Você vive em anomia?

Estas palavras de Jesus são de dar um “frio na espinha” … apenas os tolos não as estudam em profundidade e as levam em consideração …

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em Teu nome, e em Teu nome não expelimos demônios, e em Teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade [anomia].” (Mateus 7:21-23)

Pois, assim como o joio é colhido e lançado ao fogo, assim será na consumação do século. Mandará o Filho do Homem os Seus anjos, que ajuntarão do Seu reino todos os escândalos e os que praticam a iniqüidade [anomia] e os lançarão na fornalha acesa; ali haverá choro e ranger de dentes.” (Mateus 13:40-42)

Lembrando que o termo traduzido como “iniqüidade” nesses dois trechos, vem do grego “ανομια (anomia, [a – nomos], negação da lei)”, que significa:

1) a condição daquele que não cumpre a lei, ou porque não conhece a lei, ou porque transgride a lei.

2) desprezo e violação da lei, iniqüidade, maldade.

Lembrando que João nos diz que o pecado (αμαρτια, “hamartia“) é a transgressão da lei (“anomia“) em 1 João 3:4, “Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é [anomia] a transgressão da lei.

Se você se encaixa nestas práticas segundo os significados acima, recomendo rever-las! Ainda é tempo …

E para quem acha que na graça não há uma lei, veja o que diz Paulo claramente:

Procedi, para com os judeus, como judeu, a fim de ganhar os judeus; para os que vivem sob o regime da lei, como se eu mesmo assim vivesse, para ganhar os que vivem debaixo da lei, embora não esteja eu debaixo da lei. Aos sem lei, como se eu mesmo o fosse, NÃO ESTANDO SEM LEI PARA COM DEUS, MAS DEBAIXO DA LEI DE CRISTO, para ganhar os que vivem fora do regime da lei.” (1 Coríntios 9:20,21)

Além disso, Jesus, o Cristo, é a “Torah viva”, a “Lei viva”, a Palavra encarnada, a expressão máxima do SENHOR para o homem em Sua plenitude; Paulo entendeu isso … ele compreendeu a enorme profundidade e as implicações disto (é “vinho novo” para ser colocado em “odres novos”, não em “odres velhos” como muitos querem fazer), sendo assim, a chamada “Lei de Cristo” mencionada por Paulo no texto acima, sob a qual ele estava debaixo, se harmoniza com o que disse o autor de Hebreus a respeito também do novo sacerdócio, veja:

Se, portanto, a perfeição houvera sido mediante o sacerdócio levítico (pois nele baseado o povo recebeu a lei), que necessidade haveria ainda de que se levantasse outro sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque, e que não fosse contado segundo a ordem de Arão? Pois, quando se muda o sacerdócio, NECESSARIAMENTE HÁ TAMBÉM MUDANÇA DE LEI.” (Hebreus 7:11,12)

Perceba, o autor de Hebreus não eliminou a necessidade de uma lei no novo sacerdócio [ na chamada “época da graça” ], pelo contrário, ele evidenciou a existência de uma, assim como Paulo menciona a lei de Cristo e como outros apóstolos fizeram.

Para mais detalhes sobre o que abrange a chamada “Lei de Cristo”, e do novo sacerdócio, recomendo a leitura de Mateus 5:17-48 e João 15, apenas para começar, pois lhe darão uma boa idéia sobre isso.

Deus lhe ilumine e abençoe!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *