A maioria dos pastores evitam questões controversas para manterem os dízimos elevados

Jennifer LeClaire

 

Pastores geralmente acreditam que o casamento do mesmo sexo e o aborto são errados, mas a maioria deles não vai falar com suas congregações sobre isso por medo de perderem membros.

Esse é um aprendizado básico de um estudo recente do Grupo Barna. O perito em pesquisas, George Barna, esteve no programa de rádio “Família Americana” para discutir sobre as questões relacionadas ao que ele descobriu.

“O que estamos descobrindo é que quando perguntamos a eles sobre todas as questões-chaves do dia, [90 por cento deles] nos dizem: ‘Sim, a Bíblia fala de cada uma dessas questões.” Em seguida, perguntamos, ‘Bem, você está ensinando ao seu povo o que a Bíblia diz sobre essas questões? ” — e os números caem… para menos de 10 por cento dos pastores que nos dizem que vão falar sobre essas questões,” disse Barna à agência de notícias “One News Now“.

Como se vê, os pastores não estão dispostos a fazer “quase nada” para fazem com que as pessoas sejam ativas em questões políticas.

“Então, a coisa que mais me impressionou foi que, quando se fala sobre a separação entre Igreja e Estado, vemos que as igrejas têm se separado das atividades do Estado — e isso é em detrimento do Estado e de seu povo”, disse Barna.

Barna apontou cinco fatores que a maioria dos pastores enumeram quando são questionados se as suas igrejas são bem-sucedidas: participação, doação, número de atividades, número de funcionários e área construída.
“Agora, todas essas coisas são boas medidas, com exceção de um pequeno fato: Jesus não morreu por nenhuma delas”, disse Barna. “O que eu estou sugerindo é que [aqueles pastores] não vão ficar provavelmente envolvidos nas questões políticas, porque elas são muito controversas. A controvérsia impede as pessoas de estarem nos bancos, a controvérsia impede as pessoas de darem dinheiro, de comparecerem às atividades.”

Barna também culpa a escola bíblica, em parte, pela falta de motivação. Os pastores, disse ele, são ensinados a se envolverem com interpretações das Escrituras ao invés de se envolverem em questões culturais.

 

Traduzido por mim do artigo da revista Charisma: Most Pastors Avoid Controversial Issues to Keep Tithes Up

Fonte: www.juliosevero.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *