Os Limites da Tentação e da Provação

prova

 

Existe uma certa confusão sobre os limites das provações e das tentações que assolam a vida de cada um, isso em si se deve muitas vezes até pela confusão entre o significado dos termos, visto que muitos acreditam serem sinônimos.

Mas, pelas Escrituras, a tentação não vai além de nossas forças, como está escrito … “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.” (1 Coríntios 10:13)

Porém, a provação pode sim ir além, como está escrito … “Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida.” (2 Coríntios 1:8). Isso pode ser percebido também na situação dos muitos mártires conhecidos ao longo dos séculos e até na atualidade, onde a fé dos mesmos foi provada de tal forma e de tal maneira além de suas forças, que acabaram perdendo a vida no processo.

O que se precisa entender é que, o termo usado para “provação” e “tentação” possui a mesma fonte no grego, πειρασμος (“peirasmos”) e, algumas vezes, os intérpretes confundem e igualam ambos os significados, como se fossem a mesma coisa. Mas as provações são testes para lhe promover e lhe tornar melhor enquanto que as tentações são testes que buscam lhe derrubar. As provações tem o objetivo de lhe tornar perfeito e íntegro, em nada deficiente, como escreveu Tiago:

Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes.” (Tiago 1:2-4)

Se tentação e provação fossem as mesmas coisas, como explicar isso …

porque Deus não pode ser tentado pelo mal e Ele mesmo a ninguém tenta (πειραζω peirazo).” (Tiago 1:13b)

Pela fé, Abraão, quando posto à prova (πειραζω peirazo), ofereceu Isaque; estava mesmo para sacrificar o seu unigênito aquele que acolheu alegremente as promessas,” (Hebreus 11:17).

Se em ambas as referências acima, a palavra é a mesma no grego, e se tanto tentação quanto provação fossem a mesma coisa, os textos entrariam em conflito, pois Tiago diz que Deus não tenta (πειραζω peirazo) a ninguém, mas em Hebreus Abraão foi posto à prova (πειραζω peirazo) por Deus; sendo assim, tentação e provação não podem ser a mesma coisa de forma alguma. Por isso o contexto e um conhecimento maior do grego e de sua abrangência são fundamentais para uma boa tradução e interpretação dos originais.

tentacao_provacao

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *