Cidade Americana Ameaça Prender Ministros Cristãos Que Se Recusam A Realizar Casamentos Homossexuais

Meu Comentário:  Neste artigo podemos ver como se desenvolve uma progressiva e perigosa perseguição nos EUA relacionada à imposição de um aceite e cooptação das pessoas para a concordância com o casamento homossexual e da questão da identidade de gênero. À medida em que as leis são promulgadas, as perseguições começam, isso é apenas um vislumbre do que pode acontecer também no Brasil, caso os ativistas gays tenham sucesso em suas propostas legais que, ao invés de promoverem uma verdadeira tolerância baseada em respeito mútuo, criam na verdade uma perseguição implacável aos que tem opiniões e crenças diferentes. No pensamento totalitário dos ativistas, todos os que possuem opiniões diferentes são inimigos e devem ser perseguidos, punidos e/ou eliminados, se possível. Sob o pretexto de buscarem a tolerância, estão na verdade, plantando as sementes de um potencial holocausto que poderá emergir em um futuro próximo se, antes disso, as pessoas de bem não acordarem para os perigos desse tipo de política e ações totalitárias. Confira no artigo abaixo e tire suas próprias conclusões.

por Todd Starnes,

 

 

Dois ministros cristãos que possuem uma capela para casamentos em Idaho foram informados de que tinham de realizar casamentos homossexuais ou passariam um tempo na prisão e até teriam de pagar uma multa de US$ 1.000, de acordo com um processo aberto sexta-feira em um tribunal federal.

A organização ‘Alliance Defending Freedom’ está representando Donald e Evelyn Knapp, ministros ordenados que possuem a Capela de Casamento ‘Hitching Post’ em Coeur d’Alene (veja aqui).

“Agora eles estão em risco de serem processados​​”, disse o seu advogado da ADF (Alliance Defending Freedom), Jeremy Tedesco. “A ameaça de execução é mais do que digna de crédito”.

Segundo o processo, a capela de casamento está registrada no Estado como uma “corporação religiosa” limitada à realização de “casamentos de um homem com uma mulher, conforme definido pela Bíblia Sagrada”.

Mas a capela também está registrada como uma empresa com fins lucrativos – não como uma igreja ou lugar de culto – e as autoridades da cidade disseram que isso significa que os proprietários devem estar de acordo com um decreto-lei local de não discriminação.

Essa ordenança, aprovada no ano passado, proíbe a discriminação com base na orientação sexual e aplica-se à habitação, emprego e acomodação pública.

O procurador da Cidade, Warren Wilson, disse ao jornal ‘The Spokesman-Review’, em maio, que a Capela de Casamento ‘Hitching Post’ provavelmente seria obrigada a seguir a portaria.

“Eu acho que o ‘Hitching Post’ provavelmente seria considerado um local de alojamento público e que estaria sujeito ao decreto”, disse ele.

Ele também disse à emissora de televisão KXLY que qualquer capela de casamento que afasta um casal gay estaria, em teoria, violando a lei, “e você está olhando para uma potencial delito de contravenção”.

Wilson confirmou para Knapp o meu maior medo – de que os ministros ordenados ainda seriam obrigados a realizarem casamentos homossexuais.

“Wilson também respondeu que o Sr. Knapp não estava isento da portaria porque a ‘Hitching Post’ era um negócio e não uma igreja”, afirma o processo.

E se ele se recusou a realizar as cerimônias, Wilson teria dito ao ministro que ele poderia ser multado em até US$ 1.000 e condenado a até 180 dias de prisão.

Agora tudo isso era um ponto discutível, porque, até a semana passada, o casamento gay não era legal em Idaho.

O Tribunal de Apelações para a Nona Vara emitiu uma ordem em 13 de maio para permitir que os casamentos homossexuais pudessem começar em Idaho no dia 15 de outubro. Dois dias depois, o pessoal da ‘Hitching Post’ recebeu um telefonema.

Um homem ligou para saber sobre uma cerimônia de casamento homossexual. A ‘Hitching Post’ declinou, colocando-se em violação da lei.

As autoridades municipais não responderam aos meus pedidos de entrevista, nem respondem às solicitações dos meios de comunicação locais.

“O governo não deve forçar aos ministros ordenados para agirem de forma contrária à sua fé sob a ameaça de pena de prisão e multas de natureza penal”, disse Tedesco.

“A cidade está em um terreno legal seriamente danificado e nossa ação tem a intenção de assegurar que a liberdade do casal em aderir à sua própria fé como pastores está protegida, assim como a Primeira Emenda afirma”.

A organização ‘Alliance Defending Freedom’ também entrou com uma ordem de restrição temporária para impedir a cidade de fazer-se cumprir a ordenança.

“Os Knapps estão com medo de que, se exercerem os seus direitos da Primeira Emenda serão citados, processados e enviados para a prisão”, disse Tedesco.

É difícil acreditar que isso poderia acontecer nos Estados Unidos. Mas como é uma ação judicial estadual, os Knapps estão em um “estado constante de medo de que eles podem ter de ir para a cadeia, pagar multas substanciais, ou ambos, resultando na perda do negócio ao qual Deus os chamou para operarem e que têm fielmente operado por 25 anos”.

A ação veio na mesma semana em que a cidade de Houston emitiu intimações exigindo que cinco pastores cristãos mudem os sermões na forma de como lidam com a homossexualidade e a identidade de gênero.

O que em nome de Deus está acontecendo com o nosso país, gente? Eu estava supondo que as igrejas e os pastores não seriam afetados pelo casamento homossexual.

“O outro lado insistiu que isso nunca iria acontecer – que os pastores não teriam que realizar casamentos homossexuais”, disse Tedesco. “A realidade é que isso já está acontecendo”.

Tony Perkins, presidente do ‘Family Research Council’, disse-me que é “temporada de caça aos americanos que se recusam a ceder à redefinição do governo do casamento”.

“Os americanos são testemunhas da realidade que redefinir o casamento é menos sobre o altar do casamento e mais sobre alterar fundamentalmente as liberdades dos outros 98 por cento dos norte-americanos”, disse Perkins.

Por que ministros evangélicos cristãos serão forçados a realizarem e comemorarem qualquer casamento que entre em conflito com as suas crenças?

“Este é o admirável mundo novo de uniões homossexuais sancionados pelo governo – onde os americanos são obrigados a celebrarem essas uniões independentemente de suas crenças religiosas”, disse Perkins.

Como eu escrevo em meu novo livro, “Menos Deus na America”, estamos vivendo numa época em que aqueles que apóiam o casamento tradicional estão sob ataque feroz.

Os incidentes em Houston e agora em Coeur d’Alene são apenas os exemplos mais recentes de uma tendência preocupante na guerra cultural – ataques diretos ao clero.

“As autoridades do governo estão deixando claro que vão usar seu poder governamental para punir àqueles que se opõem aos avanços dos ativistas homossexuais”, disse Perkins.

Eu tenho medo, o Sr. Perkins está absolutamente certo.

Ninguém deve ser discriminado, mas você já reparou que toda vez que uma cidade passa por uma ordenança de “não-discriminação”, são os cristãos que acabam sendo discriminados?

 

* Artigo traduzido por mim, fonte original pode ser acessado aqui: City threatens to arrest ministers who refuse to perform same-sex weddings

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *