A Profecia Dos 10 Jubileus

Este post é apenas para lembrar aos que gostam de estudar profecias que 3/4 da profecia de Judah Ben Samuel já se cumpriram. Judah Ben Samuel foi um piedoso judeu alemão que viveu entre 1140 e 1217, e que antes da sua morte (em 1217) profetizou acerca de Jerusalém e da nação de Israel o seguinte (vide imagem abaixo):

Quando os otomanos (turcos) – que ainda estavam se desenvolvendo no tempo de Judah Ben Samuel – conquistarem Jerusalém eles vão governar Jerusalém durante oito jubileus (1517 a 1917). Depois Jerusalém se tornará terra de ninguém por um jubileu (1917-1967) e, em seguida, no décimo jubileu irá voltar para a posse da nação judaica (1967-2017??) – o que significaria o início do tempo messiânico do fim dos tempos.

Existem várias referências antigas sobre a profecia de Judah Ben Samuel, o que denota que a mesma não teve como ser “fabricada”, seguem algumas: Rabbi Isaac Ben Solomon Luria, fazendo uma abordagem mística sobre o mundo messiânico (Jerusalem, 1531-1572, Safed); Joseph Solomon Delmegido (1591 Candia – 1655 Prague), um matemático e astrônomo (“Mazref le-Chochma”), Azulai I (1724-1806), um famoso bibliógrafo; Samuel David Luzzatto (1800-1865), um estudante das Escrituras; o historiador Heinrich Graetz (1817-1891); e o estudioso da Torah Jacob Epstein (1925-1993).

Sendo assim, não parece ser ao acaso que tantos Rabinos tem vindo a público colocando que a vinda do Messias é esperada para breve. Quem tem acompanhado o que acontece entre o povo Judeu, percebe o que disseram vários Rabinos nas últimas décadas e nos últimos anos, tais como Kaduri e tantos outros, falando e apregoando de que a era messiânica se aproxima. Será que Judah Ben Samuel, que teve 3/4 de sua profecia cumprida com perfeição, teria errado justamente na última parte e a mais importante?! Pessoalmente, eu acho pouco provável, ainda mais com tantos eventos proféticos sendo cumpridos justamente nessa época atual … de qualquer forma logo o saberemos … se o 1/4 restante vier a se comprovar, você está preparado?!

Fonte: Dionei Vieira – Profecia dos 10 Jubileus

04 de julho, 17 de Tamuz No Calendário Judaico – Momento De Vigiar E Orar

Amanhã, 04 de julho, é 17 de Tamuz no calendário judaico. Um dia marcado por cinco grandes catástrofes que ocorreram na história judaica:

(1) Moisés quebrou as tábuas no Monte Sinai, em resposta ao Bezerro de Ouro que foi construído.
(2) As ofertas diárias no Primeiro Templo foram suspensas durante o cerco de Jerusalém, no século 5 aC.
(3) As muralhas de Jerusalém foram violadas, antes da destruição do Segundo Templo em 70 EC.
(4) Antes da Grande Revolta, o general romano Apostamos queimou um rolo da Torá – estabelecendo um precedente para a horrível queima de livros judaicos ao longo dos séculos.
(5) Uma imagem idólatra foi colocada no Templo Sagrado – um ato insolente de blasfêmia e profanação.

Os dois Templos que foram destruídos tiveram suas quedas iniciando no mês de Tamuz, a partir das brechas que ocorreram nos muros, e o seu ápice ocorreu no mês de Av, no dia 9 (dia 25 de julho neste ano). Assim como em 17 de Tamuz houve a brecha na muralha do Segundo Templo, o mesmo ocorreu em 9 de Tamuz (26/06/2015) no Primeiro Templo, sendo que o dia 17 de Tamuz acabou incorporando a lembrança desse evento para os dois fatos.

Neste ano, nos EUA, no dia 9 de Tamuz houve a decisão pela Suprema Corte sobre a questão do casamento homossexual, um evento marcante, visto que nos dias de Noé e Ló, essa é uma das características do povo dessa época que marcou o seu comportamento antes de sua destruição, além da violência na terra (veja Gênesis 6:11,13).

Curiosamente, 4 de julho é comemorado nos EUA pelo Dia da Independência e neste ano está sendo marcado também pela crescente ameaça terrorista (violência). Por isso, pelas “coincidências” das datas do calendário judaico com eventos neste ano, e nisso posso citar também os vários eclipses solares e lunares de 2015 que também foram e ainda serão em datas significativas do calendário judaico, é importante observar se esses outros dias históricos podem ser marcados, na atualidade, por outros fatos que venham a ser históricos e importantes no mundo. É um momento para se vigiar e orar …

Fonte: Dionei Vieira – Amanhã, 04 de julho, é 17 de Tamuz no calendário…

Beleza e Curiosidades do Hebraico – Homem e Mulher

por Dionei Vieira,

 

Aos que gostam de estudar os meandros do idioma pelo qual boa parte das Escrituras foram redigidas e perceber a beleza, riqueza e profundidade do que o Eterno criou, vamos estudar o significado profundo da união do homem com a mulher e a sua função, estudando a partir da perspectiva de suas raízes hebraicas:

Veja que a palavra “Homem”, em hebraico se escreve assim: איש (‘iysh)

Agora veja que a palavra “Mulher”, se escreve assim: אשה (‘ishah)

Perceba que ambas partilham duas letras comuns e possuem duas outras distintas, agora vamos ver o que isso significa Leia Mais

Corte de Jerusalém defende oração judaica no Monte do Templo

por Jeremy Sharon,

 

 

Ativistas saudaram o que foi rotulado como uma vitória histórica nesta segunda-feira, após o Tribunal de Jerusalém emitir uma decisão ostensivamente apoiando as reivindicações de que os judeus estão autorizados a rezarem no Monte do Templo.

O ativista Yehuda Glick tinha feito um processo judicial contra a Polícia de Israel por causa de o proibirem de visitar o local por dois anos, devido as provas de vídeo dele orando no Monte do Templo.

Glick, que ficou gravemente ferido em uma tentativa de assassinato no ano passado por um extremista palestino, foi banido do Monte do Templo, entre 2011 e 2013, depois que ele foi visto proferindo uma oração judaica no local, em uma transmissão pelo Canal 10.

Os serviços de segurança proíbem não-muçulmanos de rezarem ou de praticarem outras formas de culto no Monte do Templo, alegando que Leia Mais

O Mistério do Ano Shemitá

por Dionei Vieira,

 

Capa da edição em Inglês do livro: O Mistério da Shemitá

 

Este artigo é outro misto de dica de livro com informações relacionadas ao mistério que envolve o ano Shemitá. Inicialmente, gostaria de recomendar o livro “O Mistério da Shemitá“, de Jonathan Cahn, o mesmo autor do livro “O Presságio” (já comentado no meu blog, aqui em outro artigo). Só que, diferente do livro “O Presságio”, não há uma versão em Português desse novo livro, mas temos algo que se aproxima bastante, que é uma edição em Espanhol, veja aqui.

É sabido que Deus instituiu para a nação de Israel que a cada sétimo dia fosse chamado de Sábado, um dia santo, dedicado ao Senhor, como está escrito: “Seis dias trabalhareis, mas o sétimo será o sábado do descanso solene, santa convocação; nenhuma obra fareis; é sábado do SENHOR em todas as vossas moradas.” (Levítico 23:3).

Mas o que não é bem conhecido é que o sábado não foi apenas um dia, mas também um ano. Como todo sétimo dia era o sábado, por isso Leia Mais