Por que se aprofundar no estudo da Palavra?

Quem se limita no estudo da Palavra de Deus, limita em sua vida o Deus da Palavra.

Vou explicar melhor … é comum eu ver pessoas que, ao lerem e estudarem as Escrituras, pulam textos ou livros inteiros, ou por acharem chatos, ou por acharem complicados, ou até mesmo porque o texto as confronta em seu viver ou em sua teologia, isso entre outros tantos motivos … e assim estes “fatiam” as Escrituras apenas naquilo que lhes interessa. Lamento dizer, mas essa não é uma atitude sábia, pois quem faz isso por não gostar, por exemplo, de textos de genealogias, quantidades de tribos, ou de livros tais como Levítico, Números, Cantares, Ester, Provérbios, Daniel, Ezequiel, Judas, Hebreus, o “famigerado” Apocalipse, entre muitos outros; estará desdenhando e ignorando verdadeiras jazidas do SENHOR.

Mesmo as genealogias escondem em si a beleza do resumo da mensagem do evangelho em seu significado e muitas outras coisas, quem não as estuda jamais o perceberá, da mesma forma, por exemplo, não conhecerá a beleza e complexidade da construção da genealogia de Mateus 1 no grego, quem não estuda os números das tribos, jamais conseguirá ver a gigante cruz que se movia no deserto durante o êxodo. Quando você se limita até mesmo do idioma original, jamais perceberá a beleza matemática da construção dos primeiros versículos do Gênesis e a sua profundidade. Jamais perceberá a beleza do Aleph e o Tav (Alfa e o Ômega) nas milhares de passagens das Escrituras, o seu significado, beleza e profundidade nas genealogias, no casamento de Rute com Boaz, em Zacarias e muitas outras passagens. Não perceberá o que os textos em Aramaico de Daniel escondem sobre o tempo do fim, não perceberá a beleza dos 13 atributos do SENHOR, sua relação com as virtudes do fruto do espírito e os 7 atributos exclusivos do SENHOR, assim como a sua relação com o número 13. Isso para não citar ainda muitas e muitas belezas e riquezas dos textos de Provérbios, Salmos e muitos outros. As Escrituras são como minas de ouro e de pedras preciosas que quanto mais se cava, mais riqueza se encontra.

Entendo que muitos tem ministérios específicos, mas isso não significa que tenham de se limitar neles, pois quem é especialista sobre as questões da semeadura e colheita pode nunca conhecer a profundidade e a excelência da generosidade. Assim como quem é especialista nos dons, e nisso permanece, poderá jamais conhecer a profundidade do caminho mais excelente que Paulo indica sobre o amor. A mensagem do Evangelho é simples para que todos tenham acesso, tanto que ela pode ser resumida por completo em João 3:16, mas esse é apenas o ponto de partida, infelizmente em nosso tempo muitos o tomam como ponto de chegada e perdem um universo de coisas de uma vida plena em Deus.

Eu, particularmente, reconheço que ainda sou como uma criança à beira da praia enquanto o SENHOR tem um mar de riquezas e verdades que se escondem diante de mim, mas não importa o tamanho da sede que se tenha de se conhecer a Deus, Ele é sempre maior do que a nossa maior sede. O nosso mundo atual mede o sucesso pelo dinheiro, isso acontece mesmo em meios cristãos, mas o sucesso é proporcional em se conhecer ao SENHOR e no nível de intimidade com Ele, em fazer a Sua vontade e realizar o Seu propósito para a sua vida e assim Glorificá-lO. Mas se você já se limita no estudo da Palavra de Deus, acabará limitando em sua vida o Deus da Palavra e todo o relacionamento com Ele!

Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em Me conhecer e saber que Eu Sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas Me agrado, diz o SENHOR.” (Jeremias 9:23-24)

Conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR” (Oséias 6:3a)

Que o SENHOR lhe ilumine e abençoe! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *