em seu livro ‘Book of Roots’. ‘Esta partícula‘, diz o Sr. Ainsworth, ‘tendo a primeira e a última letras do alfabeto hebraico nela, supostamente inclui a soma e a substância de todas as coisas.”

Essa tradição rabínica interpreta Gênesis 1:1 como “No princípio, criou Deus ‘et’ ( את ) – o Aleph Tav, a Essência de Tudo; o alfabeto com que disse Deus as palavras de poder que a tudo criou –  os céus e a terra“. Isso é mais coerente com a sua etimologia, como Ernest Klein explicou em seu abrangente Dicionário Etimológico da língua hebraica, onde ele remontou à raiz última do significado de “et” ( את ) como “um substantivo no sentido de ‘ser, essência, existência“. Definição essa que é um curioso eco de Hebreus quando se refere a Cristo, o Aleph e o Tav ( את )  …

Ele [ Cristo ], que É o resplendor da glória e a expressão exata do Seu Ser [ Substância/Ser do Pai ], sustentando todas as coisas pela palavra do Seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas” (Hebreus 1:3)

Isso significa que o Selo da Palavra de Deus ( את ) carrega a ideia da existência essencial … eterna …, do início e do fim, do primeiro e do último. O capítulo da criação, de Gênesis 1, expressa em seu texto ao final da narrativa da criação um exemplo desse significado, como está escrito …

Viu Deus tudo ( את-כל, et-kol ) quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia. Assim, pois, foram acabadosכלה, kalah … mesma raíz de kol כל … tudo ) os céus e a terra e todo o seu exército.”  (Gênesis 1:31;2:1)

A expressão “et-kol” ( את-כל ) é formada no texto de Gênesis pela combinação de “et” ( את ) com “kol” ( כל ), a palavra hebraica padrão que significa o todo ou tudo. Ela é soletrada com as mesmas consoantes como o “ōt-kol”, o sinal de tudo, que é coerente, naturalmente, com o tópico preciso da passagem. Isso então revela a verdadeira essência do núcleo alfabético da Palavra de Deus.

O alfabeto hebraico é composto de 22 letras e se formos colocar essas letras dispostas em um círculo, simbolizando o início e o fim pela ordem das letras e mantendo a mesma disposição delas nesse círculo, nós teríamos o resultado como na imagem colocada no topo deste artigo. Onde o Aleph e o Tav se encontram no topo do mesmo. Observando a expressão para TUDO de Gênesis 1:31, “et-kol” ( את-כל ), vemos uma união das letras Aleph e Tav ( את ) juntas e do Kaph e o Lamed também juntos ( כל ) … observe na imagem abaixo que estas letras estão também juntas e diametralmente opostas na circunferência.

Seguindo a seta do centro da figura anterior, passamos pelas letras Aleph “א” – Tav “ת” – Kaph “כ” – Lamed “ל” e vemos que o “et-kol” ( את-כל ), que representa TUDO, é formado pelo entrelaçamento simétrico dessas duas palavras diametralmente opostas no Círculo Alfabético. Isto significa que o Sinal de Tudo é simetricamente soletrado no núcleo alfabético e, curiosamente, essa figura que tanto lembra o número 8 ( oito, símbolo de novos começos nas Escrituras ), quanto também o símbolo do infinito (  ) que é por vezes chamado de lemniscata. Isso tudo é resultado da maravilha interminável da Arte Teológica que Deus gravou com tanta habilidade no cerne das Escrituras por meio do idioma com o qual Se revelou nos textos bíblicos da criação de tudo e do Seu incrível plano de redenção.

O vínculo observado em Gênesis 1:31 entre TUDO ( “et-kol” את-כל ) e o TÉRMINO ( “kalah” כלה ), nos leva diretamente ao tema principal da Consumação do Plano das Eras de Deus. No versículo de Gênesis citado anteriormente, Deus usou a expressão “et-kol” ( את-כל ) em conjunto com o seu cognato “kalah” ( כלה ), que significa acabar, completar, terminar, trazer a um fim, estar completo, estar realizado. Exceto por pontos vocálicos, esta palavra é idêntica à “kallah” ( כלה ), que denota uma noiva ou esposa.

Este é o mistério divino da língua hebraica; Deus baseou a palavra para uma noiva (“kallah”) sobre a idéia de conclusão (“kallah”) para prefigurar o propósito final de toda a criação, como está escrito “Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne. Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja.” (Efésios 5:31,32).

E nenhum livro nas Escrituras fala tanto do relacionamento entre o noivo e a noiva, entre o esposo e a esposa quanto o livro de Cântico dos Cânticos, ainda mais especificamente nas passagens que levam ao ponto em que o Amado e a Sua Noiva consumam o Seu casamento, que é marcado pela frase “Já entrei no meu jardim” … e isso não é por acaso, pois o SENHOR Deus é o jardineiro que planta o Jardim do Éden em Gênesis 2:8 e Jesus é confundido com um jardineiro por Maria Madalena em João 20:15 …, por isso o texto de Cântico dos Cânticos é tão expressivo nesses termos, como está escrito …

Vem comigo do Líbano, noiva ( כלה kallah ) minha, vem comigo do Líbano; olha do cimo do Amana, do cimo do Senir e do Hermom, dos covis dos leões, dos montes dos leopardos. Arrebataste-me o coração, minha irmã, noiva ( כלה kallah ) minha; arrebataste-me o coração com um só dos teus olhares, com uma só pérola do teu colar. Que belo é o teu amor, ó minha irmã, noiva ( כלה kallah ) minha! Quanto melhor é o teu amor do que o vinho, e o aroma dos teus ungüentos do que toda sorte de especiarias! Os teus lábios, noiva ( כלה kallah ) minha, destilam mel. Mel e leite se acham debaixo da tua língua, e a fragrância dos teus vestidos é como a do Líbano. Jardim fechado és tu, minha irmã, noiva ( כלה kallah ) minha, manancial recluso, fonte selada. Os teus renovos são um pomar de romãs, com frutos excelentes: a hena e o nardo; o nardo e o açafrão, o cálamo e o cinamomo, com toda a sorte de árvores de incenso, a mirra e o aloés, com todas as principais especiarias. És fonte dos jardins, poço das águas vivas, torrentes que correm do Líbano! Esposa: Levanta-te, vento norte, e vem tu, vento sul; assopra no meu jardim, para que se derramem os seus aromas. Ah! Venha o meu amado para o seu jardim e coma os seus frutos excelentes! Esposo: Já entrei no meu jardim, minha irmã, noiva ( כלה kallah ) minha; colhi a minha mirra com a especiaria, comi o meu favo com o mel, bebi o meu vinho com o leite. Comei e bebei, amigos; bebei fartamente, ó amados.” (Cântico dos Cânticos 4:8-16;5:1)

Sem o conhecimento do Evangelho, a frase “minha irmã, noiva minha” pode parecer um pouco “fora de propósito” neste mais sagrado de todos os cânticos. Mas à luz da tipologia bíblica que aponta Cristo como nosso irmão ( Hebreus 2:11 ) e também como nosso noivo ( Apocalipse 21:9 ) e como nosso esposo ( 2 Coríntios 11:2 ), o texto termina por ficar em perfeita harmonia com o resto da sinfonia das Escrituras. Esta é a consumação do Plano de Deus para as Eras …

Alegremo-nos, exultemos e demos-lhE a glória, porque são chegadas as bodas do Cordeiro, cuja esposa a si mesma já se ataviou, pois lhe foi dado vestir-se de linho finíssimo, resplandecente e puro. Porque o linho finíssimo são os atos de justiça dos santos. Então, me falou o anjo: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E acrescentou: São estas as verdadeiras palavras de Deus.” (Apocalipse 19:7-9)

Sim, vamos nos alegrar! Cantemos louvores ao nosso Pai Celeste, que “ocultou estas coisas aos sábios e instruídos e as revelou aos pequeninos” (Lucas 10:21) sobre o mistério da união de Cristo com a Sua noiva, a Igreja … os dois tornando-se “uma só carne” como está em Efésios 5:31 ecoando Gênesis 2:24 … vale notar que essa expressão “uma só carne” em hebraico está assim “לְבָשָׂ֥ר אֶחָֽד“, essa construção é curiosa, visto que é uma junção da palavra “אֶחָֽד” ( “’e·ḥāḏ.“, que significa um, unidade )  com o termo “לְבָשָׂ֥ר ( “lə·ḇā·śār“, que signifca carne ), sendo que esse último termo está com o prefixo lamedלְ” em conjunto com a palavra carneבשׁר” … podendo assim se observar duas palavras significativas nesse termo “לב” ( “leb“, coração ) e “שׁר” ( “sar“, governante, príncipe, soberano ) … analisando esses dados, quando o texto diz que os dois serão “uma só carne” ele indiretamente está dizendo que os dois estarão de tal modo em unidade que serão como “um coração que governa” ou como “um coração que domina soberanamente” … enfim reinaremos com Ele e seremos um com Ele como Ele é um com o Pai.

Como já apontava de maneira escondida em mistério no texto em hebraico de Gênesis 1:31;2:1 … que TUDO ( “et-kol” את-כל ) o que foi criado alcance o seu TÉRMINO/COMPLETUDE ( “kalah” כלהdeterminado pelo SENHOR Deus desde o princípio para o casamento de CRISTO ( o “Aleph e o Tav” את ) com a Sua NOIVA ( “kallah” כלה ), a Igreja, para então tornar-se definitivamente a Sua ESPOSA ( “kallah” כלה ) para um novo tempo ( Aleph “א” – Tav “ת” – Kaph “כ” – Lamed “ל”, o símbolo que aponta para novos começos … o 8 ) … e isso eternamente (  ) ! Amém!

As Escrituras e sua construção não são lindas e maravilhosas?! Louve ao SENHOR e ao Seu Santo Nome e diga em alta voz …

Vem depressa, amado meu” (Cântico dos Cânticos 8:14a)

Vem, Senhor Jesus!” (Apocalipse 22:20b)

Que o SENHOR lhe abençoe abundantemente e lhe encontre com muito azeite na vinda para as Bodas do Cordeiro! 🙏❤️

O Deus que Se Oculta, a Fé e a Sua Relação com o Espaço-Tempo

.
A palavra hebraica “עלמּ`olam, significa longa duração, eternidade, mundo físico.
 
Esta única palavra aparece na Bíblia, com variações, não menos que 437 vezes. Na língua hebraica, `olam ( עלמּ ) representa tanto a dimensão física quanto a dimensão do tempo – relacionando-se, especificamente, com sua propriedade “ilimitada”. Assim, `olam ( עלמּ ) significa, simplesmente, “mundo físico” ( tudo o que existe ), mas também fala de “tempo“, “eternidade” ( relacionado ao tempo sem limites ), ou o tempo decorrido desde o início dos tempos até a eternidade.
 
Não deixa de ser curioso e até espantoso ver essa inter-relação entre a dimensão física e o tempo numa única palavra em hebraico há milhares de anos, pois somente recentemente a ciência, por meio da mente brilhante de Einstein, alcançou o entendimento dessa relação conjunta do espaço-tempo através da Teoria da Relatividade, a qual revolucionou a física fornecendo uma descrição unificada da gravidade como uma propriedade geométrica do espaço e do tempo, ou espaço-tempo. Mais uma vez uma descoberta da ciência moderna aponta para algo já descrito de forma cifrada nas Escrituras há muitos milênios.
 
A palavra `olam ( עלמּ ) é derivada da raiz “עלמּ`alam, que significa ocultar, esconder, ser escondido, ser ocultado, ser secreto. Na língua hebraica, essa raiz é origem de muitas palavras, todas com um senso comum: ser escondido, ocultado. Exemplos incluem “העלם” healem ( esquecimento, desaparecimento ), “תעלמה” ta`alummah ( mistério, segredo ), “להעלים” le-halim ( esconder ) e “להתעלם” le-hitalem ( ignorar, agir como se algo é inexistente ).
 
Olhando o sentido da palavra no seu significado mais concreto como era utilizado nos primórdios pelo povo hebreu, `olam ( עלמּ ) significa “além do horizonte“, apontando para algo distante e escondido, tanto fisico quanto temporal, por isso a relação de `olam ( עלמּ ) com sua raiz `alam ( עלמּ ).
 
Você pode então justificadamente perguntar: Qual é a conexão entre “mundo” e “ocultação”? A resposta está escondida no clamor do profeta Isaías a Deus …
 
Verdadeiramente, Tu és Deus que Se oculta ( Se esconde, misterioso ), ó Deus de Israel, ó Salvador.” (Isaías 45:15)
 
O tema do Deus oculto é repetido inúmeras vezes na Bíblia. Por exemplo, quando Moisés pede a Deus “Mostre-me a Tua glória” (Êxodo 33:18), a resposta que ele recebe é …
 
Não Me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a Minha face e viverá. Disse mais o SENHOR: Eis aqui um lugar junto a Mim; e Tu estarás sobre a penha. Quando passar a Minha glória, Eu te porei numa fenda da penha e com a mão te cobrirei, até que Eu tenha passado. Depois, em tirando Eu a mão, Tu Me verás pelas costas; mas a Minha face não se verá.” (Êxodo 33:21-23).
 
A tradição judaica interpreta isso implicando que a presença de Deus pode ser evidenciada pelas coisas que já ocorreram no passado (“Tu Me verás pelas costas“), entretanto, a própria existência de Deus está escondida dos olhos. Isso é muitas vezes comparado com o fato de que se pode ver o corpo humano, em suas várias manifestações, mas não a alma e o espírito que reside dentro de cada um. Da mesma forma como no Tabernáculo de Moisés no deserto, onde o Pátio ( que simboliza o corpo ) poderia ser visto abertamente, mas o Lugar Santo ( que representa a alma) e o Lugar Santíssimo ( que representa o espírito ) ficavam escondidos pelas várias coberturas e os véus do Santuário. Por isso o autor de Hebreus escreve que o caminho ao SENHOR foi por meio da destruição do véu ( a cobertura que simboliza a carne … nesse caso a carne de Jesus que escondia a Sua natureza divina ) que esconde o Santuário …
 
Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que Ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela Sua carne” (Hebreus 10:20)
 
O sentido e o uso da palavra `olam ( עלמּ ) agora se torna claro: o mundo inteiro é uma manifestação do oculto de Deus. Deus está no mundo, mas o mundo inteiro é também um testemunho do Deus que Se esconde ( Isaías 45:15 ) e isso para que o homem sempre tenha que fazer uso da fé, porque …
 
… sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que se torna galardoador dos que O buscam.” (Hebreus 11:16)
 
O design na palavra hebraica para “mundo” e “eternidade” agora torna-se óbvio: em uma única palavra, `olam ( עלמּ ), está descrito toda a criação que envolve o mundo físico e o tempo, percebidos na física moderna pela relação espaço-tempo que rege o universo, mas que também fala do Criador de todas as coisas e que Se esconde, que Se oculta para que o homem possa fazer uso de seu poder de escolha e busque ou não ter um relacionamento com aquEle que o criou.
 
Recomendo que você busque ao SENHOR enquanto ainda pode, como está escrito …
 
Buscai o SENHOR enquanto se pode achar, invocai-O enquanto está perto. Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo, os seus pensamentos; converta-se ao SENHOR, que Se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar.” (Isaías 55:6,7)
 
O SENHOR está muito perto de você, não se deixe enganar pelo véu do espaço-tempo dessa criação, pois escondido atrás desse véu está o Criador, esperando para lhe encontrar e mudar a sua vida de uma forma como você nunca poderia imaginar e lhe mostrar o bom propósito que Ele tem para a sua vida.
 
Que Deus lhe abençoe e lhe ilumine!🙏❤️

Por que se aprofundar no estudo da Palavra?

Quem se limita no estudo da Palavra de Deus, limita em sua vida o Deus da Palavra.

Vou explicar melhor … é comum eu ver pessoas que, ao lerem e estudarem as Escrituras, pulam textos ou livros inteiros, ou por acharem chatos, ou por acharem complicados, ou até mesmo porque o texto as confronta em seu viver ou em sua teologia, isso entre outros tantos motivos … e assim estes “fatiam” as Escrituras apenas naquilo que lhes interessa. Lamento dizer, mas essa não é uma atitude sábia, pois quem faz isso por não gostar, por exemplo, de textos de genealogias, quantidades de tribos, ou de livros tais como Levítico, Números, Cantares, Ester, Provérbios, Daniel, Ezequiel, Judas, Hebreus, o “famigerado” Apocalipse, entre muitos outros; estará desdenhando e ignorando verdadeiras jazidas do SENHOR.

Mesmo as genealogias escondem em si a beleza do resumo da mensagem do evangelho em seu significado e muitas outras coisas, quem não as estuda jamais o perceberá, da mesma forma, por exemplo, não conhecerá a beleza e complexidade da construção da genealogia de Mateus 1 no grego, quem não estuda os números das tribos, jamais conseguirá ver a gigante cruz que se movia no deserto durante o êxodo. Quando você se limita até mesmo do idioma original, jamais perceberá a beleza matemática da construção dos primeiros versículos do Gênesis e a sua profundidade. Jamais perceberá a beleza do Aleph e o Tav (Alfa e o Ômega) nas milhares de passagens das Escrituras, o seu significado, beleza e profundidade nas genealogias, no casamento de Rute com Boaz, em Zacarias e muitas outras passagens. Não perceberá o que os textos em Aramaico de Daniel escondem sobre o tempo do fim, não perceberá a beleza dos 13 atributos do SENHOR, sua relação com as virtudes do fruto do espírito e os 7 atributos exclusivos do SENHOR, assim como a sua relação com o número 13. Isso para não citar ainda muitas e muitas belezas e riquezas dos textos de Provérbios, Salmos e muitos outros. As Escrituras são como minas de ouro e de pedras preciosas que quanto mais se cava, mais riqueza se encontra.

Entendo que muitos tem ministérios específicos, mas isso não significa que tenham de se limitar neles, pois quem é especialista sobre as questões da semeadura e colheita pode nunca conhecer a profundidade e a excelência da generosidade. Assim como quem é especialista nos dons, e nisso permanece, poderá jamais conhecer a profundidade do caminho mais excelente que Paulo indica sobre o amor. A mensagem do Evangelho é simples para que todos tenham acesso, tanto que ela pode ser resumida por completo em João 3:16, mas esse é apenas o ponto de partida, infelizmente em nosso tempo muitos o tomam como ponto de chegada e perdem um universo de coisas de uma vida plena em Deus.

Eu, particularmente, reconheço que ainda sou como uma criança à beira da praia enquanto o SENHOR tem um mar de riquezas e verdades que se escondem diante de mim, mas não importa o tamanho da sede que se tenha de se conhecer a Deus, Ele é sempre maior do que a nossa maior sede. O nosso mundo atual mede o sucesso pelo dinheiro, isso acontece mesmo em meios cristãos, mas o sucesso é proporcional em se conhecer ao SENHOR e no nível de intimidade com Ele, em fazer a Sua vontade e realizar o Seu propósito para a sua vida e assim Glorificá-lO. Mas se você já se limita no estudo da Palavra de Deus, acabará limitando em sua vida o Deus da Palavra e todo o relacionamento com Ele!

Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em Me conhecer e saber que Eu Sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas Me agrado, diz o SENHOR.” (Jeremias 9:23-24)

Conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR” (Oséias 6:3a)

Que o SENHOR lhe ilumine e abençoe! 

Comportamentos da Física Quântica Apontam para o Criador

Comportamentos esquisitos que são observados na Física Quântica apontam para o Criador … Você já parou alguma vez para refletir e meditar nesse texto de Hebreus 1:3? Vou compartilhar com você algo profundo e que me vem à mente cada vez que eu penso nisso e veja se você concorda comigo … aqui está o texto das Escrituras:

Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do Seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do Seu poder …” (Hebreus 1:3a)

Quando eu penso nisso e em outros textos similares nas Escrituras, eu sempre lembro do quão interessante e profundo é o paradoxo na Física Quântica do comportamento das partículas, ora atuando como onda e ora atuando como matéria.

 

 

O clássico experimento da “Fenda Dupla” (veja o vídeo anterior), onde elétrons são lançados pelas fendas e os comportamentos se tornam distintos quando os mesmos são observados ou não, me remetem ao Criador. Curiosamente, quando no experimento o elétron não era observado, o comportamento é de onda, mas quando observado ele se comporta como matéria. Ou seja, a simples observação mudou o comportamento das partículas, como se as mesmas fossem conscientes de quando estão sendo observadas.

Sendo assim, algumas observações são pertinentes. O que acontece com as partículas quando ninguém as está observando?! Se ninguém observar a Lua ou Saturno ou um meteoro, por exemplo, as partículas que os compõem irão continuar se comportando como matéria?! Por que os objetos, inclusive o nosso próprio corpo, não “desaparece” devido ao comportamento de onda das partículas?! Se uma consciência, um observador, determina o comportamento das partículas, como no experimento da “Fenda Dupla”, e a Lua e outros objetos continuam lá, estáveis, como matéria, mesmo quando ninguém as está observando; podemos inferir que o que mantém coeso e estável TODO o universo conhecido se deve a uma “Consciência Cósmica” externa e maior do que o próprio universo existente, a qual observa cada uma das inumeráveis partículas de TODO este universo a TODO momento e que define o estado final em que cada partícula está ou virá a estar no instante infinitesimal de momento seguinte.

Esta “Consciência Cósmica” é DEUS, o SENHOR … é Ele que pelo Seu enorme poder determina a TODO instante e em TODO o universo, como está cada partícula que compõe TUDO o que conhecemos!!!

Consegue imaginar o poder necessário para tal?! Por isso que não cai um fio de cabelo de sua cabeça sem que Ele o saiba, afinal é Ele quem sustenta todas as partículas dos seus fios de cabelo e de tudo o mais a todo instante, por isso é impossível Ele não saber o que ocorre com cada um deles (veja Lucas 12:7). Mesmo o processo de pensamento que ocorre em sua mente é por Ele viabilizado, por isso é impossível ao SENHOR não saber o que você pensa e você pode ter a certeza de que a sua oração é sempre por Ele conhecida …. “Ainda a palavra me não chegou à língua, e Tu, SENHOR, já a conheces toda.” (Salmo 139:4)

O SENHOR DEUS é ONIPOTENTE, ONISCIENTE e ONIPRESENTE, são todos atributos únicos e exclusivos daquEle que “sustenta TODAS as coisas pela palavra do Seu poder”!!!

Glórias e Honras ao SENHOR … Ele é Santo, Santo, Santo e digno de louvor!

Comparativo dos Dias da Criação e a Interpretação Milenar

 

Como eu já mencionei no artigo “Em Que Época Vivemos” ( veja aqui ) e também em outros artigos, muitos rabinos, pais da Igreja e estudiosos entendem que estão designados à humanidade cerca de 6.000 anos antes do milênio de descanso, o sétimo. A base para esse tipo de interpretação vem tanto da questão dos dias da criação como também dos 120 anos mencionados em Gênesis 6:3 (“Por causa da perversidade do homem, Meu Espírito não contenderá com ele para sempre; ele só viverá cento e vinte anos”), onde os sábios interpretam que o SENHOR se referia a 120 anos “jubileu”, ou seja, 6.000 anos ( 120 x 50 ), sendo o sétimo milênio um “sábado” de descanso … o Reino Milenar de Cristo (vide Apocalipse 20) … vemos também uma “sombra” sobre isso em Hebreus …

Portanto, resta um descanso [ σαββατισμος sabbatismos, um sábado de descanso ] para o povo de Deus” (Hebreus 4:9).

Existem outros textos e interpretações que também levam para essa mesma conclusão, mas não as vou abordar aqui. Nessa imagem que eu montei acima, está um pouco sobre esse comparativo dos dias da criação com os registros e as interpretações da história humana segundo as Escrituras. Se está correta ou não essa interpretação, o fato é que vivemos numa época muito interessante do ponto de vista bíblico …

Ano-Novo … 2017

Meditando sobre o novo ano de 2017 que se aproxima, eu não poderia deixar de fazê-lo sem olhar essa questão a partir das Escrituras … e a primeira passagem que me veio à mente foi esta …

Disse também Deus: Haja luzeiros no firmamento dos céus, para fazerem separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais, para estações, para dias e anos ( שׂנה shaneh ).” (Gênesis 1:14)

Como destacado anteriormente, a palavra “ano” no hebraico é שׂנה ( shaneh ), que vem da raíz שׂנה ( shanah ) que significa, paradoxalmente, tanto repetir, fazer de novo quanto mudar, modificar. É interessante que em algumas “escolas de teologia”, quando um “paradoxo” se apresenta, elas simplesmente “travam” ou o definem como uma “antinomia” e ficam apenas nisso … não buscam ir além para enfim compreender o ensino que se esconde por detrás desse tipo de situação. Neste caso, o conceito de ano na raiz das Escrituras está relacionado a um ciclo que se repete novamente e continuadamente, como atesta o texto de Gênesis acima referenciado, mas esses ciclos em si também trazem mudanças.

Observando essa questão pela perspectiva das Escrituras, isso significa que o caminho de Deus é um caminho cíclico, repetitivo, mas também de novidades e de mudanças. Você não pode verdadeiramente conhecer a Deus se essa experiência não lhe mudar, não lhe modificar ao conhecê-lO intimamente; e a vontade de Deus é a de que isso ocorra em um ciclo, como neste ano novo que está à frente ( shanah ). Alegoricamente, isso funciona como quando se sobe uma enorme escada em espiral … você tem a impressão de que está andando em círculos, mas na verdade, são repetições que possuem pequenas mudanças a cada degrau que se sobe … com novos começos, novos passos. Se você quiser experimentar um ano de coisas novas, você deve buscar crescer no conhecimento de Deus, subir os degraus da escada do conhecimento e da intimidade com Ele e optar por não andar na sua própria vontade, mas na vontade daquEle que está acima da natureza, acima dos tempos e épocas. Como está escrito …

Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas. Eis que faço coisa nova, que está saindo à luz; porventura, não o percebeis? Eis que porei um caminho no deserto e rios, no ermo.” (Isaías 43:18,19)

Abra a sua vida para o novo da Sua vontade, e você irá andar em um ciclo crescente de novidade de vida e mudança … שׂנה ( shanah ). Eu recomendo que, de hoje em diante, você observe os seus dias a partir de uma perspectiva maior, que você aprenda com as Escrituras nesse quesito, como está escrito …

Ensina-nos a contar ( מנה manah ) os nossos dias, para que alcancemos coração sábio.” (Salmo 90:12)

Observe que o salmista nos instrui a “contar” os nossos dias para alcançarmos sabedoria, em hebraico o termo é מנה ( manah ), que significa: contar, numerar, considerar, preparar, designar … ou seja, isso significa que você não deve apenas observar e esperar passivamente para ver o que vai acontecer com os seus dias. Você tem que se preparar. E como posso preparar os meus dias antes de eles chegarem?! Para isso devemos aprender com Deus, pois antes de existirem os dias, o tempo em si, Deus preparou-os e deu-lhes um propósito. Então, se você é um filho de Deus, você deve fazer o mesmo. Como?! Orando … ore, declare com suas palavras, por dias que ainda não existem, alinhando os seus planos aos propósitos do SENHOR, como está escrito …

 “Muitos são os planos no coração do homem, mas o que prevalece [o que fica de pé] é o propósito do Senhor.” (Provérbios 19:21)

A oração não é apenas para o que já existe, mas também pelo que ainda não é. Em oração, prepare, considere, designe os seus dias em Deus para trazer coisas boas, para consagrá-los aos propósitos de Deus. E, em seguida, use os seus dias para realizar esses propósitos. Prepare-os para que eles possam se tornar canais de bênção e de vida. Conte, numere, considere, prepare, designe os seus dias. Aprenda com Jesus, pois segundo está registrado nos evangelhos, nós vemos que Jesus preparava os seus dias em oração …

[ Jesus ] Tendo-se levantado alta madrugada, saiu, foi para um lugar deserto e ali orava.” (Marcos 1:35)

O nosso mundo atual mede o sucesso principalmente pelo dinheiro e pela fama, e isso acontece até mesmo nos meios cristãos, mas o verdadeiro sucesso é proporcional ao conhecimento do SENHOR, em fazer a Sua vontade e realizar o Seu propósito para a sua vida e assim glorificá-lO. Este é o sucesso que se deve almejar, como está escrito …

Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em Me conhecer e saber que Eu Sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas Me agrado, diz o SENHOR.” (Jeremias 9:23-24)

Conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR, como a alva, a Sua vinda é certa; e Ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.” (Oséias 6:3)

Que neste ano novo de 2017, você venha a subir muitos degraus dessa espiral no conhecimento, na experiência e na intimidade com o SENHOR! Que o SENHOR lhe abençoe e ilumine os seus dias!!!