Uma Análise Inusitada de João 3:14-16

Eu sei que essa expressão vinda de mim pode parecer repetitiva, mas eu não me canso de me surpreender e afirmar: “A Bíblia é um livro único, fantástico, que aponta para o Seu Autor … Maravilhoso, Único e Inigualável“!

Quando você analisa de maneira profunda os textos das Escrituras é como mergulhar na majestade e nas riquezas do SENHOR. Veja esse texto famosíssimo de João, por exemplo …

E do modo pelo qual Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo o que nEle crê tenha a vida eterna. Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:14-16)

Aqui está a síntese de todo o evangelho e uma análise desse texto por si já preencheria muitos livros. Entretanto, para não tornar esse artigo um livro, eu vou fazer uma análise relativamente breve e não comum desse texto em vários aspectos. Por isso na imagem acima deste artigo está o texto de João 3:14-16 no grego original com uma versão interlinear do Português relacionado a cada palavra de maneira mais bruta no seu significado para cada termo e ainda também o valor de cada palavra usada nesse texto, pois no grego, assim como no hebraico, cada letra representa um valor numérico.

Essa visualização matemática, além da literal dos textos, é permeada de padrões interessantes e que apresentam um design, uma “marca d’água” divina que acaba por dar suporte à mensagem literal do texto, mostrando que toda Escritura, tanto no grego quanto no hebraico, fazem parte de uma enorme “engrenagem” única da revelação do SENHOR.

Cabe observar então algumas considerações interessantes sobre esse espetacular capítulo de João 3 …

– O próprio número 3 por si mesmo já aponta para a manifestação trina do Criador, algo que pode ser percebido desde Gênesis 1:1 por aqueles que analisam os textos com mais profundidade, ainda mais porque Gênesis 1:1 tem o valor de 2.701, que nada mais é que 37 x 73 … o valor da palavra Sabedoria em hebraico ( חכמה chokmah ), tanto pelo valor ordinal quanto numérico … além disso 37 x 73 numericamente diz: Trindade) Perfeita) Perfeita) Trindade). Acaso?! Se analisar esse texto de Gn 1:1 ainda mais, verá que não há acaso nisso.

– O capítulo 3 de João é o milésimo capítulo das Escrituras e 1.000 pode ser representado por: 10 x 10 x 10, o número 10 nas Escrituras fala da Lei e da manifestação completa de algo. Observando então o valor da criação completa, citado no item anterior, 2.701, a soma dos algarismos é também 10 ( 2 + 7 + 0 + 1 ). Outro exemplo de que 10 representa a manifestação completa de algo é o número 50 que é 5 x 1050 fala do Jubileu e 5 da graça, portanto, o 50 é a manifestação completa da graça, por isso no ano de Jubileu era dada liberdade aos cativos, o perdão de todas as dívidas e o retorno das terras aos seus donos; e por isso Jesus usa Isaías 61 que fala do Jubileu como anúncio das Boas-Novas nesse período da graça sobre graça.

– O capítulo 3 expressa o texto áureo das Escrituras, a essência da mensagem do evangelho. Observando a partir de João 3, antes dele existem 999 capítulos … 999 pode ser expresso matematicamente como: 3 x 3 x 3 x 37 ( lembrando do que já discutimos no primeiro item, os número 3 e 37 seriam então apenas um outro acaso ou design? ). Além disso, de João 3 até Apocalipse 22 temos 189 capítulos … 189 pode ser expresso matematicamente como: 3 x 3 x 3 x 7 ( outra vez, acaso ou design? ).

– O valor de João 3:16, como se pode ver na imagem quando se analisa apenas esse versículo, possui também um valor único: 13.679 … e é único porque é um número primo! Observe os algarismos desse número primo: 1 ( fala de Deus como unidade ), 3 ( fala da manifestação trina de Deus ), 6 ( fala do homem e da criação que precisam de resgate ), 7 ( fala da perfeição ) e 9 ( aponta para a verdade imutável, pois para qualquer número multiplicado por 9, a soma de seus algarismos sempre será 9 ). Não seria essa a mensagem de João 3:16?! O Deus que se manifesta no Pai, Filho e Espírito para levar o homem à Sua perfeição por meio da Verdade, que é Cristo?! A matemática divina dos textos não é linda?!

– O texto de João 3:14-16, apresentado na imagem deste post contém 50 palavras … 5 x 10 … como vimos anteriormente, fala da manifestação plena da graça de Deus. Além disso o valor desse texto por completo é 34.188777 x 22 x 2 … ou ainda: 3 x 7 x 37 x 22 x 2 … já falamos do 3, do 7 e do 37 anteriormente e o mesmo aqui se aplica … o número 22 aponta para as 22 letras do alfabeto hebraico, sendo a letra 22 o “tav” ( ת ), só que essa letra originalmente, no proto-hebraico, era um pictograma … o símbolo de uma cruz (“✝️”) … e o 2 fala da morte e ressurreição de Cristo. Somando tudo isso, podemos inferir a mensagem matemática de João 3:14-16 … Deus, por meio de sua manifestação do Pai, Filho e Espírito ( 3 ) é Perfeito ( 7 ) e em Sua sabedoria ( 37 ) por meio da cruz ( 22 ) proporcionará salvação através da morte e ressurreição ( 2 ) de Cristo.

– Lembre também que o nome de Jesus em grego, Ιησους ( Iesous ), vale 8888 fala de novos começos e de ressurreição e 888 pode ser representado como: 2 x 2 x 2 x 3 x 37 … ou 8 x 3 x 37. Já falamos do 2, do 8 e do 37, portanto já podemos inferir o que Jesus em grego implica, não?!

– O valor numérico de “Jesus Cristo” em grego é 2.368, que pode ser representado como: 8 x 8 x 37 ( já vimos esses números ) … curiosamente, o valor para “vida eterna” em grego ( vide imagem acima ) é 1.856, que pode ser representado como: 8 x 8 x 29, lembrando que 8 + 29 = 37. Vemos assim uma relação entre esses termos … o que seria de se esperar, pois a “vida eterna” só é possível mediante “Jesus Cristo” e 8 x 8 duplamente fala de ressurreição e de novos começos, o que está diretamente ligado aos termos observados.

Enfim, eu poderia ir ainda mais longe, pois esse trecho esconde ainda mais coisas do tipo. A matemática das Escrituras é realmente fascinante e mostra que há um design único e sobrenatural em todo o texto. Ainda mais quando se observa que são textos formados ao longo de quase 1500 anos por cerca de 40 autores. Toda essa beleza e harmonia matemática aponta que o SENHOR, o Autor primário das Escrituras, coordenou ao longo do tempo não apenas a escrita dos livros, como também em preservar e compilar os muitos pergaminhos e livros num único cânon e mesmo os processos de atribuição de capítulos e versículos, os quais ocorreram em tempos distintos ao longo da história, pela harmonia matemática também mostram uma mão divina em suas definições.

Eu não sou da academia, mas conheço a questão das variantes textuais, dos diferentes manuscritos existentes e do processo de seleção escolhido por alguns editores e tradutores para definir qual deles se utilizar. Sei que muitas vezes existe uma discussão entre estes e acadêmicos de qual pergaminho ou fonte deveria ser utilizada e eu poderia sugerir que numa situação de indefinição, que fosse então usado como critério o valor matemático dos textos em questão, pois os que matematicamente se harmonizam com os demais textos provavelmente deveriam ser os selecionados nessas situações de impasse. Quem sabe Deus não colocou essa marca indelével em alguns textos para nos mostrar de forma mais clara a Sua Majestade e o Seu design nos textos sagrados.

Se você conseguiu chegar até aqui, visto que o texto é longo, eu desejo que o SENHOR lhe abençoe grande e ricamente em tudo que fizer! 🙏❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *