Escatologia – As Festas Judaicas e seus Significados Proféticos

Eu estou trabalhando num artigo sobre os diversos sinais escatológicos que podemos observar na época atual, mas antes disso acredito ser fundamental explicar o significado profético das Festas Judaicas. Infelizmente, para uma grande parte dos Cristãos atuais, as passagens de Levíticos 23 onde estão as ordenanças das Festas, são maçantes textos relacionados a cultura judaica apenas, sem maior significado. Grande engano, há muito mais por detrás dessas Festas do que muitos imaginam.

Primeiramente, repare que em Levítico 23.1, Deus define as festas para serem fixas e como santas convocações, ou seja, são convocações para uma assembléia sagrada para seu povo, uma espécie de ensaio geral e, se é algo sagrado e foi instituído pelo próprio Deus, não podemos ignorar sua importância. Os Cristãos não tem nenhum dever ou compromisso  de observar ou celebrar  essas festas, mas o entendimento do seu significado traz um ganho tremendo para a Fé. Jesus, como um judeu justo, celebrou as festas, como pode-se observar nos registros dos evangelhos, inclusive Leia Mais

Dica de Livro – O Presságio (The Harbinger)

Este é um livro muito, mas muito interessante (veja aqui) e, importante, não tem nada a ver com o filme Presságio, estrelado por Nicolas Cage, apesar do nome e da capa do livro lembrarem o do filme. Talvez este seja um dos motivos de, no Brasil, muitos olharem o livro e fazerem a confusão, deixando-o então de lado. Na verdade o livro baseia-se nas interpretações e pesquisas do Rabino Messiânico Jonathan Cahn referentes aos acontecimentos ocorridos desde 11 de setembro de 2001 nos EUA até dias mais recentes, comparando estes acontecimentos aos mesmos padrões de tratamento de Deus com Israel, descritos em Isaías 9:10.

O autor decidiu colocar os fatos reais pesquisados, referentes aos atentados e crises ocorridas nos EUA desde 2001, e os apresentar no livro na forma de uma história fictícia, baseada em um personagem que descobre estes fatos de uma forma muito misteriosa, relacionando os eventos atuais a similares ocorridos a mais de 3.000 anos atrás. Dessa forma ele mescla os fatos reais Leia Mais

Agenda Gay? Que Agenda Gay?

Scott Lively

Fazer menção do termo “agenda gay” na presença de um ativista LGBT ou em qualquer outro contexto cultural marxista é o mesmo que puxar a corda do boneco do Xerife Wood (personagem de Toy Story). Você ouve precisamente a mesma gravação a cada vez: “Que agenda gay? Não existe agenda gay.”

 

 

Mas, como é óbvio, a audaciosa mentira que o movimento político LGBT, que agora é mundial, tem sobre “não ter agenda” é tão transparente quanto as roupas novas do imperador. Aliás, a sua agenda não só é inegável, como também, infelizmente, já se tornou inevitável.

A agenda é apenas um plano ou uma lista de interesses a serem realizados por uma pessoa ou um grupo relacionado a um objetivo estratégico a ser alcançado. Por definição, cada pessoa ou grupo com um objetivo tem sua agenda.

O objetivo original do movimento “gay” foi melhor resumido por Dale Jennings da “Mattachine Society” (uma das primeiras organizações homossexuais dos EUA) e que era “o direito de não ser incomodado.” Esse objetivo pode ser traduzido como “tolerância.” Eu penso que é justo dizer que a vasta maioria dos líderes e ativistas pró-família Leia Mais

Beleza e Curiosidades da Bíblia – Elohim

O primeiro dos muitos nomes de Deus, que é apresentado na Bíblia, ocorre já na primeira frase de abertura do livro do Gênesis. Nos posts anteriores dessa série (aqui e aqui), vimos as duas primeiras palavras de Gênesis 1.1, agora veremos a terceira, “Elohim“. Além da curiosidade que iremos analisar, relacionada ao hebraico antigo, gostaria de levantar um outro aspecto muito interessante deste trecho, pois quem conhece o hebraico já percebe pela sua terminação que Elohim é plural, ou seja, se fôssemos literalmente interpretar o versículo, teríamos algo como …  Leia Mais

Dica de Livro – Compreendendo Todas as Parábolas de Jesus

O livro “Compreendendo Todas as Parábolas de Jesus”, de Klyne Snodgrass (ver aqui), editado pela CPAD, é uma obra muito recomendada para todo estudioso das Escrituras Sagradas, seja você um professor ou um aluno. As parábolas de Jesus estão entre as mais conhecidas e influentes histórias da humanidade que através de seus enredos fictícios ilustram muitas verdades. As parábolas não são sistematizações teológicas exaustivas, são analogias limitadas que somente são corretamente interpretadas Leia Mais

Escatologia – Onde estamos? (Profecias cumpridas de Israel) – Parte 2/2

Para concluir o post anterior (veja aqui), vamos ver mais detalhes sobre as profecias relacionadas a Israel nos tempos recentes e atuais. Como o número de eventos importantes é grande, vou procurar me ater a alguns mais interessantes e relevantes para os cenários futuros que vou abordar em posts posteriores.

Na primeira parte deste post, escrevi sobre as várias “Aliá” (ondas de imigração) do povo judeu para Israel vindos de todas as partes do mundo, conforme descrito nos versículos bíblicos relacionados, são movimentos vindos dos quatro cantos da terra (norte, sul, leste e oeste) que podem ser vistos na lista de profecias apresentadas no post anterior. Entre os diversos relatos interessantes sobre esses movimentos imigratórios de retorno a Israel, vou me deter a alguns Leia Mais

Beleza e Curiosidades da Bíblia – Criou

No meu post anterior (aqui) nós vimos a primeira palavra (“no princípio“) do primeiro versículo da Bíblia no hebraico antigo e as suas curiosidades, neste post iremos abordar a segunda palavra desse mesmo versículo, no caso “ברא” (bara’) que no contexto tem o significado de “criou” (criar a partir do nada). A primeira palavra (“beresheet“) nos mostrou, através da interpretação dos símbolos do proto-hebraico, o trabalho redentor de Cristo na cruz, o que nos lembra do versículo em Isaías 46:10

que desde o princípio anuncio o que há de acontecer e desde a antiguidade, as coisas que ainda não sucederam; que digo: o meu conselho permanecerá de pé, farei toda a minha vontade“.

De fato, podemos comprovar isto por um estudo mais profundo através das raízes do hebraico, como vimos em posts anteriores.

Agora, a palavra criou (“bara’“), que no hebraico possui a mesma raiz das palavras Leia Mais