Pai Nosso, Rei Nosso

A oração do “Pai Nosso” ensinada por Jesus é profunda em muitos aspectos, mas não quero tratar especificamente dela aqui. Este meu post é para desmistificar uma informação errada dada em muitos púlpitos, ou por mera ignorância ou por uso de engano e mentira.

Eventualmente ouço de alguns pregadores que Jesus inovou ao usar a expressão “Pai Nosso” como se nunca antes tivesse sido usada para se dirigir ao SENHOR por alguém de Israel … realmente Jesus É inigualável, afinal sendo quem É, isso não poderia ser diferente! Entretanto, alguns pregadores afirmam que Deus nunca foi chamado de Pai no Antigo Testamento até vir Jesus; na verdade estes que assim o dizem acabam testemunhando contra eles mesmos afirmando assim que não conhecem a própria Bíblia que usam para pregar, visto que está escrito tanto no plural ( nosso Pai ), quanto no singular ( meu Pai ) …

A ternura do Teu coração e as Tuas misericórdias se detêm para comigo! Mas Tu És nosso Pai ( אָבִ֔ינוּ ‘avinu ), ainda que Abraão não nos conhece, e Israel não nos reconhece; Tu, ó SENHOR, És nosso Pai ( אָבִ֔ינוּ ‘avinu ); nosso Redentor é o Teu nome desde a antiguidade.” (Isaías 63:15b,16)

Mas agora, ó SENHOR, Tu És nosso Pai ( אָבִ֣ינוּ ‘avinu ), nós somos o barro, e Tu, o nosso Oleiro; e todos nós, obra das Tuas mãos.” (Isaías 64:8)

Não é fato que agora mesmo tu Me invocas, dizendo: Pai meu, tu És o amigo da minha mocidade? … Mas eu a mim me perguntava: como te porei entre os filhos e te darei a terra desejável, a mais formosa herança das nações? E respondi: Pai Me chamarás e de Mim não te desviarás.” (Jeremias 3:4,19)

Há ainda muitos outros exemplos como estes acima citados, assim como também nos textos antigos conhecidos e nos pergaminhos do Mar Morto. Estes pergaminhos e textos antigos escritos antes de Cristo mostram que a famosa expressão “Pai Nosso”, em oração, não era inovação naquele tempo, prova disso também é o registro no Talmude ( assim como em outros pergaminhos antigos ) do uso dessa mesma expressão em orações entre os judeus; tanto antes de Cristo, como durante o tempo de Cristo e também depois de Cristo entre os judeus ortodoxos.

Um exemplo disso é a oração “Avinu Malkeinu” cujo trecho está compartilhado na imagem deste post ( a tradução na imagem foi automática pelo Google por isso a qualidade não tão boa da tradução ) … Avinu Malkeinu ( em hebraico : אָבִינוּ מַלְכֵּנוּ ; “Pai Nosso, Rei Nosso” ) é uma oração judaica recitada durante os cultos judaicos nas Festas de Rosh Hashaná ( Trombetas ) e Yom Kippur ( Expiação ), bem como nos Dez Dias de Arrependimento de Rosh Hashaná até o Yom Kippur. Na tradição asquenazita, essa oração é recitada em todos os dias de jejum; na tradição sefardita, apenas porque é recitada nos Dez Dias de Arrependimento, ela não ocorre nos dias de jejum de Yom Kipur e no Jejum de Gedalias. Perceba que a expressão nessa oração “אָבִינוּ Avinu” ( “Pai nosso ou nosso Pai” ) é similar ao texto de Isaías 63:16 citado anteriormente, o que por si demonstra ser uma expressão conhecida pelo menos 600 anos antes de Cristo.

Joseph H. Hertz (falecido em 1946), rabino chefe do Império Britânico, descreveu a oração “Avinu Malkeinu” como: “a mais antiga e comovente de todas as litanias do Ano Judaico”. Ela faz uso de dois cognatos para Deus que aparecem separadamente na Bíblia; “Pai Nosso” (Isaías 63:16) e “Rei Nosso” (Isaías 33:22). Para ilustrar melhor a citação do Rabino, seguem os textos referidos abaixo:

Mas Tu És nosso Pai, ainda que Abraão não nos conhece, e Israel não nos reconhece; Tu, ó SENHOR, És nosso Pai; nosso Redentor é o Teu nome desde a antiguidade.” (Isaías 63:16)

Porque o SENHOR É o nosso juiz, o SENHOR É o nosso legislador, o SENHOR É o nosso Rei; Ele nos salvará.” (Isaías 33:22)

Por favor, entenda … eu não quero de forma alguma diminuir a importância e a profundidade da oração do “Pai Nosso” que nos foi ensinada pelo nosso Senhor, até porque ninguém como Ele, até aquele momento, poderia dizer essas palavras com tamanha propriedade e autoridade, as quais felizmente nos foram também outorgadas posteriormente, por meio de adoção pelo SENHOR através da Nova Aliança em Cristo.

Mas isso apenas mostra que certas afirmações que muitos fazem em púlpitos precisam possuir melhor precisão e serem profundamente estudadas à luz das Escrituras ( pelo menos ), assim como também é recomendável que se faça estudos por meio da própria história e cultura do povo de Israel para sermos os mais verdadeiros e precisos que nos for possível sem fazer uso de engano ou de “frases de efeito” para alcançar determinados objetivos. As Escrituras são verdadeiras e poderosas por si, não há necessidade de subterfúgios ou mentiras para se alcançar o seu objetivo.

Espero ter colaborado para aumentar o conhecimento e diminuir a ignorância nesse aspecto.
Que o “Nosso Pai, Nosso Rei” lhe abençoe! 🙏❤️
.

** Caso deseje ouvir essa bela e antiga oração “Avinu Malkeinu“, você pode assistir a este vídeo no YouTube onde ela está traduzida e é maravilhosamente cantada por Barbra Streisand …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *